Eadem vis est taciti

 

 

 

 

Eadem vis est taciti atque expressi consensus: ‘Igual fuerza tiene el consentimiento tácito que el consentimiento expreso’
Busca una palabra en esta web con Ctrl+F

 

  • E bello enim pax firmatur
  • E cantu cognoscitur avis
  • E carceribus ad calcem pervenire
  • E comoedia tragoedia
  • E copia, ferocia
  • E culmo spica conicitur
  • E diverticulo ad viam redire
  • E duobus tria vides
  • E fetu cognosco arborem
  • E fimbria de texto iudicatur
  • E flamma cibum petere
  • E fructu arborem cognosco
  • E machina Deus apparuisti
  • E nervo cognoscere
  • E plumis avem dignosci
  • Ex contrario


Busca una palabra en esta web con Ctrl+F
E parvo semine multa messis. De uma pequena semente, colheita abundante. De pequena fagulha, grande labareda.


LATÍN / PORTUGUÉS


1. E bello enim pax firmatur. [Tucídides / Rezende 1502] Com a guerra se firma a paz. A boa guerra faz a boa paz. VIDE: Ex bello pax.

2. E cantu cognoscitur avis. [Rezende 1506] Pelo canto se conhece a ave. Pelo canto se conhece o pássaro. As palavras revelam quem cada um é. E cantu dignoscitur avis. [Erasmo, Adagia 4.2.21] E cantu avem (cognosco). Pelo canto conheço a ave. VIDE: A cantu avis dignoscitur. Avis a cantu dignoscitur. E plumis avis dignosco. Ex cantu dignoscitur avis. Ex cantu et plumis volucris dignoscitur omnis. Nulla unquam avis mala bene cecinit. Nulla unquam avis mala bonum cantum edidit. Quaelibet avis a proprio cantu dignoscitur. Qualis avis, talis cantus. Qualis vir, talis oratio.

3. E carceribus ad calcem pervenire. [Cícero, De Amicitia 101] Partindo do começo, conseguir chegar ao fim. VIDE: A carceribus ad metam. A carceribus ad calcem. A carcere ad carcerem.

4. E caula ad aulam. [Binder, Thesaurus 892] Do curral para a corte. Ontem vaqueiro, hoje cavaleiro. VIDE: A caula ad aulam. E trivio ad sceptrum.

5. E cocto pullus nunquam producitur ovo. [Binder, Thesaurus 893] De ovo cozido nunca nasce pinto.

6. E comoedia tragoedia. [Binder, Thesaurus 895] De uma comédia, uma tragédia.

7. E contra. Pelo contrário. E converso. VIDE: A contrario sensu. A contrario.

8. E copia, ferocia. [Binder, Thesaurus 896] Da abundância vem a bravura. Fartura faz bravura.

9. E culmo spica conicitur. [Erasmo, Adagia 4.2.3] Pela palha se conhece a espiga. Pela palha se conhece qual foi a espiga. Pelas ações se conhece o homem. E culmo perspicitur spica demessa. [Binder, Thesaurus 897] Pela palha se reconhece a espiga colhida.

10. E diverticulo ad viam redire. Retornar do atalho para a estrada. VIDE: Sed tempus est ut e diverticulo in viam revertamur.

11. E domo felis discedit mus impransus. [Pereira 101] Da casa do gato o rato sai com fome. Da casa do gato não sai o rato farto.

12. E duobus malis minus eligendum. [Rezende 1522] De dois males, deve-se escolher o menor. Dos males, o menor. Antes cair das nuvens do que de um terceiro andar. E duobus malis minus eligere semper oportet. De dois males, é preciso sempre escolher o menor. E duobus malis, cum maius fugiendum sit, levius est eligendum. De dois males, como se deve evitar o maior, é o mais leve que se deve escolher. VIDE: De duobus malis minus malum est eligendum. De duobus malis, minus est semper eligendum. De duobus malis, minus est deligendum. E malis multis malum quod minimum est. Elige ex malis minima. Ex malis eligere minima oportere. Minima de malis eligenda. Minima de malis. Minus damnum maiori anteponendum.

13. E duobus tria vides. [Erasmo, Adagia 3.1.6] De dois tu vês três. (=Diz-se de quem, ou por defeito de visão ou por embriaguez, vê uma coisa por outra). Isto é muito tresler. VIDE: Duo cum sint, tu tria vides.

14. E fetu cognosco arborem; e factis hominem iudico. [Grynaeus 125] Pelo fruto conheço a árvore; pelas ações julgo o homem. Pelas obras, e não pelo vestido, é o homem conhecido. Árvore ruim não dá bom fruto. VIDE: Arbor ex fructu cognoscitur. Arbor ut ex fructu, sic nequam noscitur actu. De fructu arborem cognosco. E fructu arbor cognoscitur. E fructu arborem cognosco. E fructu arborem. Ex fructu arbor. Ex fructu cognoscitur arbor. Ex fructu arbor agnoscitur. Fructibus ipsa suis, quae sit, cognoscitur arbor. Unaquaeque enim arbor de fructu suo cognoscitur.

15. E fimbria de texto iudicatur. [Pereira 117] Pela franja se conhece o tecido. Pela amostra se conhece a chita. Pela amostra se conhece o pano. E fimbria de texto iudico. [Erasmo, Adagia 1.9.36] Pela franja avalio o pano. E fimbria textum omne cognosco. [Manúcio, Adagia 381] Pela franja reconheço qualquer pano. VIDE: De fimbria telam omnem. Ex fimbria tela ipsa ostenditur. Ex fimbria textura manifesta.

16. E fissis lignis componitur optimus ignis. [Binder, Thesaurus 900] De madeiras rachadas se faz ótimo fogo. Pau torto faz fogo direito. VIDE: Aeque pars ligni curvi ac recti valet igni.

17. E flamma cibum petere. [Terêncio, Eunuchus 490] Tirar comida das chamas. (=Roubar da fogueira o que se queimava em honra aos mortos. Era considerado um crime dos mais infamantes). VIDE: Cibum e flamma petere. E transenna cibum petere.

18. E fructu arborem cognosco. [Rezende 1531] Pelo fruto conheço a árvore. Pelo fruto se conhece a árvore. Pelo fruto conheço a árvore. Árvore ruim não dá bom fruto. Pelas obras, e não pelo vestido, é o homem conhecido. E fructu arborem. E fructibus arborem. [Schottus, Adagia 220] E fructu arbor cognoscitur. Conhece-se a árvore pelo fruto. E fructu arborem iudico. [Manúcio, Adagia 6] VIDE: Arbor ex fructu cognoscitur. De fructu arborem cognosco. E fetu cognosco arborem; e factis hominem iudico. Ex fructu arbor. Ex fructu cognoscitur arbor. Ex fructu arbor agnoscitur. Fructibus ipsa suis, quae sit, cognoscitur arbor. Unaquaeque enim arbor de fructu suo cognoscitur.

19. E granis acervus. [Binder, Thesaurus 901] De grãos se forma um monte. Um grão não enche celeiro, mas ajuda o seu companheiro. VIDE: De minimis granis fit magnus acervus. De multis, grandis acervus erit. De multis parvis grandis acervus erit. De stipula grandis acervus erit. Ex granis fit acervus.

20. E gustu cognosco. [Schottus, Adagia 417] Conheço pela prova. Pelo cheiro do tição sabe-se a madeira que queimou.

21. E lingua stulta veniunt incommoda multa. [Binder, Thesaurus 902] Da língua sem juízo vêm muitos transtornos. VIDE: Ex lingua stulta veniunt incommoda multa.

22. E machina Deus apparuisti. [Apostólio 3.86] Deus, tu apareceste por meio de um mecanismo. (=Diz-se de uma intervenção providencial, de um desfecho feliz e inesperado). VIDE: Deus ex machina apparens. Deus ex machina. Deus ex improviso apparens. Deus improviso apparens.

23. E malis multis malum quod minimum est. De muitos males, (escolha-se) o mal que for menor. Dos males o menor. VIDE: De duobus malis minus malum est eligendum. De duobus malis, minus est deligendum. De duobus malis, minus est semper eligendum. E duobus malis minus eligendum. E duobus malis, cum maius fugiendum sit, levius est eligendum. Elige ex malis minima. Ex malis eligere minima oportere. Ex malis multis malum quod minimum est, id minime est malum. Minima de malis eligenda. Minima de malis. Minus damnum maiori anteponendum.

24. E medio flumine mella petat. [Ovídio, Ars Amatoria 1.748] Que ele procure mel no meio do rio.

25. E mera gratia. Por mera graça. Por mero favor.

26. E minimo crescit, sed non cito fama quiescit. [Binder, Thesaurus 905] O boato nasce de coisa mínima, mas não pára.

27. E multis paleis, paulum fructus collegi. [Erasmo, Adagia 1.2.75] De muita palha colhi poucos frutos. Muita palha e pouco grão. Muita galinha e pouco ovo. E multis paleis, parum fructus. [Pereira 111] VIDE: De multis paleis grana pauca coëgi. Ex multis paleis parum fructus reportavi. Ex multis paleis parum fructus.

28. E multis unum. [Erasmo, Herculei Labores] Um formado de muitos. Todos por um, um por todos.

29. E necessitate. Por necessidade. Não tendo alternativa.

30. E nervo cognoscere. [Pereira 100] Conhecer pela pinta.

31. E nigro color est mutatus in album. [Ovídio, Metamorphoses 15.46] De negro ficou branco.

32. E parvo puero saepe peritus homo. [Binder, Thesaurus 907] De pequeno menino, muitas vezes um homem competente. VIDE: De parvo puero saepe peritus homo.

33. E parvo semine multa messis. De uma pequena semente, colheita abundante. De pequena fagulha, grande labareda.

34. E paucis verbis ingens bonum aut malum. [Erasmo, Adagia 5.2.29] De poucas palavras pode vir um grande bem ou um grande mal.

35. E pilo pendet. [Schottus, Adagia 417] Está pendurado por um fio. Está por um fio. VIDE: A filo pendet. De filo pendet. De pilo pendet.

36. E plumis avem dignosci. [Manúcio, Adagia 1026] Pelas penas a ave é conhecida. E plumis cognoscitur avis. [Binder, Thesaurus 908] VIDE: Ex cantu et plumis volucris dignoscitur omnis.

37. E pluribus unum. [S.Agostinho, Confessiones 1.4.8.13 / Divisa dos Estados Unidos da America] Um composto de muitos. A união faz a força. VIDE: Ex pluribus unum. Ex pluribus unum facere. Unus fiat ex pluribus.

38. E poculo perforato bibes. [Erasmo, Adagia 3.4.3] Bebes de uma taça furada. Sabem-no cães e gatos. VIDE: Ex confracto calice bibis. Sapit et hoc vulgus.

39. E proprio vivet iam liber quisque suo. [Pereira 111] Cada um viverá livre com o que é seu. Meu dinheiro, teu dinheiro, vamos à taberna.

40. E pulchro ligno vel suspendi praestat. [Apostólio 3.77] De árvore bonita, vale a pena até enforcar-se. VIDE: De pulchro ligno vel pendere libeat. De pulchro ligno vel strangulare. Suspendium etiam fiat e digna trabe. Vel strangulari pulchro de ligno iuvat.

41. E pumice aquam petis. Buscas água numa pedra. Buscas água em fonte seca. Malhas em ferro frio. E pumice aquam postulabat. Exigia água da pedra. E pumice aquam exspectare. Esperar água de uma pedra. VIDE: A pumice aquam petis. A pumice aquam postulas. Aquam a pumice ne expostules. Aquam a pumice nunc postulas. Aquam e pumice postulas.

42. E re nata. A partir das coisas que surgirem. Conforme as circunstâncias.

43. E re nata consilium capiemus. [Pereira 97] Decidiremos de acordo com as circunstâncias. O tempo e a ocasião mostram o que se deve fazer. Assim como virmos, assim faremos. Como se toca, assim se dança. E re nata consilium capere. [Manúcio, Adagia 261] VIDE: Gladiator in arena consilium capit. Tempori serviendum est.

44. E relato referre fere mentiri est. [Binder, Thesaurus 909] Contar um fato pelo que nos foi contado é quase mentir.

45. E republica. No interesse do país.

46. E rivo flumina magna facis. [Ovídio, Ex Ponto 2.5.22] De um regato fazes um grande rio. Fazes de uma mosca um elefante.

47. E scurra facilius dives quam paterfamilias sit. [Grynaeus 312] De um bufão é mais fácil fazer-se um homem rico que um pai de família. Nunca de bom mouro bom cristão. Quem foi ruim não deixa de ser. VIDE: De scurra multo facilius divitem quam patrem familias fieri posse. Qui semel scurra, nunquam paterfamilias. Scurra semel nunquam paterfamilias.

48. E squilla non nascitur rosa. [Erasmo, Adagia 2.3.93] Da cebola não nasce rosa. Não pode o ulmeiro dar peras. De cobra não nasce passarinho. VIDE: Non etenim e scilla rosa nascitur, aut hyacinthus. Nunquam scilla rosam produxerit, aut hyacinthum.

49. E Tantali horto fructum colligis. [Erasmo, Adagia 4.3.31] Colhes fruta no pomar de Tântalo. (=Não conseguirás o que desejas).

50. E tardo asino equus prodiit. [Schottus, Adagia 28] De um burro vagaroso saiu um cavalo. Cavalo formoso de potro sarnoso. E tardigradis asinis equus prodiit. [Albertatius 417] De burros vagarosos saiu um cavalo. VIDE: A tardigradis asinis equus prodiit. Emersit ex asinis equus tardigradis. Quoties ab indocto praeceptore proficiscitur discipulus eruditus.

51. E tenui casa saepe vir magnus exit. [Burton, The Anatomy of Melancholy 2.3.2] De um casebre muitas vezes sai um grande homem. De ruim ninho também sai bom passarinho. VIDE: Exire magnus e tugurio vir potest. Potest ex casa vir magnus exire. Potest ex casa vir magnus exire; potest et ex deformi humilique corpusculo formosus animus ac magnus.

52. E terra in terram. Da terra para a terra. De uma terra para outra.

53. E terra spectare naufragium. [Erasmo, Adagia 5.1.38] De terra, observar o naufrágio. Ver os touros de palanque. Assistir ao tiroteio do alto do coqueiro. Quem está de fora joga melhor. VIDE: Cupio istorum naufragia ex terra intueri. Facile, cum valemus, recta consilia aegrotis damus. Naufragia ex terra intueri. Suave e terra magnum alterius spectare laborem.

54. E thymbra hastam conficere nemo queat. [Schottus, Adagia 271] De capim ninguém consegue fazer uma lança. VIDE: Ex thymbra nemo queat conficere lanceam, neque e Socrate probum militem.

55. E transenna cibum petere. [Pereira 108] Buscar comida na armadilha. Ir buscar lã e voltar tosquiado. VIDE: Ab transenna cibum petere. E flamma cibum petere. Cibum e flamma petere.

56. E tribus optimis rebus tres pessimae oriuntur: e veritate odium, e familiaritate contemptum, e felicitate invidia. [Plutarco / Brewer, Dictionary of Phrase and Fable] De três coisas ótimas nascem três coisas péssimas: da verdade, o ódio; da familiaridade, o desprezo; do sucesso, a inveja.

57. E trivio ad sceptrum. [Odilo Schreger, Studiosus Jovialis 7] Da praça para a realeza. Ontem vaqueiro, hoje cavaleiro. VIDE: A caula ad aulam. E caula ad aulam.

58. E turpibus facta turpia discimus. [Manúcio, Adagia 237] De pessoas infames aprendemos ações vergonhosas. Com quem te achares, com tal te afazes. Com quem porcos vive, deita-se na lama.

59. E veritate odium. Da verdade (nasce) o ódio. A verdade amarga. A verdade provoca ódio. Mais perde em amizades quem mais teima nas verdades. VIDE: E tribus optimis rebus tres pessimae oriuntur: e veritate odium, e familiaritate contemptum, e felicitate invidia. Hoc tempore obsequium amicos, veritas odium parit. Obsequium amicos, veritas odium parit. Obsequium amicos, veritas odium, familiaritas contemptum parit. Odium veritas parit. Veritas odium parit.

60. E vipera rursus vipera nascitur. [Grynaeus 558] De uma víbora nasce mais uma víbora. Tal pai, tal filho. De cobra não nasce passarinho. De tal gente, tal semente.

61. E vita liber decedere malo quam sine libertate manere in illa. Prefiro sair livre da vida a permanecer nela sem liberdade. Antes morte que má sorte. E vita liber decedere maluit quam sine libertate manere in illa. [Dante, De Monarchia 2.5] Preferiu retirar-se da vida livre a permanecer nela sem liberdade.

62. E vitio alterius disce cavere tibi. [Binder, Medulla 455] Com o erro alheio aprende a cuidar de ti. Aprende com o exemplo do vizinho.

63. Ea credimus libenter quae cupimus. Acreditamos com prazer no que desejamos. VIDE: Fere libenter homines id quod volunt credunt. Homines libenter credunt quod volunt. Libenter homines quod volunt credunt. Quae volumus, ea credimus libenter. Quod valde volumus, facile credimus.

64. Ea de re. Por esse motivo. VIDE: Ea re.

65. Ea demum tuta est potentia quae viribus suis modum imponit. [Valério Máximo, Historiae 4.1] O poder mais seguro é aquele que sabe impor moderação às suas forças. A quem muito pode, de modo algum convém abusar.

66. Ea vero demum proprie nostra sunt, quae fortuna non potest eripere. [Manúcio, Adagia 1112] Realmente nosso só é aquilo que a fortuna não nos pode tirar.

67. Ea enim denique virtus esse videtur praestantis viri, quae est fructuosa aliis, ipsi aut laboriosa aut periculosa aut certe gratuita. [Cícero, De Oratore 2.85] Considera-se essa a virtude do homem superior, que é vantajosa aos outros, mas a ele mesmo laboriosa ou perigosa, mas certamente espontânea.

68. Ea est accipienda interpretatio, quae vitio caret. [Jur / Black 634] A interpretação que deve ser aceita é a que estás isenta de erro.

69. Ea ex ore profero, quae corde concepi, ea scilicet loquor, quae ipse sentio, omni fuco mendacioque procul. [Grynaeus 57] Da minha boca sai o que concebi no coração, digo o que sinto, sem qualquer artifício ou mentira.

70. Ea facile facimus, quae libenter facimus. [Grynaeus 75] Fazemos com facilidade o que fazemos com prazer. O que é de gosto regala a vida.

71. Ea fama vagatur. [Virgílio, Eneida 2.17] Corre esse rumor. VIDE: Fama vagatur.

72. Ea invasit homines habendi cupido, ut possideri magis quam possidere videantur. [Plínio Moço, Epistulae 9.30.4] Invadiu os homens tal paixão pelas riquezas, que eles mais parecem possuídos do que possuidores.

73. Ea intentione. Com essa intenção.

74. Ea pueri discant quibus sunt senes usuri. Aprendam quando meninos o que vão usar quando velhos.

75. Ea quae contra leges fiunt pro infectis habenda sunt. [Codex Iustiniani 1.2.14.4] O que é feito contra as leis deve ser considerado inexistente. VIDE: Quae contra ius fiunt, debent utique pro infectis haberi.

76. Ea quae dare possumus, nolunt, quae volunt, autem dare non possumus. Não querem o que podemos dar, mas não podemos dar o que querem. VIDE: Eam, quam dare possumus, nolunt; quam volunt autem, dare non possumus.

77. Ea quae dicet vir bonus, omnia salva dignitate ac verecundia dicet. [Quintiliano, Institutio Oratoria 6.3.35] O que disser o homem de bem dirá salvaguardando sua dignidade e decência.

78. Ea quae dolent, molestum est contingere. [Medina 592] Faz mal tocar o que dói. Em casa de enforcado, não se fala de corda. VIDE: Quae dolent, ea molestum est contingere.

79. Ea quae fiunt a iudice, si ad eius non spectant officium, non subsistunt. [Regulae Iuris In Vi Decretalium Bonifacii VIII] Os atos realizados pelo juiz, se não são de sua alçada, não subsistem.

80. Ea quae lege fieri prohibentur, si fuerint facta, non solum inutilia, sed pro infectis etiam habeantur. [Codex Iustiniani 1.14.5.1] O que pela lei é proibido fazer, se for feito, não só é inútil, mas deve ser considerado inexistente.

81. Ea quae raro accidunt, non temere in agendis negotiis computantur. [Digesta 50.17.64] As coisas que raramente acontecem não devem ser consideradas nas transações comerciais sem razão suficiente.

82. Ea re. Por esse motivo. VIDE: Ea de re.

83. Ea res verane an falsa sit, non laboro. [Aulo Gélio, Noctes Atticae 6.22.2] Não me importo se esse fato é verdadeiro ou falso.

84. Ea sola utilia sunt iusta. [Rezende 1500] Só as coisas úteis são justas. Ea sola utilia quae sunt iusta et honesta. Só é útil o que é justo e honesto.

85. Ea sola voluptas solamenque mali. [Virgílio, Eneida 3.660] É o único prazer que lhe resta, e o alívio de seu sofrimento.

86. Ea sub oculis posita neglegimus. [Plínio Moço, Epistulae 8.20.1] Desprezamos o que temos sob os olhos. O desconhecido sempre parece sublime.

87. Ea tela texitur. [Cícero, De Oratore 3.60 / Erasmo, Adagia 2.1.25] É este tecido que estamos tecendo. (=É disto que se trata).

88. Ea vero demum proprie nostra sunt, quae fortuna non potest eripere. [Grynaeus 93] Só é verdadeiramente nosso o que a sorte não nos pode tirar.

89. Eadem chorda oberrat. Ele erra na mesma corda. Só o tolo cai duas vezes no mesmo buraco. Tropeçar duas vezes na mesma pedra. VIDE: Citharoedus ridetur, chorda qui semper oberrat eadem. Eadem oberrare chorda.

90. Eadem de illo homines secreto loquuntur quae palam. [Sêneca, De Clementia 1.13.5] Dele o povo fala em segredo a mesma coisa que fala em público.

91. Eadem duobus nupta esse non potest. [Institutiones 1.10.4] A mesma mulher não pode ser casada com dois maridos.

92. Eadem est ratio, eadem est lex. [Jur / Black 634] A mesma razão, a mesma lei.

93. Eadem est vis taciti atque expressi consensus. [Jur] Igual é a força do consentimento tácito e do expresso. Eadem est vis taciti atque expressi. Eadem est vis taciti ac expressi.

94. Eadem filia duos tibi generos parare vis. Com a mesma filha, queres conseguir dois genros. Queres matar dois coelhos com uma só cajadada. VIDE: Duas linit parietes eadem fidelia. Unica filia duos parare generos. Una dote duos generos parare volui.

95. Eadem mediocritas ad omnem usum cultumque vitae transferenda est. [Cícero, De Officiis 1.34] A mesma moderação deve ser empregada em todas as circunstâncias e hábitos da vida.

96. Eadem mensura redde, qua accepisti. [Grynaeus 735] Devolve pela mesma medida por que recebeste. Como te fizer teu compadre, assim lhe faze. Eadem mensura reddere iubet qua acceperis, aut etiam cumulatione, si possis. [Cícero, Brutus 15] (Hesíodo) manda devolver na mesma medida em que se receber, ou até com aumento, se for possível.

97. Eadem oberrare chorda. [Erasmo, Adagia 1.5.9] Errar na mesma corda. Tropeçar duas vezes na mesma pedra. Eadem chorda oberrat.

98. Eadem omnibus convenire non possunt. [Celso, De Medicina 3.9.4] As mesmas coisas não podem servir para todos. Nem tudo se adapta a todos.

99. Eadem omnibus principia, eademque origo: nemo altero nobilior. [Sêneca, De Beneficiis 3.28.1] Todos têm o mesmo começo e a mesma origem: nenhum é mais nobre que outro.

100. Eadem pensare trutina. [Erasmo, Adagia 1.5.15] Pesar na mesma balança. Tal por tal. Como ele te medir, assim o medirás.

101. Eadem per eadem. [Erasmo, Adagia 1.5.89] O mesmo pelo mesmo. Seis por meia-dúzia. Pagar na mesma moeda. Responder pelas mesmas consoantes.

102. Eadem ratione. Pela mesma razão. Da mesma maneira.

103. Eadem sumus navi. [Branco 269] Estamos no mesmo barco. Todos corremos para a mesma sorte. VIDE: In eadem arbore sumus. In eadem es navi. In eadem sumus navi. In eodem navigio sumus.

104. Eadem sunt quorum unum potest substitui alteri salva veritate. [Leibniz, Opera Philosophica] São idênticas duas coisas, se uma delas pode ser substituída pela outra, respeitando-se a verdade.

105. Eadem te efferet fortuna quae deiecit. [Pereira 95] A mesma sorte que te derrubou, te levantará. Onde perdeste a capa, aí a cata. Onde se quebrou o pote, aí procura a rodilha.

106. Eadem velle, et eadem nolle, ea demum firma amicitia est. [S.Jerônimo, Epistulae 130.12 / Rezende 1496] Querer as mesmas coisas e não querer as mesmas coisas, essa na verdade é a sólida amizade. VIDE: Idem velle atque idem nolle, ea demum firma amicitia est.

107. Eam esse consuetudinem regiam, ut casus adversos hominibus tribuant, secundos fortunae suae. [Cornélio Nepos, Datames 5.4] Tal é o costume dos reis: atribuem aos homens os reveses, e à sua própria fortuna os sucessos.

108. Eam vir sanctus et sapiens sciet veram esse victoriam, quae, salva fide et integra dignitate, parabitur. [Floro, Epitoma 1.6] Um homem virtuoso e sábio saberá que a verdadeira vitória é a que se alcançará sem ferir a lealdade e mantendo-se intacta a dignidade.

109. Eamdem cantilenam canis. [Dumaine 247] Cantas a mesma canção. Cantas sempre a mesma cantiga. Eamdem cantilenam recinis. Eamdem incudem tundis. Malhas sempre a mesma bigorna. Bates sempre na mesma tecla. VIDE: Cantilenam eamdem canis. Replicas eamdem cantilenam.

110. Eamdem incudem diem noctemque tundere. [Cícero, De Oratore 2.39.162] Malhar dia e noite a mesma bigorna. Bater sempre na mesma tecla. Cantar sempre a mesma cantiga. Eamdem incudem diu noctuque tundere. [Amiano Marcelino, Res Gestae 28.4.26]

111. Eamus, faciamus, et pudet non esse impudentem. [S.Agostinho, Confessiones 2.9] Vamos, façamos, e tenhamos vergonha de não sermos despudorados.

112. Ebibe vas totum, si vis cognoscere potum. [Trench, On the Lessons in Proverbs 157] Esvazia o copo, se queres conhecer a bebida.

113. Ebrietas caedis mater, parens litium, furoris genetrix. [S.Crisólogo, Sermão 21 / Bernardes, Nova Floresta 2.50] A embriaguez é a mãe dos assassinatos, pai das brigas, geradora da loucura.

114. Ebrietas est voluntaria insania. A embriaguez é uma loucura voluntária. VIDE: Ebrietatem furoris voluntariam speciem esse. Nihil aliud esse ebrietatem quam voluntariam insaniam.

115. Ebrietas et amor secreta produnt. [Grynaeus 453] A embriaguez e o amor revelam os segredos. Cachaceiro não tem segredo. Quando o vinho desce, as palavras sobem. VIDE: Calices quem non fecere disertum? Nullum secretum est ubi regnat ebrietas. Vinum verba ministrat.

116. Ebrietas mores aufert tibi, res et honores. [Samuel Singer, Thesaurus Proverbiorum 439] A embriaguez tira de ti o caráter, os bens e o respeito.

117. Ebrietas prodit quod amat cor, sive quod odit. [Binder, Thesaurus 925; DAPR 102] A embriguez descobre tanto o que ama como o que odeia o coração. Depois de beber, cada qual dá seu parecer. Enquanto o vinho desce, as palavras sobem. VIDE: Arcanum demens detegit ebrietas. Qua vinum influxit, refluent secreta bibentis.

118. Ebrietas sollicitis animis onus eximit. [Horácio, Epistulae 1.5.19] A embriaguez tira a preocupação às almas aflitas.

119. Ebrietas ut vera nocet, sic ficta iuvabit. [Ovídio, Ars Amatoria 1.597] Do mesmo modo que a embriaguez verdadeira prejudica, também poderá ajudar, quando fingida.

120. Ebrietatem furoris voluntariam speciem esse. [Catão / Amiano Marcelino, Historiae 15.12.4] A embriaguez é uma espécie de loucura voluntária. VIDE: Ebrietas est voluntaria insania. Nihil aliud esse ebrietatem quam voluntariam insaniam.

121. Ebrietatem patri obicis ebrius. [Sêneca Retórico, Controversiae 2.6.5] Reprovas a embriaguez do teu pai, e tu mesmo estás ébrio. Ri-se o roto do esfarrapado, e o sujo do mal lavado.

122. Ebrietatis comes oblivio. [Macróbio, Somnum Scipionis 12] O esquecimento é o companheiro da embriaguez.

123. Ebrietatis encomium. [Título de livro publicado em 1723] O elogio da embriaguez.

124. Ebrio credendum. Deve-se acreditar no bêbedo. Cachaceiro não tem segredo.

125. Ebrios, stultos, ac pueros verum plerumque effari. [Schottus, Adagia 303] Bêbedos, loucos e crianças na maioria das vezes dizem verdade. As crianças e os loucos dizem a verdade. VIDE: Pueri ac vinum vera profantur. Pueros, ebrios ac stultos verum profari. Stultus puerque semper vera dicunt. Stultus puerque vera dicunt. Vera dicunt ebrii. Vinum et pueri veraces. Vinum et pueri sunt veraces.

126. Ebriosus convictores in amorem meri trahit. [Sêneca, De Ira 3.8.1] O beberrão atrai os companheiros de mesa para o amor do vinho. Com qual te achares, com tal te afazes. Quem se mistura com porcos, farelo come.

127. Ebrius atque satur stomachus male philosophatur. [Binder, Thesaurus 926] O bêbedo e o estômago cheio filosofam mal.

128. Ebrius punitur propter ebrietatem. [Jur] Pune-se o ébrio por causa de sua embriaguez. Ebrius punitur non propter delictum, sed propter ebrietatem. [Farinacius 54] Não se pune o ébrio pelo delito, mas pela embriaguez.

129. Ebur atramento candefacere. [Plauto, Mostellaria 248] Pintar de branco o marfim. Enxugar gelo.

130. Ecce adsum. [Vulgata, Isaías 52.6] Eis aqui estou presente. Eis-me aqui. VIDE: Adsum! Ecce ego.

131. Ecce agnus Dei, ecce qui tollit peccatum mundi. [Vulgata, João 1.29] Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

132. Ecce ancilla Domini. [Vulgata, Lucas 1.38] Eis aqui a escrava do Senhor.

133. Ecce consilium: arripe et age. [S.Agostinho, Epistulae 220.9] Eis o conselho que te dou: ataca e age.

134. Ecce ego. Eis-me aqui. Estou presente. VIDE: Adsum! Ecce adsum.

135. Ecce ego adducam diluvii aquas super terram. [Vulgata, Gênesis 6.17] Eis que estou para derramar as águas do dilúvio sobre a terra.

136. Ecce ego do coram vobis viam vitae, et viam mortis. [Vulgata, Jeremias 21.8] Eis que ponho diante de vós o caminho da vida e o caminho da morte. VIDE: Ante hominem vita et mors, bonum et malum; quod placuerit ei dabitur illi.

137. Ecce ego mitto vos sicut oves in medio luporum. [Vulgata, Mateus 10.16] Vede que eu vos mando como ovelhas no meio de lobos.

138. Ecce ego, quia vocasti me. [Vulgata, 1Reis 3.9] Eis-me aqui, pois tu me chamaste. Ecce ego ad te, quia invocasti me.

139. Ecce elongavi fugiens, et mansi in solitudine. [Vulgata, Salmos 54.8] Eis que me afastei fugindo, e permaneci no deserto.

140. Ecce hereditas Domini, filii. [Vulgata, Salmos 126.3] Eis a herança do Senhor: os filhos.

141. Ecce homo! [Vulgata, João 19.5] Eis o homem!

142. Ecce homo vorax, et potator vini. [Vulgata, Mateus 11.19] Eis aqui um homem glutão e bebedor de vinho.

143. Ecce iterum Crispinus! [Juvenal, Satirae 4.1] Eis outra vez o Crispim! (=Lá vem de novo o assunto que já tratamos!).

144. Ecce lignum Crucis. [Da liturgia católica da Semana Santa] Eis o madeiro da Cruz.

145. Ecce mensurabiles posuisti dies meos, et substantia mea tamquam nihilum ante Te. [Vulgata, Salmos 38.6] Eis (Senhor) que puseste os meus dias em medida, e o meu ser é como nada diante de Ti. (=Sentença usada em relógios de sol).

146. Ecce mundus totus post eum abiit. [Vulgata, João 12.19] Eis aí vai após ele todo o mundo.

147. Ecce nunc patiemur philosophantem nobis asinum? [Apuleio, Metamorphoses 10.33] Será que agora teremos de agüentar um asno que nos filosofa?

148. Ecce nunc tempus acceptabile, ecce nunc dies salutis. [Vulgata, 2Coríntios 6.2] Eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação.

149. Ecce parens verus patriae. [Lucano, Bellum Civile 9.601] Eis o verdadeiro pai da pátria.

150. Ecce pietas est sapientia; abstinere autem a malis scientia est. [S.Agostinho, De Trinitate 12.22] O amor é a própria sabedoria; e afastar-se do mal é a inteligência.

151. Ecce quam bonum et quam iucundum, habitare fratres in unum! [Vulgata, Salmos 132.1] Quão bom, e quão suave é habitarem os irmãos em união!

152. Ecce quam frequens et subita magnatum mutatio. [VES 8] Vede como é freqüente e abrupta a mudança de lado dos grandes.

153. Ecce quantus ignis quam magnam silvam incendit! [Vulgata, Tiago 3.5] Vede como um pouco de fogo abrasa um grande bosque! VIDE: Ex sola scintilla conflagrat saepe tota domus. Exiguus ignis quantam silvam incendit! Scintilla, quamvis parva, magnum ignem excitat.

154. Ecce quomodo mundus suis servitoribus reddit mercedem. [Alexander Pope, Moral Essays 1.243] Eis como o mundo recompensa os seus servidores.

155. Ecce signum. Eis o sinal. Eis a prova. Ecce signum salutis. Eis o símbolo da salvação.

156. Ecce somniator venit. [Vulgata, Gênesis 37.19] Eis aí vem o sonhador.

157. Ecce sto ad ostium, et pulso: siquis audierit vocem meam, et aperuerit mihi ianuam, intrabo ad illum, et cenabo cum illo, et ipse mecum. [Vulgata, Apocalipse 3.20] Eis aí estou eu à porta, e bato; se algum ouvir a minha voz, e me abrir a porta, entrarei eu em sua casa, e cearei com ele, e ele comigo.

158. Ecce timor Domini, ipsa est sapientia, et recedere a malo, intellegentia. [Vulgata, Jó 28.28] O temor do Senhor é a própria sabedoria; e apartar-se do mal é a inteligência. VIDE: Corona sapientiae timor Domini. Initium sapientiae, timor Domini. Principium sapientiae timor Domini. Timor Domini principium sapientiae. Timor Domini principium scientiae.

159. Ecclesia non moritur. [Jur / Black 639] A Igreja não morre.

160. Ecclesia non sitit sanguinem. A Igreja não tem sede de sangue.

161. Ecclesiae et Litteris. [Divisa do King College, Bristol, Inglaterra] Para a Igreja e para a Cultura.

162. Eccum lupus in sermone. [Plauto, Stichus 571] Eis o lobo da história. Falar no mau e aparelhar o pau. Falai do ruim, e olhai para a porta. Quando se fala na albarda, aparece logo o burro. VIDE: En lupus in historia. Est lupus in fabula. Video lupum.

163. Echino asperior. [Erasmo, Adagia 2.4.81] É mais espinhoso do que um ouriço.

164. Echinus partum differt. [Erasmo, Adagia 2.4.82] O ouriço adia o parto. (=Com o adiamento cresceriam os espinhos do filhote, tornando doloroso o parto). Dilata para seu mal. Na tardança está o perigo. VIDE: Erinaceus partum differt.

165. Echinus sic echinum amat. [Pereira 94] Assim um ouriço ama o outro. Amigo como a cabra do cutelo.

166. Ecquis me hodie vivit fortunatior? [Terêncio, Eunuchus 1031] Existe hoje alguém mais feliz do que eu?

167. Ecquis nocens esse poterit usquam, si negare sufficiet? Ecquis innocens esse poterit, si accusare sufficiet? [Amiano Marcelino, Historia 18.1.4] Poderia haver jamais alguém culpado, se bastasse negar a acusação? Poderia haver alguém inocente, se bastasse acusar?

168. Edamus, bibamus, gaudeamus: post mortem nulla voluptas. [Epitáfio de Sardanapalo / Rezende 1516] Comamos, bebamos, alegremo-nos: depois da morte não há nenhum prazer. Ede, bibe, lude: post mortem nulla voluptas. [Binder, Thesaurus 928] Come, bebe, brinca: depois da morte não há nenhum prazer.

169. Edamus et bibamus: cras enim moriemur. [Pereira 99] Comamos e bebamos, porque amanhã morreremos. O que se leva desta vida é o que se come, o que se bebe e o que se brinca. VIDE: Comedamus et bibamus, cras enim moriemur. Manducemus et bibamus, cras enim moriemur.

170. Edax vetustas. [Ovídio, Metamorphoses 15.872] A voraz velhice.

171. Ede tuum nomen. [Ovídio, Metamorphoses 3.580] Come a tua fama.

172. Ede ut vivas, non vivas ut edas. [Brewer, Dictionary of Phrase and Fable] Come para viver; não vivas para comer. Comer para viver, e não viver para comer. Edas, bibas ut bene vivas; non vivas ut tantum edas et bibas. [Sweet 290] Come e bebe para que vivas bem, não vivas apenas para comer e beber. Edendum tibi est ut vivas, et non vivendum ut edas. [Pereira 99] É preciso que comas para viver, e não viver para comer. Edere oportet ut vivas, non vivas ut edas. [Cícero, Rhetoricorum 4.7] É preciso que comas para viver, não vivas para comer. VIDE: Esse decet ut vivas, vivere non ut edas. Esse oportet ut vivas, non vivere ut edas. Non ut edam vivo, sed ut vivam edo. Non vivas ut edas, sed edas ut vivere possis. Non vivendum est ut edas, sed edendum ut vivas. Oportet esse ut vivas, non vivere ut edas.

173. Edebat tribus ursis quod satis esset. [Horácio, Epistulae 1.15.34] Comia como três ursos, para ficar satisfeito.

174. Edent pauperes, et saturabuntur. [Vulgata, Salmos 21.27] Os pobres comerão e serão fartos.

175. Edentulus vescentium dentibus invidet. [Erasmo, Adagia 3.1.7] O desdentado inveja os dentes dos que comem.

176. Ēdit terra cibos quos ĕdit omnis homo. A terra produz os alimentos que todo homem come. (ēdit, de ēdĕre, dar à luz, produzir; ĕdit de ĕdĕre, comer)

177. Editio cum notis variorum scriptorum. Edição com anotações de vários escritores. VIDE: Variorum.

178. Editio cum privilegio. Edição com privilégio. (=Edição autorizada).

179. Editio expurgata. Edição expurgada.

180. Editio princeps. Edição príncipe. Edição prínceps. (=Primeira edição impressa de um livro. Edição original).

181. Editio typica. Edição oficial.

182. Editio vulgata. Uma edição popular.

183. Editor sibi vindicat ius proprietatis. O editor se reserva o direito de propriedade.

184. Edo, ergo sum. Como, logo existo. VIDE: Sum, ergo edo.

185. Educatio pupillorum nulli magis quam matri eorum commitenda est. [Jur] A educação dos menores a ninguém mais do que à mãe deles deve ser confiada.

186. Edulcare convenit vitam, curasque acerbas gubernare. [Aulo Gélio, Noctes Atticae 15.25] Convém adoçar a vida e dominar os amargos cuidados.

187. Eduxit aquam de petra. [Vulgata, Salmos 77.16] Tirou água da pedra.

188. Effare aperte. [Sêneca, Hippolytus 640] Fala abertamente.

189. Effare ocius. [Sêneca, Thyestes 639] Fala imediatamente.

190. Effector mundi Deus. Deus é o criador do mundo.

191. Effectus cognosci solet per suas causas. Costuma-se conhecer o efeito pelas causas.

192. Effectus durat, durante causa. Dura o efeito, enquanto dura a causa.

193. Effectus in omnibus consideratur. Em tudo se considera o efeito.

194. Effectus posterior sua causa. [Signoriello 72] O efeito é posterior à sua causa. Effectus sequitur causam. [Jur / Black 643] O efeito segue a causa.

195. Effectus sceleris. [Jur] O resultado do crime.

196. Efficaci do manus scientiae. [Horácio, Epodon 17.1] Eu dou as mãos a uma ciência eficaz.

197. Efficacior est omni arte necessitas. [Quinto Cúrcio, Historiae 4.3] A necessidade é mais eficaz do que qualquer ciência. A necessidade espicaça o engenho.

198. Efficacior vox operis quam sermonis. É mais eficaz a voz da ação que a dão discurso. Obras são amores, e não palavras doces. Cacarejar não é pôr ovo. Efficacius loquitur vox operis quam sermonis. Efficacius est vitae quam linguae testimonium. É mais eficaz o testemunho da vida do que da língua. Mais vale exemplo que doutrina. VIDE: Claret amor factis; dulcia verba volant. Exempla, magis quam verba, movent. Magis movent exempla quam verba. Magna ne iactes, sed praestes. Validior vox operis, quam oris. Verba sonant, exempla tonant. Vox operis validior est, quam oris.

199. Efficit ignavos patris indulgentia natos. [Pereira 115] A indulgência do pai faz dos filhos uns inúteis. O muito mimo perde os filhos.

200. Efficit insignem nimia indulgentia furem. [Pereira 117] A indulgência excessiva faz o grande ladrão. O perdão faz o ladrão. Perdoar ao mau é dizer-lhe que o seja.

201. Effreno captus amore. [Ovídio, Metamorphoses 6.450] Tomado por um amor desenfreado.

202. Effugere cupiditatem regnum est vincere. [Publílio Siro] Livrar-se da ambição é como vencer um reino. Vence quem se vence. Vencer-se a si é mais que vencer o mundo.

203. Effugere enim nemo id potest quod futurum est. [Cícero, De Natura Deorum 3.6] Ninguém consegue fugir ao que vai acontecer. Ninguém foge da sua sorte. O que há de ser tem muita força. Effugere nemo potest quod futurum est. [Medina 600]

204. Effugere non potes necessitates, potes vincere. [Sêneca, Epistulae Morales 37.3] Não podes fugir ao destino; podes vencê-lo.

205. Effugi malum, inveni bonum. [Erasmo, Adagia 3.1.2] Evitei o mal, encontrei o bem. A quem se muda Deus ajuda. Effugi mala, inveni meliora. [Schottus, Adagia 434] Fugi ao mal, encontrei o melhor. VIDE: Evasi mala, sum nactus meliora. Fugi mala, habens meliora.

206. Effugiens Charybdim, incidi in Scyllam. [Apostólio 18.52] Ao fugir de Caribde caí no Cila. Saltei da frigideira, caí nas brasas. Saí do lodo, caí no arroio. VIDE: Evitata Charybdi in Scyllam incidi. Evitata Charybdi in Scyllam concidi. Hic timens Charybdim incidit in Scyllam. Incidis in Scyllam cupiens vitare Charybdin. Incidit in Scyllam qui vult vitare Charybdin. Incidit in Scyllam, cupiens vitare Charybdim.

207. Effugit immodicas parvula puppis aquas. O pequeno barco foge das águas profundas. Barco pequeno não sai da costa. VIDE: Navis quae in flumine magna est, in mare parvula est.

208. Effugit mortem, quisquis contempserit; timidissimum quemque consequitur. [Quinto Cúrcio, Historiae 4.14] Escapa da morte quem a despreza; ela persegue quem a teme.

209. Effundit victus lacrimas; victor periit ipse. [Schottus, Adagia 583] O vencido chora, o vencedor morreu. VIDE: Flet victus, victor interiit. Qui vicit, periit; plorant qui succumbuere.

210. Effusam aquam mortario tundis pilo. [Schottus, Adagia 609] Móis com a lança a água derramada no almofariz. Malhas em ferro frio. VIDE: Aquam in mortario tundis.

211. Effusione sanguinis. Com derramamento de sangue. VIDE: Sine effusione sanguinis.

212. Effusus est omnis labor. [Pereira 98] Está perdido todo o trabalho. Botou-se tudo a perder. Lá se foi o melhor boi do meu arado. Foi tudo pro beleléu. VIDE: Ibi omnis effusus labor.

213. Egebit qui suum prodegerit. [Plauto, Mercator 10.19] Passará necessidade quem dissipar seus bens. Quem dá o que tem a pedir vem.

214. Egeni manducant panem doloris. [Binder, Thesaurus 932] Os necessitados comem o pão da dor.

215. Egens aeque est is, qui non satis habet, et is cui satis nihil potest esse. [RH 4.24] Tão pobre é quem não tem o suficiente, como aquele a quem nada pode ser suficiente.

216. Egenti as, laquei pretium. [Horácio, Sermones 2.2.98] Um ace para o pobre é o preço da corda (para se enforcar).

217. Egere praestat in solo, quam divite sulcare fluctus. [Manúcio, Adagia 1034] É melhor passar necessidade em terra que rico sulcar o mar. Antes na estrada em carro velho do que no mar em navio novo. VIDE: In terra pauperem esse praestat quam divitem navigare. In terra egere malo quam dis navigem. Praestat in terra egere quam divitem navigare. Praestat in terra pauperem esse quam divitem navigare. Tellure praestat pauperies, quam opes mari.

218. Egestas artes docet. A pobreza ensina artes. A necessidade é mãe da invenção. Não há melhor mestra do que a necessidade e a pobreza. Egestas docet artes et fames artium magistra. A pobreza ensina a inventar, e a fome é a mestra da invenção. Egestas ingeniosa. A necessidade é engenhosa. VIDE: Paupertas artes omnes perdocet. Paupertas omnes artes perdocet, ubi quem attingit. Repertrix omnium artium paupertas.

219. Egestas compellit vetulam currere. A necessidade faz a velha correr. A necessidade põe a velha a caminho. VIDE: Currere vetulam compellit egestas.

220. Egestas saepe ducit ad sapientiam. A necessidade muitas vezes conduziu à sabedoria. A necessidade aguça o entendimento.

221. Egestatem operata est manus remissa; manus autem fortium divitias parat. [Vulgata, Provérbios 10.4] A mão indolente tem produzido indigência, mas a mão dos fortes adquire riquezas.

222. Egestatis mater inertia. A preguiça é a mãe da pobreza. Sem trabalho, só a pobreza.

223. Eget minus mortalis, quo minus cupit. [Publílio Siro] Quanto menos deseja o homem, tanto menos necessidades tem. Tem bastante quem com o que tem se contenta.

224. Egi causam adversus magistratus. [Vulgata, Neemias 13.11] Tratei a causa contra os magistrados.

225. Ego ac tu idem trahimus iugum. [Erasmo, Adagia 3.4.48] Eu e tu carregamos o mesmo jugo. Eu como tu, tu como eu, um a outro o diabo prendeu. VIDE: Ego vero et tu iugum idem trahimus.

226. Ego accendam in corde tuo lucernam intellectus, quae non exstinguetur quoadusque finiantur quae incipies scribere. [Vulgata, 4Esdras 14.25] Eu acenderei no teu coração a lanterna da inteligência, que não se extinguirá até que se encerrem as coisas que começares a escrever.

227. Ego ad nihilum redactus sum, et nescivi. [Vulgata, Salmos 72.22] Eu fui reduzido ao nada, e não o entendi.

228. Ego adsum qui feci. Fui eu que fiz. VIDE: Ego feci.

229. Ego adulescentulos existimo in scholis stultissimos fieri, quia nihil ex iis quae in usu habemus aut audiunt aut vident. [Petrônio, Satiricon 1.3] Acredito que os jovens se atoleimam nas escolas, porque não ouvem nem vêem nada daquilo que temos na vida prática.

230. Ego autem mendicus sum, et pauper. [Vulgata, Salmos 39.18] Mas eu sou mendigo e pobre.

231. Ego autem ora hominum obturare non possum. [VES 102] Não posso tapar a boca dos homens.

232. Ego certe credere malim quam experiri. [Rezende 1534] Eu sem dúvida preferiria crer a experimentar. Mais vale experimentá-lo que julgá-lo, mas julgue-o quem não pode experimentá-lo. [Camões]

233. Ego coniungo vos in matrimonium. [Fórmula de casamento da liturgia católica] Eu vos uno em matrimônio. VIDE: Coniungo vos.

234. Ego curavi, Deus sanavit. [Stevenson 1950] Eu cuidei, Deus curou. Deus é que sara, e o mestre leva a prata.

235. Ego de alliis tibi loquor, tu autem de caepis respondes. [Apostólio 20.52] Eu te falo de alhos, mas tu me respondes com cebolas. Falo-lhes em alhos, respondem-me com bugalhos. Misturas alhos com bugalhos. Tomais sesta por balhesta. Ego de, ille vero de caepis. Eu falo de alhos, eles, de cebolas. Ego de caelo, tu de terra. Eu te falo do céu, tu me respondes da terra. Ego de caseo loquor, tu de creta respondes. [Bailey, Divers Proverbs 6] Eu te falo de queijo, tu me respondes de giz. VIDE: De alliis loquenti respondet de caepis. Ego loquor de alliis, tu respondes de caepis. Ego tibi de alliis loquor, tu respondes de caepis.

236. Ego dedi causam negotio; ego me tradam pro toto populo. [VES 68] Fui eu que causei o problema; eu me entregarei por todo o povo.

237. Ego dies et noctes cogito. Penso dia e noite.

238. Ego dilecto meo, et dilectus meus mihi. [Vulgata, Cântico 6.2] Eu sou para o meu amado, e o meu amado é para mim.

239. Ego dixi in excessu meo: omnis homo mendax. [Vulgata, Salmos 115.11] Eu disse no meu exagero: Todo homem é mentiroso.

240. Ego dormio et cor meum vigilat. [Vulgata, Cântico 5.2] Eu durmo, e meu coração vela.

241. Ego dormivi, et soporatus sum, et exsurrexi. [Vulgata, Salmos 3.6] Eu adormeci, e estive sepultado no sono, e levantei-me.

242. Ego eadem non volo senex, quae puer volui. [Sêneca, Epistulae Morales 61.1] Agora, que estou velho, eu não desejo o mesmo que desejei quando menino.

243. Ego enim didici, in quibus sum, sufficiens esse. [Vulgata, Filipenses 4.11] Aprendi a contentar-me com o que tenho.

244. Ego esse miserum credo, cui placet nemo. [Marcial, Epigrammata 5.28.9] Eu considero um infeliz aquele a quem ninguém agrada.

245. Ego feci. Fui eu que fiz. VIDE: Ego adsum qui feci.

246. Ego fidem meam malo quam thesauros. [Petrônio, Satiricon 57.9] Eu prefiro meu crédito a tesouros. Mais vale crédito na praça do que dinheiro em caixa.

247. Ego flos campi, et lilium convalium. [Vulgata, Cântico 2.1] Eu sou a flor do campo, a açucena dos vales.

248. Ego fui quod tu es, tu eris quod ego sum. [Inscrição em túmulo] Fui o que és, serás o que sou. Eu sou você amanhã. Hoje sou eu, amanhã serás tu. VIDE: Ego sum quod hic fuit, quod hic est, ego ero. Quod tu es, ego fui; quod nunc sum, et tu eris.

249. Ego hic esse et illic simul haud potui. [Plauto, Mostellaria 783] Eu não podia estar ao mesmo tempo aqui e lá. Não se pode bater o sino e carregar o andor. Ego hic esse et illic simul haud possum. Não posso estar aqui e lá. VIDE: Hic esse et illic simul non possum.


250. Ego homo sum sub potestate constitutus. [Vulgata, Mateus 8.9] Também eu sou homem subordinado a outro.

251. Ego illos veneror, et tantis nominibus semper assurgo. [Sêneca, Epistulae Morales 64] Venero esses homens, e sempre me levanto diante de nomes tão grandes.

252. Ego illum periisse dico cui quidem periit pudor. [Plauto, Bacchides 485] Conto como perdido aquele que perdeu a vergonha.

253. Ego in portu navigo. [Terêncio, Andria 480] Estou navegando no porto. (=Estou em segurança). VIDE: In portu res est. In portu navigo. In portu navigatur. In portu inveho.

254. Ego incipio; conata exsequar. [Accius, Atreus] Eu começo; realizarei o empreendimento. Obra começada, meio acabada.

255. Ego istos novi polypos, qui ubi quidquid tetigerunt tenent. [Plauto, Aulularia 155] Conheço estes pólipos que, quando tocam alguma coisa, agarram. (=Polypus, neste texto, significa homem rapace).

256. Ego iudex non sum, quoniam partes ambas audire non possum. [S.Agostinho, Epistulae 220] Eu não sou o juiz, porque não posso ouvir ambas as partes.

257. Ego loquor de alliis, tu respondes de caepis. [Pereira 123] Eu te falo de alhos, tu me respondes sobre cebolas. Falo-lhes em alhos, respondem-me com bugalhos. Misturas alhos com bugalhos. Tomais sesta por balhesta. VIDE: De alliis loquenti respondet de caepis. Ego de alliis tibi loquor, tu autem de caepis respondes. Ego de caseo loquor, tu de creta respondes. Ego tibi de alliis loquor, tu respondes de caepis.

258. Ego malo virum qui pecunia egeat quam pecuniam quae viro. [Temístocles / Cícero, De Officiis 2.20] Prefiro o homem que não tenha dinheiro ao dinheiro que não tenha homem. Antes homem sem dinheiro que dinheiro sem homem. VIDE: Malo virum pecunia quam pecuniam viro indigentem.

259. Ego me bene habeo. [Tácito, Annales 14.50] Estou-me sentindo bem. (=Últimas palavras de Sexto Afrânio Burrus).

260. Ego me convertam in hirudinem atque eorum exsugebo sanguinem. [Plauto, Epidicus 188] Eu me transformarei numa sanguessuga e sugarei o sangue deles.

261. Ego me curo, equum servus. [Aulo Gélio, Noctes Atticae 4.20] De mim sou eu que trato, do cavalo é o criado. (=Por isso é que eu estou bem tratado e o cavalo não). Quem quer faz, quem não quer manda. Se queres ser bem servido, serve-te a ti mesmo.

262. Ego me in pedes quantum queo. [Terêncio, Eunuchus 844] Eu fujo enquanto posso.

263. Ego meorum solus sum meus. [Terêncio, Phormio 587] Das minhas coisas, só eu é que sou meu.

264. Ego misi vos metere quod vos non laborastis. [Vulgata, João 4.38] Eu enviei-vos a segar o que vós não trabalhastes.

265. Ego ne utilem quidem arbitror esse nobis futurarum rerum scientiam. [Cícero, De Divinatione 2.9.1] Não creio que o conhecimento do futuro nos seja útil. VIDE: Certe igitur ignoratio futurorum malorum utilior est quam scientia.

266. Ego non magis istiusmodi curo, quam ranas in paludibus. [Schottus, Adagia 480] Eu me preocupo tanto com isso quanto com as rãs no charco. Tanto se me dá disso como de chiar um carro.

267. Ego non sum de hoc mundo. [Vulgata, João 8.23] Eu não sou deste mundo.

268. Ego non sum dignus ut solvam eius corrigiam calceamenti. [Vulgata, João 1.27] Eu não sou digno de desatar a correia dos seus sapatos.

269. Ego nunc sycophantae huic sycophantare volo. [Plauto, Trinummus 923] Eu quero pregar uma peça nesse impostor.

270. Ego nunquam studui malefacta cuiusquam cognoscere. [Apuleio, Apologia 16] Eu nunca quis tomar conhecimento das faltas de quem quer que seja.

271. Ego odi homines ignava opera, et philosopha sententia. [Pacúvio / Aulo Gélio, Noctes Atticae 13.8] Odeio os homens de ação preguiçosa e de discurso filosófico.

272. Ego pausam feci. [Plauto, Poenulus 458] Eu parei um pouco.

273. Ego plantavi, Apollo rigavit, sed Deus incrementum dedit. [Vulgata, 1Coríntios 3.6] Eu plantei, Apolo regou, mas Deus deu o crescimento. VIDE: Homo plantat, homo irrigat, sed Deus dat incrementum.

274. Ego pretium ob stultitiam fero. [Terêncio, Andria 610] Eu pago o preço de minha insensatez.

275. Ego primam tollo, nominor quoniam leo. [Fedro, Fabulae 1.5.7] Fico com a primeira parte, porque me chamo leão. Manda quem pode, obedece quem tem juízo. VIDE: Infida societas regni. Iniqua partitio. Leonina societas. Nunquam est fidelis cum potente societas. Primo mihi. Quia nominor leo.

276. Ego primus, et ego novissimus. [Vulgata, Isaías 48.12] Eu sou o primeiro e o último. VIDE: Primus et novissimus ego sum.

277. Ego proximus mihi. Meu parente sou eu mesmo. Parentes são meus dentes. Sinto mais e é-me mais precisa a pele que a camisa. VIDE: Egomet proximus sum mihi. Proximus mihi ego. Proximus sum egomet mihi. Quisque sibi est proximus.

278. Ego, quae tu loquere, flocci non facio, senex. [Plauto, Rudens 693] Não dou a menor importância ao que dizes, meu velho.

279. Ego quasi agnus mansuetus qui portatur ad victimam. [Vulgata, Jeremias 11.18] Eu era como um manso cordeiro que é levado a ser vítima.

280. Ego quos amo, arguo et castigo. [Vulgata, Apocalipse 3.19] Eu repreendo e castigo os que amo. Quem bem ama bem castiga. Quem ama castiga. Ego quos diligo arguo. [Bernardes, Luz e Calor 1.73] Eu repreendo os que amo. VIDE: Qui bene amat, bene castigat. Qui bene amat, satis castigat.

281. Ego reges eieci, vos tyrannos introducitis. [RH 4.66] Eu derrubei reis, e vós introduzis tiranos.

282. Ego semper apros occido, sed alter semper utitur pulpamento. [Diocleciano / Flávio Volpisco, Carus Carinus 15.1 / Rezende 1533] Sou sempre eu que mato os javalis, mas é sempre outro que come a carne. Nem sempre dança quem paga a música. O bocado não é para quem o faz. Ego apros occido, sed alter fruitur pulpamento. [Manúcio, Adagia 204] VIDE: Alter occidit apros, alter pulpamento fruitur.

283. Ego seram, et alius comedat. [Vulgata, Jó 31.8] Semeie eu, e outro o coma. Um semeia, outro colhe. O bocado não é para quem o faz. Nem sempre dança quem paga a música. VIDE: Alii laborarunt, alii fructum ceperunt. Alii laborarunt, lucrum alii reportarunt. Alii laborabant, alii autem fruebantur. Alii sementem faciunt, alii metent. Alii seminant, metent alii. Alii serunt, alii metunt. Alius est qui seminat, et alius est qui metit. Hic consevit agrum, sed fruges demetit alter.

284. Ego si bonam famam mihi servabo, sat ero dives. [Plauto, Mostelaria 224] Se eu conservar meu bom conceito, serei bastante rico. Mais vale crédito na praça do que dinheiro em caixa.

285. Ego spem pretio non emo. [Terêncio, Adelphi 219] Eu não compro esperança. Não compro nem vendo ilusões. Não compro nabos em saco. VIDE: Spem pretio non emo.

286. Ego sum alpha et omega, primus et novissimus, principium et finis. [Vulgata, Apocalipse 22.13] Eu sou o alfa e o ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim.

287. Ego sum frater tuus, noli metuere. [Vulgata, Ester 15.12] Sou teu irmão; não temas.

288. Ego sum lux mundi. [Vulgata, João 8.12] Eu sou a luz do mundo.

289. Ego sum panis vitae. [Vulgata, João 6.35] Eu sou o pão da vida.

290. Ego sum pastor bonus. [Vulgata, João 10.11] Eu sou um bom pastor.

291. Ego sum qui sum. [Vulgata, Êxodo 3.14] Eu sou quem sou.

292. Ego sum quod hic fuit, quod hic est, ego ero. [Inscrição em túmulo / Rezende 1546] Sou o que este foi, serei o que este é. VIDE: Ego fui quod tu es, tu eris quod ego sum. Quod tu es, ego fui; quod nunc sum, et tu eris.

293. Ego sum rex Romanus et supra grammaticam. [Atribuído ao Imperador Sigismundo I / Rezende 1544] Eu sou rei romano e estou acima da gramática.

294. Ego sum stella splendida et matutina. [Vulgata, Apocalipse 22.16] Eu sou a estrela resplandescente da manhã.

295. Ego sum via, veritas et vita. [Vulgata, João 14.6] Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

296. Ego talentum mutuum quod dederam, talento inimicum mihi emi, amicum vendidi. [Plauto, Trinummus 1020] Eu, que emprestei um talento, por um talento comprei um inimigo e vendi um amigo. Quem empresta a um amigo perde o dinheiro e o amigo. VIDE: Vel illud, quod credideris perdas, vel illum amicum amiseris.

297. Ego te baptizo in nomine Patris, et Filii et Spiritus Sancti. [Fórmula de Batismo, da liturgia católica] Eu te batizo em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

298. Ego te intus et in cute novi. [Pérsio, Satirae 3.30] Conheço-te por dentro e por fora. VIDE: Intus et in cute.

299. Ego tibi de alliis loquor, tu respondes de caepis. [Erasmo, Adagia 3.4.35] Eu te falo de alhos, tu me respondes com cebolas. Falo-lhes em alhos, respondem-me com bugalhos. Misturas alhos com bugalhos. Tomais sesta por balhesta. VIDE: De alliis loquenti respondet de caepis. Ego de alliis tibi loquor, tu autem de caepis respondes. Ego loquor de alliis, tu respondes de caepis. Ego de caseo loquor, tu de creta respondes.

300. Ego tu sum, tu es ego; uni animi sumus. [Plauto, Stichus 721] Eu sou tu, tu és eu; nós temos uma só alma.

301. Ego utrum nave ferar magna an parva, ferar unus et idem. [Horácio, Epistulae 2.2.199] Se navego em barco grande ou em barco pequeno, eu sou um e sempre o mesmo.

302. Ego veni ut vitam habeant, et abundantius habeant. [Vulgata, João 10.10] Vim para que eles tenham vida, e para a terem em maior abundância.

303. Ego vero et tu iugum idem trahimus. [Albertatius 393] Eu e tu carregamos o mesmo jugo. Estamos no mesmo barco. VIDE: Idem iugum ducimus. Meo laborat morbo.

304. Ego vero nihil impossibile arbitror. [Apuleio, Metamorphoses 1.20] Eu na verdade acho que nada é impossível. Impossível é desculpa de mau pagador. Impossível é Deus pecar. VIDE: Nihil impossibile arbitror.

305. Ego verum amo, verum volo dici mihi; mendacem odi. [Plauto, Mostellaria 177] Eu amo a verdade e quero que a verdade me seja dita; odeio o mentiroso.

306. Ego vix risum contineo. Custa-me conter o riso. VIDE: Nimium aegre risum contineo.

307. Ego volo ea, tu non vis; quae nolo, ea cupis. [Névio, Fragmenta] Eu quero isto, tu não queres; o que não quero, tu desejas.

308. Ego vos hortor tantum possum ut amicitiam omnibus rebus humanis anteponatis. [Cícero, De Amicitia 17] Eu vos exorto quanto posso a que anteponhais a amizade a todas as coisas humanas.

309. Ego vos sequor, non duco. [Sêneca, Thyestes 486] Eu vos sigo, não conduzo.

310. Ego vox clamantis in deserto. [Vulgata, João 1.23] Eu sou a voz do que clama no deserto. Pregar no deserto, sermão perdido. VIDE: Vox clamantis in deserto.

311. Egomet inter vivos vivo mortuus. [Aulo Gélio, Noctes Atticae 2.13.10] Eu, que estou morto, vivo entre vivos.

312. Egomet meo indicio miser quasi sorex hodie perii. [Terêncio, Eunuchus 1024] Pobre de mim! Hoje eu me dei mal, denunciando a mim mesmo, como o rato! VIDE: Sorex suo perit indicio. Suo ipsius indicio periit sorex. Suo ipsius indicio perit fur.

313. Egomet mi ignosco. [Horácio, Sermones 1.3.23] Eu mesmo me perdôo. Egomet mihi ignosco.

314. Egomet proximus sum mihi. Meu parente sou eu mesmo. Parentes são meus dentes. Sinto mais e é-me mais precisa a pele que a camisa. VIDE: Ego proximus mihi.

315. Egomet sum hic, animus domi est. [Plauto, Aulularia 138] Eu mesmo estou aqui, mas meu espírito está em casa.

316. Egomet sum mihi imperator. [Plauto, Mercator 852] Eu sou meu próprio comandante.

317. Egregia facinora immortalia sunt. [Salústio, Bellum Iugurthinum 2] Os grandes feitos são imortais.

318. Egregia musica quae sit abscondita nullius rei est. [Albertatius 394] A música magnífica que está escondida não tem valor nenhum. O saber escondido da ignorância vista pouco dista. Egregia musica quae sit abscondita nulli rei est. [Polydorus, Adagia] VIDE: Abdita quid prodest generosi vena metalli, si cultore caret? Si solus sapias, nempe quis usus erit? Musica abscondita nulli rei est. Musicae occultae nullus respectus. Non erit ignotae gratia magna lyrae. Nullus latentis musicae respectus est. Occultae musicae nullum esse respectum. Occultae musicae nullus respectus. Si solus sapias, nempe quis usus erit?

319. Egregie docti nonnunquam in minimis quibusdam labuntur. [Grynaeus 131] Os homens muito cultos às vezes tropeçam em coisas mínimas. Até os sábios se enganam.

320. Egregie mentiri potest qui ex loco longe dissito venit. [DAPR 443] Pode pregar grandes mentiras quem vem de lugar muito afastado. Quem vem de longe conta como quer. Grandes viagens, grandes mentiras. Longas vias, longas mentiras. VIDE: Longum iter emensus, mendacia longa reportat.

321. Egregio vati vinum fit equus celer omni. [Schottus, Adagia 159] O vinho se torna o célere corcel de todo poeta eminente. VIDE: Sane magnus equus lepido sunt vina poëtae. Vinum poëtarum caballus.

322. Egregios faciet mentis constantia mores. [Columbano, Monosticha] A firmeza do espírito formará o caráter excelente.

323. Egregios invitant praemia mores. [Claudiano, De Consulatu Stilichonis 2.120] Os prêmios estimulam excelentes costumes.

324. Egressus est non viis sed tramitibus. [Cícero, Philippica 13.19] Ele não partiu por estradas, mas por atalhos.

325. Eheu! Dum loquimur fugit irremeabile tempus. [Inscrição em quadrante solar] Ai de nós! Enquanto falamos foge o tempo sem retorno. VIDE: Dum loquimur, fugit invida aetas.

326. Eheu! fugaces labuntur anni! [Horácio, Carmina 2.14.1] Ai de nós! Os anos fogem rapidos!

327. Eheu! nullum infortunium venit solum. [Schrevelius 1184] Ah! nenhuma desgraça vem só. Uma desgraça nunca vem só. VIDE: Calamitas nulla sola. Fortuna obesse nulli contenta est semel. Malis mala succedunt. Nulla calamitas sola. Nullum infortunium venit solum.

328. Eheu! Quam festinant dies. [Inscrição em quadrante solar] Ai! Como os dias são apressados.

329. Eheu! quam miserum est fieri metuendo senem! [Publílio Siro] Ai! Que infelicidade envelhecer na inquietude!

330. Ei autem qui operatur merces non imputatur secundum gratiam, sed secundum debitum. [Vulgata, Romanos 4.4] Ao que obra não se lhe conta o jornal por graça, mas por dívida.

331. Ei ignoscitur, qui puniri debuit. [Sêneca, De Clementia 2.7.1] Perdão se dá a quem devia ser punido.

332. Ei incumbit probatio, qui dicit, non qui negat. [Paulo, Digesta 22.3.2] A prova cabe a quem afirma, não a quem nega. Ei qui affirmat, non ei qui negat, incumbit probatio. [Broom 253] VIDE: Affirmanti, non neganti, incumbit probatio. Affirmanti incumbit probatio. Alleganti probatio incumbit. Factum asseverans onus subit probationis. Probatio incumbit asserenti.

333. Ei qui semel sua prodegerit, aliena credi non oportere. [Alciato, Emblema 54] Não convém confiar nossos bens a quem uma vez dissipou os próprios. A quem do seu foi mau despenseiro, não confies teu dinheiro.

334. Eia age, rumpe moras! [Virgílio, Eneida 4.569] Vamos; nada de demora!

335. Eice primum trabem de oculo tuo, et tunc perspicies ut educas festucam de oculo fratris tui. [Vulgata, Lucas 6.42] Tira primeiro a trave do teu olho, e depois verás para tirar a aresta do olho de teu irmão. Eice primum trabem de oculo tuo, et tunc videbis eicere festucam de oculo fratris tui. [Vulgata, Mateus 7.5]

336. Eicite ex animo curam. [Plauto, Casina, Prologus 23] Expulsai a preocupação de vossos corações.

337. Eis nunc praemium est, qui recta prava faciunt. [Terêncio, Phormio 771] Atualmente o prêmio é para aqueles que dão ao mal a aparência do bem.

338. Eius cantilenam cane, cuius plaustro veheris. [Gaal 248] Cantarás a cantiga daquele em cujo carro viajares. Aquele louvar devemos, cujo pão comemos. VIDE: Cuius edis panem, illius et aspice nutum. Cuius edo panes, illius et debeo aspicere nutum. Cuius edo panes, illius cantilenam cano. Siceram cuius quis bibit, huius et carmen canat.

339. Eius consortium cane peius et angue vita. Evita a companhia dele mais do que a de um cão e de uma cobra. Foge dele como o diabo da cruz. VIDE: Aliquem cane peius et angue vitare. Odit cane peius et angue.

340. Eius dentes vel silicem comedere possunt. [Rezende 1567] Seus dentes podem comer até pedra. VIDE: Quorum dentes vel silicem comesse possunt.

341. Eius est interpretari, cuius est condere (legem). [Jur / Black 645] Explicar a lei compete a quem compete criá-la.

342. Eius est nolle, qui potest velle. [Ulpiano, Digesta 50.17.3] Quem pode querer, pode não querer.

343. Eius est periculum cuius est dominium aut commodum. [Jur / Black 645] Quem tem o domínio ou a vantagem, tem o risco.

344. Eius est vetare cuius est permittere. [Jur] Quem pode permitir pode proibir. Eius est vetare qui potest permittere.

345. Eius nulla culpa est, cui parere necesse sit. [Jur / Black 645] Quem é obrigado a obedecer não tem nenhuma culpa. VIDE: Is damnum dat, qui iubet dare; eius vero nulla culpa est, cui parere necesse est.

346. Eiusdem ferme sunt farinae irrisor, stultus et ignarus. [Schrevelius 1171] São quase da mesma farinha o zombeteiro, o tolo e o ignorante.

347. Eiusdem generis. Do mesmo gênero. Da mesma classe. Da mesma natureza.

348. Eiusdem iuris esse debent, qui sub eodem rege victuri sunt. [Quinto Cúrcio, Historiae 10.3] Devem ficar sob a mesma lei os que vão viver sob o mesmo rei.

349. Eiusmodi mortalium sunt res, ut in eodem nihil duret statu. [Eurípides / Grynaeus 262] As coisas dos mortais são de tal modo que nada possa durar no mesmo estado.

350. Elapsam occasionem non ipse possit Iuppiter reprehendere. Nem o próprio Júpiter pode recuperar uma oportunidade perdida. A sorte bate uma vez só à porta de cada pessoa. Elapsum semel non ipse possit Iuppiter reprehendere. [Fedro, Fabulae 5.8.3] O que foi perdido nem o próprio Júpiter pode recuperar.

351. Elapso tempore. Esgotado o tempo.

352. Electa una via, non datur recursus al alteram. [Jur / Black 646] Escolhido um caminho, não é dado recurso para outro.

353. Electiones fiant rite et libere sine interruptione aliqua. [Jur / Black 648] As eleições devem ser feitas na forma devida e com liberdade, sem qualquer interrupção.

354. Electro lucidior. [Pereira 99] Mais brilhante do que o raio. Claro como água.

355. Eleemosyna non tam accipientibus prodest quam dantibus. [DM 55] A esmola não favorece tanto a quem a recebe como a quem a dá.

356. Elegantia sermonis. A elegância da linguagem.

357. Elegantiae arbiter. [Tácito, Annales 16.18] O árbitro da elegância. (=Alcunha de Petrônio). VIDE: Arbiter elegantiae. Arbiter elegantiarum.

358. Elegi te in camino paupertatis. [Vulgata, Isaías 48.10] Eu te escolhi na fornalha da pobreza.

359. Elementa quattuor: tellus atque unda, aër atque ignis. São quatro os elementos: a terra e a água, o ar e o fogo.

360. Elephantem ex musca facis. [Apostólio 8.14] De uma mosca fazes um elefante. (=Exagerar. Aumentar as coisas. Engrandecer quem não merece). Fazer de uma mosca um elefante. De um argueiro fazes um cavaleiro. Fazes de uma pulga um cavaleiro armado. Fazes de uma pulga um camelo. VIDE: Arcem ex cloaca facere. Elephantum ex musca facis. Elephantum e mure facis. Ex musca elephantem.

361. Elephantem saltare doces. [Schottus, Adagia 275] Ensinas o elefante a dançar. Malhas em ferro frio.

362. Elephanto belluarum nulla prudentior. [Cícero, De Natura Deorum 1.35] Nenhum animal selvagem é mais prudente do que o elefante.

363. Elephantos porcina vox terret. [Sêneca, De Ira 2.11.5] O grunhir do porco apavora os elefantes.

364. Elephantum ex musca facis. [Erasmo, Adagia 1.9.69] De uma mosca fazes um elefante. De um argueiro fazes um cavaleiro. Fazes de uma pulga um cavaleiro armado. Elephantum e mure facis. [Schottus, Adagia 212] De um rato fazes um elefante. VIDE: Elephantem ex musca facis. Ex musca elephantem.

365. Elephantum sub alis celas. [Pereira 121] Escondes um elefante no sovaco. Queres tapar o sol com uma peneira. Queres cobrir o céu com uma joeira. Elephantum sub alis occultas.

366. Elephantus culicem non curat. [Pereira 107] O elefante não faz caso do mosquito. Homem grande não desce a coisas baixas. Elephantus Indus non hili culicem facit. [Schottus, Adagia 615] Elephas indus culices non timet. [Rezende 1573] Elefante não tem medo de mosquitos. Elephas muscam non curat. O elefante não dá importância à mosca. Elephas non capit muscas. Elefante não caça moscas. VIDE: Culices elephas non curat. Indus elephantus haud curat culicem.

367. Elephantus non capit murem. [Manúcio, Adagia 393] Elefante não apanha camundongo. As águias não caçam moscas. Homem grande não desce a coisas baixas. Elephas murem non capit. [Schottus, Adagia 69] Elephas murem non mordet. [Apostólio 8.15] Elephantus non capit murem, nec aquila muscas. [Erasmo, Adagia 1.9.70] O elefante não apanha ratos, nem a águia, moscas. VIDE: Animus excelsus res humiles dispicit. Aquila non capit muscas. Aquila non captat muscas. Aquila non aucupatur muscas. Murem elephas non capit.

368. Eligat aequalem prudens sibi quisque sodalem. [Trench, Proverbs] Quem for prudente deverá escolher um igual por companheiro. Casar e compadrar, cada qual com seu igual. Cada qual com seu igual, e cada ovelha com sua parelha.

369. Elige cui dicas: tu mihi sola places. [Ovídio, Ars Amatoria 1.42] Escolhe a quem dirás: só tu me agradas.

370. Elige ergo vitam, ut et tu vivas, et semen tuum. [Vulgata, Deuteronômio 30.19] Escolhe pois a vida, para que vivas tu e a tua posteridade.

371. Elige eum cuius tibi placuit et vita et oratio. [Sêneca, Epistulae Morales 11.10] Escolhe aquele cuja vida e eloqüência te agradaram.

372. Elige ex malis minima. Dos males escolhe os menores. Dos males, o menor. VIDE: De duobus malis minus malum est eligendum. De duobus malis, minus est deligendum. De duobus malis, minus est semper eligendum. E duobus malis minus eligendum. E duobus malis, cum maius fugiendum sit, levius est eligendum. E malis multis malum quod minimum est. Ex malis eligere minima oportere. Minima de malis eligenda. Minima de malis. Minus damnum maiori anteponendum.

373. Elige quem diligas! Escolhe a quem vais amar! Eligas quem diligas! [Eiselein 185] VIDE: Delige quem diligas! Deligere oportet quem velis diligere. Ne cuivis dextram inieceris.

374. Elige viam optimam. [Grynaeus 129] Escolhe o melhor caminho.

375. Eliguntur in aedificio lapides angulares, non reprobatis ceteris, qui structurae partibus aliis deputantur. [Tertuliano, Ad Nationes 2.9 / S.Agostinho, De Civitate Dei 7.1.2] Para um edifício escolhem-se as pedras angulares, sem rejeitar as outras, que são destinadas às outras partes da construção.

376. Eliguntur uvae ad vescendum, nec reprobantur aliae, quas relinquimus ad bibendum. [S.Agostinho, De Civitate Dei 7.12.2] Escolhem-se umas uvas para comer, mas não são rejeitadas as outras, que deixamos para fazer bebida.

377. Eloquar? An sileam? [Virgílio, Eneida 3.39] Devo falar? Devo calar? Eloquarne, an sileam? [Erasmo, Moriae Encomium 30]

378. Eloquentia, alumna licentiae, quam stulti libertatem vocitant. [Tácito, De Oratoribus 40] A eloqüência, essa discípula da licença, que os tolos chamam de liberdade.

379. Eloquentia fortitudine praestantior. [Alciato, Emblemata 181] Eloqüência vale mais que valentia. De uma boa conversa ninguém escapa.

380. Eloquentia male sine moribus discitur. [Grynaeus 234] Sem princípios morais, não se aprende bem a eloqüência.

381. Eloquentia sine sapientia gladius est in manu furiosi. [Albertano da Brescia, Liber de Amore 3.7] Eloqüência sem sabedoria é espada em mão de louco.

382. Eloquentiae flumen, sapientiae gutta. Um rio de eloqüência, uma gota de sabedoria. Muito falar, pouco saber.

383. Elucet egregia virtus. [Erasmo, Adagia 3.8.62] A grande virtude resplandece. A luz, onde está, logo aparece.

384. Emancipatione desinunt liberi in potestate parentum esse. [Jur] Pela emancipação deixam os filhos de estar sob o pátrio poder.

385. Emas non quod opus est, sed quod necesse. [Marcos Catão / Sêneca, Epistulae Morales 94.28] Comprarás não o que te é útil, mas o que te é necessário. Quem compra o que não pode vende o que não deve. Eme non quod opus est, sed quod necesse est.

386. Eme die caeca olivum, id vendito oculata die. [Plauto, Pseudolus 294] Compra o óleo a prazo, e vende-o à vista. VIDE: Emere die caeca, vendere oculata.

387. Eme et habebis. [Inscrição em balanças de negociantes de Pompéia / Bivar 412] Compra e terás.

388. Emendatio nulla, ubi nullus est metus. [Tertuliano, De Paenitentia 2.1, adaptado] Quando não há medo, ninguém se corrige. O medo é que guarda a vinha.

389. Emendatio pars studiorum longe utilissima. [Quintiliano, Institutio Oratoria 10.4.1] A revisão é de longe a parte mais útil dos estudos.

390. Emere catulum in sacco. [Spalding, Guia Prático 116] Comprar um cachorrinho dentro de um saco. Comprar nabos em saco.

391. Emere die caeca, vendere oculata. [Pereira 124] Comprar fiado, vender de contado. Comprar a crédito, vender à vista. VIDE: Eme die caeca olivum, id vendito oculata die.

392. Emere malo quam rogare. [Cícero, In Verrem 4.6.12] Prefiro comprar a pedir. Caro se compra o que se pede. Mais barato é o comprado do que o pedido.

393. Emere oportet, quem tibi oboedire velis. [Plauto, Persa 277] É preciso comprar as pessoas que queres que te obedeçam.

394. Emersit ex asinis equus tardigradis. De asnos vagarosos saiu um cavalo. Cavalo formoso de potro sarnoso. VIDE: A tardigradis asinis equus prosiliit. A tardigradis asinis equus prodiit. A tardigradis asinis ad equos. E tardigradis asinis equus prodiit. E tardo asino equus prodiit.

395. Eminentia feriunt procellae. As tempestades ferem as coisas elevadas. Raio não cai em pau deitado.

396. Eminentis fortunae comes invidia. [Veleio Patérculo, Historia 1.9] A inveja é companheira da sorte grande. A inveja sempre atina lugares altos.

397. Eminet non imminet. [Divisa do Cardeal Mazarino / Rezende 1577] Ele domina, mas não ameaça.

398. Emit morte immortalitatem. [Quintiliano, Institutio Oratoria 9.3.71] Com a morte adquiriu a imortalidade.

399. Emitur sola virtute potestas. [Claudiano, Tertium Consulatum 188] O poder só se adquire com a coragem.

400. Emori risu. [Erasmo, Adagia 4.1.86] Morrer de rir. VIDE: Risu omnes qui aderant emoriri.
401. Empta dolore docet experientia. A experiência adquirida com sofrimento ensina. A experiência que não dói, muito pouco ou nada aproveita.

402. Emptio consensu peragitur. [Digesta 18.1.1.2] A compra se completa pela concordância.

403. Emptio et venditio contrahitur, simul atque de pretio convenerit. [Institutiones 3.23.1] A compra e venda se fazem logo que se tenha acordado o preço. Emptio nulla sine pretio. [Jur] Não há compra sem preço.

404. Emptor emit quam minimo potest, venditor vendit quam maximo potest. [Jur / Black 658] O comprador compra pelo menor preço que pode; o vendedor vende pelo maior preço que pode.

405. Emunctae naris homo. [Pereira 107] Um homem de nariz assoado. (=Um homem de bom juízo, de bom gosto).

406. Emungens acrius elicet sanguinem. [Bernardes, Nova Floresta 2.254] Quem assua com força, tirará sangue. VIDE: Qui fortiter emungit elicit sanguinem. Qui vehementer emungit elicit sanguinem.

407. En ego confiteor: tua sum nova praeda, Cupido. [Ovídio, Amores 1.2.19] Cupido, eu reconheço: sou tua nova presa.

408. En ego Fortuna! Si starem sorte sub una et non mutarer, nunquam Fortuna vocarer. [Werner] Eu sou a Fortuna! Se eu permanecesse sob uma única sorte e não mudasse, nunca seria chamada de Fortuna.

409. En illa, illa quam saepe optastis, libertas. [Salústio, Catilina 20.5] Ei-la, ei-la, a liberdade que tantas vezes desejastes.

410. En lupus in historia. Eis o lobo da história. Falar no mau e aparelhar o pau. Falai do ruim, e olhai para a porta. En lupus in fabula. VIDE: Eccum lupus in sermone. Est lupus in fabula. Video lupum.

411. En quo discordia cives produxit miseros! [Virgílio, Eclogae 1.71] Eis para onde a discórdia conduziu nossos infelizes concidadãos!

412. Encomia canere ante victoriam. [Binder, Thesaurus 951] Cantar os louvores antes da vitória. VIDE: Epinicium ante victoriam. Non est canendum epinicium ante victoriam.

413. Enecat ingentem vipera parva bovem. [Gaal 914; Binder, Medulla 410] Pequena cobra mata boi grande. Pequeno machado derruba grande carvalho. Não há pequeno inimigo. VIDE: A cane non magno saepe tenetur aper. Parva necat morsu spatiosum vipera taurum. Ut noceat sat quisque potens.

414. Ens Entium. O Ser dos Seres. O Ser Supremo.

415. Ens legis. [Jur / Black 664] Pessoa jurídica.

416. Ense cadunt multi, perimit sed crapula plures. [Gaal 1342] Muitos caem pela espada, porém bebedeira detrói mais gente. Mais homens se afogam no copo que no mar. VIDE: Ancipiti plus ferit ense gula. De plenis cyathis multos periisse sciatis. Plures interficit cena quam gladius.

417. Ense et aratro. [Divisa do Marechal Bougeaud / Rezende 1584] (Servimos à pátria) com a espada e com o arado.

418. Ense petit placidam sub libertate quietem. [Divisa do Estado de Massachusetts, EUA] Com a espada, busca a paz tranqüila sob a liberdade. VIDE: Manus haec inimica tyrannis ense petit placidam sub libertate quietem.

419. Ensis corpus vulnerat, mentem sermo. [Schrevelius 1180] O corpo é a espada que fere; a mente, é a palavra. Ensis vulnerat corpus, mentem oratio.

420. Entia non sunt multiplicanda praeter necessitatem. [William de Ockham, Quodlibeta] Entidades não devem ser multiplicadas desnecessariamente.

421. Enumerare omnes fatorum vias longum est. [Sêneca, Epistulae Morales 91.12] Seria longo enumerar todos os caminhos do destino.

422. Enumerari non possunt stellae caeli, et metiri arena maris. [Vulgata, Jeremias 33.22] As estrelas do céu não podem ser contadas, nem ser medida a areia do mar.

423. Enumerat miles vulnera, pastor oves. [Propércio, Elegiae 2.1.45] O soldado conta os ferimentos, o pastor conta as ovelhas. Cada um fala do que trata.

424. Enumeratio unius est exclusio alterius. [Jur / Black 669] A especificação de uma coisa é a exclusão de uma outra coisa. VIDE: Expressio unius est exclusio alterius.

425. Eo animo. Com essa intenção.

426. Eo breviores, quo gratiores. [Inscrição em quadrante solar] As horas, quanto mais agradáveis, tanto mais breves. VIDE: Grata brevissima.

427. Eo die. Nesse dia. No mesmo dia.

428. Eo dilucidior narratio fiet, quo brevior. Quanto mais breve a narração, mais brilhante ficará. VIDE: Quo brevior, dilucidior et cognitu facilior narratio fiet.

429. Eo instante. [Broom 36] Naquela iminência. Naquele mesmo momento. Imediatamente.

430. Eo intuitu. Com essa intenção. Com a mesma intenção.

431. Eo ipso. Por isso mesmo. Por esse fato.

432. Eo magis elucet vera virtus, quo occultatur. [Cícero, Pro Roscio Amerino 86] Quanto mais se oculta, tanto mais brilha a verdadeira virtude.

433. Eo magis praefulgebant quo non videbantur. [Tácito, Annales 3.76] Tanto mais brilhavam, quanto mais se ocultavam.

434. Eo maior est gloria, quo serior. [Sêneca, Epistulae Morales 79.13, adaptado] Quanto mais tarde chega a glória, maior é.

435. Eo nomine. Com esse nome. Por esse nome. Sob esse nome.

436. Eo praetextu. Com a justificativa. Com essa justificativa.

437. Eo tempore. Naquele tempo. VIDE: In diebus illis. In illo tempore. In tempore illo.

438. Eodem animo beneficium debetur, quo datur. [Publílio Siro] O benefício é devido com o mesmo espírito com que é dado.

439. Eodem collyrio mederi omnibus. [Erasmo, Adagia 4.8.21] Curar a todos com o mesmo ungüento. Eodem collyrio medetur omnibus. [Dumaine 235] Ele trata a todos com o mesmo remédio. VIDE: Eumdem calceum omni pedi inducere. Uno collyrio omnium oculos vult curare. Uno medicamine omnes simul morbos curare.

440. Eodem cubito, eadem trutina, pari libra. [DAPR 441] Com o mesmo côvado, com a mesma balança, com peso igual. Como me medires, assim te medirei.

441. Eodem cubito metiri. [Pereira 110] Medir a todos com o mesmo metro. Medir a todos pela mesma rasoura. Eodem cubito remetiar. [Pereira 100] Medirei pelo mesmo metro. Como me medires, assim te medirei. Eadem mensura remetiar. [Pereira 100]

442. Eodem in ludo docti. [Erasmo, Adagia 2.8.50] Estudaram na mesma escola. São farinha do mesmo saco. São vinho da mesma pipa. São lobos da mesma alcatéia. Todos são da mesma estofa. VIDE: Sunt omnes eiusdem furfuris. Sunt omnes eiusdem farinae.

443. Eodem iure quo res contrahitur, dissolvitur. [Jur] Pelo mesmo direito com que se contrata um negócio, se distrata.

444. Eodem laborat morbo. Ele sofre da mesma doença que eu. Somos vinho da mesma pipa. Eodem laborat malo. Eodem laborat vitio. Eodem laborat morbo, quo ego et multi magni viri laborarunt. [Abraham Cowley, Naufragium Ioculare, Ato 1, Cena 4] Ele sofre da mesma doença que eu e muitos homens importantes sofremos.

445. Eodem mihi pretio sal praehibitur quo tibi. [Plauto, Persa 429] A mim o sal é vendido ao mesmo preço que a ti.

446. Eodem modo erga amicum affecti simus, quo erga nosmetipsos. [Cícero, De Amicitia 56] Devemos agir em relação a um amigo do mesmo modo que agimos em relação a nós mesmos.

447. Eodem poculo bibes. Beberás da mesma taça. (=Compartilharás da mesma sorte). Eodem poculo quo ego bibi biberet. [Plauto, Casina 767] Da mesma taça que eu bebi, ele também beberá. (=Vai passar pelo mesmo que eu passei).

448. Eodem prognati sunt ovo. [Pereira 121] Nasceram do mesmo ovo. São unha e carne.

449. Eodem tempore. Ao mesmo tempo.

450. Eorum unus surrupuit currenti cursori solum. [Plauto, Trinnumus 1023] Um deles roubou o sapato do corredor em plena corrida.

451. Eorum vita refellitur oratio. [Cícero, De Finibus 2.81] O discurso deles é contradito pela vida deles. Dizer e fazer não comem à mesma mesa.

452. Eos adversarios existimemus, qui arma contra patriam ferant; non eos, qui suo iudicio tueri rempublicam velint. [Cícero, De Officiis 1.25] Consideremos adversários os que tomarem armas contra a pátria, e não aqueles que quiserem ver a república conforme suas convicções.

453. Eos auloedos esse qui citharoedi fieri non potuerint. [Cícero, Pro Murena 29] Sejam flautistas os que não puderem ser citaristas. Quem não pode andar a cavalo ande a pé. Vai el-rei até onde pode, não onde quer. Quem não pode como quer queira como puder. VIDE: Auloedus sit qui citharoedus esse non potest. Auloedus fiat, qui esse citharoedus nequit. Auloedus sit qui citharoedus esse non possit.

454. Eos scire quae recta sunt, sed facere nolle. [Schottus, Adagialia Sacra 54] Eles sabem o que é correto, mas não querem fazer.

455. Epicuri de grege porcus. [Horácio, Epistulae 1.4.15] Um porco do rebanho de Epicuro. (=Um homem voluptuoso. Um glutão).

456. Epicuri horti. Os jardins de Epicuro. (=Em Atenas, o jardim em que o filósofo Epicuro instalou sua escola).

457. Epinicium ante victoriam. O hino do triunfo antes da vitória. VIDE: Ante victoriam canis triumphum. Ante victoriam ne canas triumphum. Encomia canere ante victoriam. Non est canendum epinicium ante victoriam.

458. Epistula enim non erubescit. [Cícero, Ad Familiares 5.12.1] A carta não cora. O papel aceita tudo. Calem barbas e falem cartas. Epistulae non erubescunt. Cartas não coram. VIDE: Litterae non erubescunt.

459. Epistulas vero cotidianis verbis texere solemus. [Cícero, Ad Familiares 9.21] Quanto às cartas, eu costumo compô-las com palavras de uso diário.

460. Epulis accumbere divum. [Virgílio, Eneida 1.79] Participar dos banquetes dos deuses.

461. Equi donati dentes non inspiciuntur. [Rezende 1598] A cavalo dado não se olham os dentes. Equi donati dentes non sunt inspiciendi. Não devem ser examinados os dentes do cavalo dado. Equi donati non inspicias dentes. [Bebel, Adagia Germanica] Não olhes os dentes do cavalo dado. VIDE: Donato non sunt ora inspicienda caballo. Donati non sunt ora inspicienda caballi. Donum quodcumque dat aliquis, lauda. Gratis quando datur equus, os non inspiciatur, non contemnatur, si morbidus. Non oportet equi dentes inspicere donati. Noli equi dentes inspicere donati. Si quis dat mannos, ne quaere in dentibus annos.

462. Equi et poëtae alendi, non saginandi. [Carlos IX, da França] Cavalos e poetas devem ser alimentados, não engordados. Equi, ut poëtae, alendi, non saginandi. Os cavalos, como os poetas, devem ser alimentados, não engordados.

463. Equidem natus non eram. [Fedro, Fabulae 1.1.11] Na verdade, nessa época eu ainda não era nascido. VIDE: Nondum natus eram.

464. Equidem pol vel falso tamen laudari multo malo. [Plauto, Mostellaria 177] Eu prefiro um cumprimento, ainda que seja insincero.

465. Equidem virum odi duplicem sermonibus, verbis amicum, sed malignum moribus. [Schottus, Adagia 60] Odeio o homem de dois discursos, amigo com as palavras, mas malvado nas ações. VIDE: Verbis amicus, sed malignus moribus.

466. Equis virisque. Com a cavalaria e a infantaria. VIDE: Viris equisque decertandum est.

467. Equitandi peritus ne cantet. [Erasmo, Adagia 4.9.34] O mestre em equitação não deve cantar. (=Quem se ocupa com coisas sérias, não deve perder tempo com coisas irrelevantes).

468. Equitare in arundine longa. [Horácio, Sermones 2.3.248] Cavalgar numa vara comprida.

469. Equo currenti non opus calcaribus. [Publílio Siro] Cavalo que voa não carece de espora. Equo currenti calcar ne addas. Não metas espora em cavalo que corre. VIDE: Nobilis equus umbra quoque virgae regitur; ignavus, ne calcari quidem concitari potest. Non opus est celeri subdere calcar equo. Stimulo currentem equum incitasti. Strenuos equos non esse opere defatigandos.

470. Equo frenato est auris in ore. [Horácio, Epistulae 1.15.13] O cavalo arreado tem o ouvido na boca.

471. Equo ne credite, Teucri. [Virgílio, Eneida 2.48] Não confieis no cavalo, ó troianos. Desconfiança é a mãe da segurança.

472. Equo senescenti minora cicela admove. [Erasmo, Adagia 2.8.52] Quando o cavalo fica velho, dá-lhe carroça menor. A rês velha, aliviar-lhe a carga. Equo senescenti minora cycla admove. VIDE: Adde rotas vetulo leviores usque caballo. Cum senio est confectus equus, da cycla minora. Nempe senescenti leviora impone caballo. Senibus labores corporis sunt minuendi. Trade senescenti iam cycla minora caballo.

473. Equus conductitius facit brevia miliaria. [DAPR 122] O cavalo de aluguel torna curtas as milhas. Cavalo alugado nunca cansado.

474. Equus fulvus prius enectus quam fatigatus. Cavalo ruço antes morto que cansado. Alazão tostado, antes morto que cansado.

475. Equus in quadrigis, in aratro bos. [Rezende 1601] O cavalo na carruagem, o boi no arado. Cada qual no seu ofício.

476. Equus indomitus evadit durus, et filius remissus evadet praeceps. [Vulgata, Eclesiástico 30.8] Um cavalo indômito torna-se intratável, e um filho deixado à sua vontade torna-se-á insolente.

477. Equus me portat, alit rex. [Apostólio 10.55] O cavalo me carrega, o rei me alimenta. Vivo à custa da barba longa. Equus ut me portet, alat rex, officium facio. [Horácio, Epistulae 1.17.20] Cumpro minha obrigação para que o cavalo me leve e o rei me alimente. VIDE: Rex me alit, me equus portat.

478. Equus obsequens facile et parens huc illuc frenis leniter motis flectendus est. [Sêneca, De Beneficiis 5.25.5] O cavalo dócil e obediente é facilmente dirigido para um lado e para outro pelo movimento das rédeas.

479. Equus Troianus est hoc. [Albertatius 411] Isso é o cavalo de Tróia. (=É uma armadilha). VIDE: Intus, intus, inquam, est equus Troianus.

480. Erant sicut oves non habentes pastorem. [Vulgata, Marcos 6.34] Eram como ovelhas que não tinham pastor.

481. Erat hiems summa, tempestas perfrigida, imber maximus. [Cícero, In Verrem 2.4.86] Era pleno inverno, uma tempestade frigidíssima, a maior chuva.

482. Erat vir in cunctis prospere agens. [Vulgata, Gênesis 39.2] Era um homem que obrava em tudo com sucesso.

483. Erga omnes. Contra todos. Para com todos. VIDE: Adversus omnes.

484. Erga tertios. [Jur] Contra terceiros.

485. Ergo. Portanto. Logo.

486. Ergo bibamus! Bebamos pois!

487. Ergo ego nec amicum habeo, nec inimicum. [Suetônio, Vita Neronis 47] Não tenho, pois, nem amigo nem inimigo.

488. Ergo fortuna, ut saepe alias, virtutem est secuta. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 4.37] Também a sorte, como muitas outras vezes, acompanhou a coragem. VIDE: Fortuna virtutem sequitur.

489. Ergo quisquam me magis odit quam ego? [Sêneca Retórico, Controversiae 7.3.1] Então alguém me odeia mais do que eu mesmo?

490. Ergo vivamus, dum licet esse bene. [Petrônio, Satiricon 34] Vivamos, pois, enquanto se pode estar bem.

491. Ergone sollicitae tu causa, pecunia, vitae es? [Propércio, Elegiae 3.7.1, adaptado] Não és tu, ó dinheiro, a causa da vida intranqüila? VIDE: Sollicitae tu causa, pecunia, vitae.

492. Erigere durum est, qui cecidit iuvenis, senem. [Schottus, Adagia 607] É difícil pôr de pé o velho que caiu quando jovem.

493. Erinaceus partum differt. [Suidas / Albertatius 413] O ouriço adia o parto. (=Com o adiamento cresceriam os espinhos do filhote, tornando doloroso o parto). Dilata para seu mal. Na tardança está o perigo. VIDE: Echinus partum differt.

494. Eripe me de luto, ut non infigar. [Vulgata, Salmos 68.15] Tira-me do lodo, para que eu não fique atolado.

495. Eripe me his, invicte, malis. [Virgílio, Eneida 6.365] Livra-me destes males, ó invencível.

496. Eripe, si valeas, non suggere tela furenti. [Columbano] Se puderes, toma a arma ao homem enfurecido, não lha dês.

497. Eripere telum, non dare, irato decet. [Publílio Siro] Ao homem zangado, é preciso tirar-lhe, não dar-lhe a arma.

498. Eripere vitam nemo non homini potest, at nemo mortem. [Sêneca, Phoenissae 152] Não há ninguém que não possa tirar a vida a um homem, mas ninguém lhe pode tirar a morte.

499. Eripit interdum, modo dat medicina salutem. [Ovídio, Tristia 2.269] O remédio às vezes tira, às vezes dá a saúde. Eripit interdum, modo dat fortuna salutem. A sorte às vezes tira, às vezes dá a saúde.

500. Eripite isti gladium, quae sui est impos animi. [Plauto, Casina 518] Tomai dele a espada, pois ele não tem o domínio de sua vontade. VIDE: Impos animi.



501. Eripitur personna, manet res. [Lucrécio, De Natura Rerum 3.58] Arranca-se a máscara, aparece o rosto verdadeiro.

502. Eripuit caelo fulmen mox sceptra tyrannis. [Turgot, num busto de Benjamim Franklin] Arrebatou o raio ao céu e logo depois os cetros aos tiranos. Eripuit caelo fulmen, sceptrumque tyrannis. Arrebatou o raio ao céu e o cetro aos tiranos.

503. Eripuitque Iovi fulmen viresque tonandi, et sonitum ventis concessit, nubibus ignem. [Manílio, Astronomica 1.104] Arrebatou a Júpiter o raio e o poder de trovejar, e concedeu o clamor aos ventos, o fogo às nuvens.

504. Erit ille notus, quem per te cognoveris. [Fedro, Fabulae 3.10.58] Só te será bem conhecido quem por ti mesmo conheceres. Bom homem é fulano. Tiveste tu negócios com ele?

505. Erit lex: honesta, iusta, possibilis, secundum naturam, secundum consuetudinem patriae, loco temporique conveniens, necessaria, utilis; manifesta quoque, ne aliquid per obscuritatem in captionem contineat; nullo privato commodo, sed pro communi utilitate civium scripta. [Isidoro de Sevilha] A lei será: honesta, justa, possível, segundo a natureza, segundo os usos e costumes da pátria, adequada ao lugar e ao tempo, necessária, útil; também clara, para que não contenha nenhuma armadilha por obscuridade; escrita não para vantagem pessoal, mas para utilidade comum dos cidadãos.

506. Erit lucro lingua retenta tuo. [Ovídio, Remedia Amoris 642] A língua retida sempre te trará proveito. Língua que fala, corpo que paga.

507. Erit novissimus error peior priore. [Vulgata, Mateus 27.64] Virá o último embuste a ser pior do que o primeiro.

508. Erit ubi poenas det procax audacia. [Epígrafe de Fábula de Fedro 3.5 / Rezende 1610] Haverá um momento em que o atrevimento será punido.

509. Eritis enim in aëra loquentes. [Vulgata, 1Coríntios 14.9] Sereis como quem fala ao vento. VIDE: Litori loqueris. Ventis loqueris. Ventis verba das. Vento loqueris. Ventis verba profundis. Verba dat in ventos.

510. Eritis sicut dii, scientes bonum et malum. [Vulgata, Gênesis 3.5] Sereis como deuses, conhecendo o bem e o mal.

511. Errando, corrigitur error. [Rezende 1612] Errando corrige-se o erro. A prática faz a perfeição.

512. Errando, discitur. [Rezende 1613] Errando, aprende-se. Errando é que se aprende.

513. Errant qui in prosperis rebus omnes impetus fortunae se putant fugisse. [RH 4.24] Enganam-se os que, na prosperidade, julgam-se ao abrigo de todos os ataques da sorte.

514. Erranti medicina confessio. [Binder, Thesaurus 965] Para quem erra confissão é remédio.

515. Errantibus, non decipientibus, iura subveniunt. [Jur] As leis vêm em soccorro dos que erram, não dos que enganam. VIDE: Deceptis, non decipientibus, lex opitulatur.

516. Errantis consensus nullus est. [Jur] A concordância de quem errou é nula.

517. Errantis voluntas nulla est. [Codex Iustiniani 1.18.8] A vontade de quem erra é nula.

518. Errare commune est mortalibus. [DAPR 114] Errar é comum aos mortais. Errar é da humanidade. Não há cavalo, por bom que seja, que não tropece.

519. Errare humanum est. [Rezende 1615] Errar é humano. Errare humanum est, ignoscere divinum. Errar é humano, perdoar é divino. VIDE: Errasse humanum est et confiteri errorem prudentis. Humanum est errare. Hominis est errare.

520. Errare humanum est; in errore perseverare, belluinum. [George Pettie, A Petite Pallace of Pettie 6] Errar é do homem, perseverar no erro é da besta. Do homem é o errar, e da besta o teimar. VIDE: Cuiusvis hominis est errare, nullius, nisi insipientes, in errore perseverare. Cuiusvis hominis est errare, solius insipientis est in errore perseverare. Hominum est errare, sed ferinum perseverare in errore.

521. Errare humanum est, perseverare autem diabolicum. [Rezende 1616] Humano é pecar, diabólico perseverar. Errare humanum est, in errore perseverare diabolicum. [Binder, Thesaurus 967] VIDE: Humanum enim est peccare, diabolicum vero perseverare. Humanum est peccare, diabolicum est in peccatis durare. Humanum est peccare, sed perseverare diabolicum. Peccare est humanum, in peccato perseverare diabolicum.

522. Errare humanum est, sed in errore perseverare dementis. [Rezende 1617] Errar é próprio do homem, mas perseverar no erro é próprio do louco.

523. Errare malo cum Platone quam cum istis vera sentire. [Cícero, Tusculanae Disputationes 1.17.39] Prefiro errar com Platão a reconhecer a verdade com estes. (=Cícero referia-se aos Pitagóricos).

524. Erras, si istorum, tibi qui occurrunt, vultibus credis. [Sêneca, Epistulae Morales 103] Enganas-te, se confias nos rostos dos que se aproximam de ti.

525. Errasse humanum est, et confiteri errorem prudentis. [S.Jerônimo, Epistulae 57.12.3] Ter errado é humano, mas confessar o erro é do sábio. VIDE: Errare humanum est. Errare humanum est, ignoscere divinum. Humanum est errare. Hominis est errare.

526. Errat autem qui amicum in atrio quaerit, in convivio probat. [Sêneca, Epistulae Morales 19.11] Erra quem busca amigo no palácio e o prova no festim.

527. Errat datum qui sibi, quod extortum est, putat. [Publílio Siro] Erra quem julga que lhe foi dado o que foi obtido com violência.

528. Errat enim, si quis existimat tutum esse ibi regem, ubi nihil a rege tutum est. [Sêneca, De Clementia 1.19.5] Erra o que pensa estar o rei em segurança onde nada está seguro contra o rei.

529. Errat interdum quadrupes. [DAPR 642] De vez em quando o cavalo tropeça. Não há cavalo, por bom que seja, que não tropece. Errat interdum quadrupes; cum titubat quadrupes, labitur ergo bipes. O quadrúpede de vez em quando tropeça; quando o quadrúpede tropeça, então o bípede cai. VIDE: Non est tam bonus qui non caespitet equus.

530. Errat longe, mea sententia, qui imperium credat gravius esse aut stabilius vi quod fit quam illud quod amicitia adiungitur. [Terêncio, Adelphi 65] Na minha opinião, comete um grande engano quem acredita que o poder é mais sólido e mais durável, quando se exerce pela força do que quando se obtém pela amizade.

531. Errat si quis existimat facilem rem esse donare. [Sêneca, De Vita Beata 24] Erra quem julga ser coisa fácil o doar.

532. Errat si quis existimat tutum diu esse regem. [Publílio Siro] Erra quem julga seguro ser rei por muito tempo.

533. Errata. Erros. Coisas erradas. (=É o plural de erratum, erro. Em português, errata é uma lista de erros identificados num texto impresso com as respectivas correções).

534. Errata corrige. Corrige os erros.

535. Erratis nescientes Scripturas, neque virtutem Dei. [Vulgata, Mateus 22.29] Errais, não sabendo as Escrituras, nem o poder de Deus.

536. Erratis, si metuendam creditis mortem. [Sêneca Retórico, Suasoriae 2.2.7] Errais, se pensais que a morte é de se temer.

537. Error a culpa vacat. [Sêneca, Hercules Oetaeus 983] Esse erro está livre de culpa.

538. Error calculi non facit ius. [Jur] Erro de cálculo não cria direito.

539. Error communis facit ius. [Paulo, Digesta 33.10.3.5] O erro comum cria direito.

540. Error corrigitur ubi deprehenditur. [Busarello 160] Corrige-se o erro quando é encontrado. Error corrigitur ubi invenitur.

541. Error est enim cum sequitur aliquid quod non ad id ducit quo volumus pervenire. [S.Agostinho, De Libero Arbítrio 1.26] Dá-se o erro quando seguimos alguma coisa que não nos conduz ao lugar a que queremos chegar.

542. Error essentialis. [Jur] Um erro essencial.

543. Error excludit consensum. [Jur] O erro vicia o consentimento.

544. Error facit ius. O erro cria direito. VIDE: Error communis facit ius. Error ius facit.

545. Error facti. Um erro de fato.

546. Error filius erroris. Um erro é filho de outro.

547. Error hesternus sit tibi doctor hodiernus. [Rezende 1625] Que o erro de ontem seja para ti o mestre de hoje. Errando é que se aprende. VIDE: Perpende lapsum, ut evites relapsum.

548. Error in bello mors est. [Rezende 1626] Na guerra, o erro é a morte.

549. Error in ipso corpore rei. [Jur] Engano no objeto principal da obrigação. Error in corpore.

550. Error in negotio. [Jur] Erro no negócio. (=Erro que consiste na execução de um ato, na certeza ou com a intenção de praticar outro).

551. Error in obiecto. [Jur] Erro quanto ao objeto.

552. Error in persona. [Jur] Erro quanto à pessoa. VIDE: Aberratio personae.

553. Error in principio parvus, in fine maximus est. No princípio o erro é mínimo, no fim é enorme. VIDE: Parvus error in principio magnus erit in fine.

554. Error iuris nocet. [Jur / Black 678] O erro de direito prejudica.

555. Error iuris non excusat. [Jur] O erro de direito não escusa.

556. Error ius facit. [Jur] O erro cria direito. VIDE: Error communis facit ius. Error facit ius.

557. Error qui non resistitur approbatur. [Jur / Black 678] O erro a que não se faz oposição é aprovado.

558. Errore veritas non amittitur. [Ulpiano, Digesta 50.1.6] Por um erro não se perde a verdade.

559. Errores medicorum terra tegit. [DAPR 439] Os erros dos médicos, a terra os cobre. VIDE: Medicorum errata terra tegit.

560. Errores scribentis nocere non debent. [Jur / Black 678] Os erros do escrivão não devem prejudicar.

561. Errorum et fraudis abunde est. Há muitos erros e muitas fraudes. VIDE: Terrorum et fraudis abunde est.

562. Erubesce a socio et amico de iniustitia. [Rezende 1629] Envergonha-te da injustiça diante do companheiro e do amigo. Erubescite (...) a socio et amico de iniustitia. [Vulgata, Eclesiástico 41.21-23] Envergonhai-vos (...) da injustiça diante do companheiro e do amigo.

563. Erubescit lex filios castigare parentes. [Jur / Coke / Black 678] A lei se envergonha, quando os filhos castigam os pais.

564. Erubuit: salva res est. [Terêncio, Adelphi 643] Corou: a coisa está salva. Erubuerunt, salva res est. Coraram: a coisa está salva. VIDE: Rubor est virtutis color.

565. Erudi filium tuum, et refrigerabit te, et dabit delicias animae tuae. [Vulgata, Provérbios 29;17] Cria bem a teu filho, consolar-te-á, e servirá de delícias à tua alma.

566. Eruditio et religio. [Divisa da Universidade de Duke, Carolina do Norte, EUA] Estudo e religião.

567. Eruditos oportet nos prius animis quam linguis. [Rezende 1632] É preciso que sejamos sábios antes pelo espírito que pela língua.

568. Eruditus in patria sua est ut aurum in fodina. [Erpênio / Rezende 1633] O sábio em sua pátria é como o ouro na mina. Santo de casa não faz milagre.

569. Eruimus terra solidum pro frugibus aurum. [Ovídio, Amores 3.8.53] Arrancamos da terra o sólido ouro em vez de alimentos.

570. Erum nemo bene gerit, nisi servierit bene. [Pereira 114] Ninguém pode ser bom chefe, se não tiver servido bem. Ninguém é bom senhor, se não foi bom servidor.

571. Erumpunt saepe vitia amicorum in ipsos amicos. [Cícero, De Amicitia 76] Muitas vezes os erros dos amigos recaem sobre os próprios amigos.

572. Erunt duo in carne una. [Vulgata, Gênesis 2.24; Mateus 19.5; Marcos 10.8] Serão dois numa só carne.

573. Erunt novissimi primi, et primi novissimi. [Vulgata, Mateus 20.16] Serão últimos os primeiros, e primeiros os últimos. Os últimos serão os primeiros. VIDE: Multi autem erunt primi novissimi et novissimi primi.

574. Erus dat ut servus faciat. [Jur / Black 892] O patrão paga (o salário) para que o empregado faça (o trabalho). VIDE: Servus facit ut erus det.

575. Es, bibe, lude, veni. [Inscrição em túmulo] Come, bebe, diverte-te, vem.

576. Es impudicus et vorax et aleo. [Catulo, Carmina 29.10] És impudico, voraz e jogador.

577. Esca omnium malorum voluptas. O prazer é o alimento de todos os males. VIDE: Malorum esca voluptas. Plato escam malorum voluptatem appellat. Voluptas esca malorum. Voluptas est malorum esca, quo ea non minus homines, quam hamo capiuntur pisces.

578. Esca ventri, et venter escis. [Vulgata, 1Coríntios 6.13] Os manjares são para o ventre, e o ventre para os manjares.

579. Esse abstinentem, continere omnes cupiditates praeclarum est. [Cícero, Ad Quintum 1.11] Abster-se, dominar todos os desejos, é fato admirável.

580. Esse, bibere, frui patrimonio, hoc est vivere, hoc est se mortalem esse meminisse. [Sêneca, Epistulae Morales 20.123.10] Comer, beber, desfrutar do patrimônio, isso é viver, isso é recordar-se de que se é mortal.

581. Esse cupit mannus, sed ephippia ferre recusat. [Samuel Singer, Thesaurus Proverbiorum 96] O potro quer comer, mas se recusa a carregar a sela.

582. Esse est percipi. Existir é ser percebido.

583. Esse, Fuisse, Fore, tria florida sunt sine flore; nam simul omne perit, quod fuit, est, et erit. [Anônimo / Bernardes, Nova Floresta 2,83] Três flores são, mas sem flor, o Foi, o É e o Será: porque logo murchará tudo o que é, foi e será.

584. Esse igitur deos ita perspicuum est, ut, id qui neget, vix eum sanae mentis existimem. [Cícero, De Natura Deorum 22.16] Parece tão evidente que os deuses existem, que dificilmente acreditaria ter juízo perfeito quem o negasse.

585. Esse inops laris et fundi. [Rezende 1638] Não ter casa nem terreno. Não ter eira nem beira. VIDE: Laris et fundi defectus.

586. Esse nihil dicis quidquid petis, improbe Cinna: si nil, Cinna, petis, nil tibi, Cinna, nego. [Marcial, Epigrammata 3.61] Tu dizes, ó exagerado Cina, que o que pedes não é nada; se nada pedes, ó Cina, eu nada te nego.

587. Esse oportet ut vivas, non vivere ut edas. [RH 4.28.39] Deve-se comer para viver, não viver para comer. Comer para viver, e não viver para comer. Esse decet ut vivas, vivere non ut edas. [Schottus, Adagialia Sacra 135] VIDE: Edas, bibas ut bene vivas; non vivas ut tantum edas et bibas. Ede ut vivas, non vivas ut edas. Edendum tibi est ut vivas, et non vivendum ut edas. Edere oportet ut vivas, non vivas ut edas. Non ut edam vivo, sed ut vivam edo. Non vivas ut edas, sed edas ut vivere possis. Non vivendum est ut edas, sed edendum ut vivas. Oportet esse ut vivas, non vivere ut edas.

588. Esse potius quam haberi. [Divisa do astrônomo Tycho Brahe] Antes ser que parecer. Esse quam videri. [Divisa da Carolina do Norte, EUA] Esse quam videri malim. Eu preferiria ser a parecer. VIDE: Cato esse quam videri bonus malebat. Magis esse quam videri oportet.

589. Esse sibi similes alios fur iudicat omnes. [Pereira 117] O ladrão cuida que todos são iguais a ele. O ladrão cuida que todos o são. Pensa o ladrão que todos são de sua condição. VIDE: Alios ex ingenio suo metitur. Cum sis fur, alios esse fures suspicaris. Cum sit fur, alios esse fures suspicatur. Cum sis fur, alios esse fures suspicaris. Ex sua natura fingit ceteros.

590. Esse solent magno damna minora bono. [Ovídio, Remedia Amoris 672] Pequenos males costumam ser um grande bem. Mal pequenino antes em mim que em meu marido. Desgraça pouca é bobagem. VIDE: Exiguum malum, ingens bonum. Parvum malum, magnum bonum. Pusillum malum, ingens bonum.

591. Essendi modus. [Descartes, Meditatio 3.15] O modo de ser. VIDE: Modus essendi.

592. Est actio quasi corporis quaedam eloquentia. [Cícero, De Claris Oratoribus 17.55] O gesto do orador é como uma eloqüência do corpo. Est actio quasi sermo corporis. [Cícero, De Oratore 3.222] A ação é uma como linguagem do corpo.

593. Est adulescentis maiores natu vereri. Cabe ao jovem respeitar os mais velhos. VIDE: Est igitur adulescentis maiores natu vereri.

594. Est aliqua ingrato meritum exprobrare voluptas. [Ovídio, Heroides 12.23] O ingrato sente prazer em desvalorizar o favor.

595. Est aliquid quod non oportet etiam si licet; quicquid vero non licet certe non oportet. [Jur / Black 681] Há coisa que não se deve fazer, mesmo se permitida; mas tudo que não é permitido certamente não se deve fazer.

596. Est aliquis aptus ad haec, non ad illa: Saul ad gladium, Ionathas ad arcum, et David in fundam. [VES 135] Uma pessoa tem capacidade para determinada coisa, mas não para outra: Saul para a espada, Jônatas para o arco, e Davi para a funda.

597. Est amicitia nihil aliud nisi omnium divinarum humanarumque rerum consensio. [Cícero, De Amicitia 20] A amizade nada mais é que a afinidade de todas as coisas divinas e humanas.

598. Est amicus tamquam alter idem. [Cícero, De Amicitia 21] Um amigo é como um outro eu. VIDE: Alter ipse amicus. Amicum esse alterum se. Amicus alter ego. Amicus alter ipse. Amicus est tamquam alter idem. Verus amicus est is qui est tamquam alter idem.

599. Est amor ingratus, si non sit amator amatus. [Gaal 238] O amor é ingrato, se quem ama não é amado. Amar sem ser amado é ser desventurado.

600. Est animus in partes tributus duas, quarum altera rationis est particeps, altera expers. [Cícero, Tusculanae Disputationes 2.47] O espírito está dividido em duas partes, das quais uma participa da razão, a outra não participa.

601. Est arbuscula, non truncus curvandus in uncum. [Binder, Thesaurus 973] É a arvorezinha, não o tronco, que deve ser curvada em forma de gancho. De pequenino se torce o pepino.

602. Est ars etiam male dicendi. Existe até uma arte de dizer mal dos outros.

603. Est augurum ante dicere ea quae vitari possunt. [Cícero, Philippica 1.26] Cabe aos áugures dizer com antecedência as coisas que podem ser evitadas.

604. Est autem amicus socius mensae, et non permanebit in die necessitatis. [Vulgata, Eclesiástico 6.10] Há o amigo que só é companheiro de mesa e que não permanecerá no dia da necessidade. Amigo de mesa não é de certeza. Amigo de bom tempo muda-se com o vento. VIDE: Amicus socius mensae non permanebit in die necessitatis. Diffugiunt, cadis cum faece, siccatis, amici. Evolat consumptis epulis generalis amicus. Evolat assumptis epulis generalis amicus.

605. Est autem avaritia opinatio vehemens de pecunia. [Cícero, Tusculanae Disputationes 11.26] A avareza é, pois, uma estimação excessiva do dinheiro.

606. Est autem fides credere quod nondum vides; cuius fidei merces est videre quod credis. [S.Agostinho, Sermones 4.1.1] Fé é crer no que não se vê; a recompensa dessa fé é ver aquilo em que se crê.

607. Est autem fides sperandarum substantia rerum, argumentum non apparentium. [Vulgata, Hebreus 11.1] É, pois, a fé a substância das coisas que se devem esperar, o argumento das coisas que não aparecem.


608. Est autem paupertas occasio mali: quia propter eam ad furta, adulationes et periuria, et his similia, aliqui inducuntur. [S.Tomás de Aquino, Summa Contra Gentiles 131.3.6] A pobreza, pois, dá oportunidade ao mal, pois, por causa dela, muitos são levados ao furto, à bajulação, à mentira.

609. Est autem vis legem simulans. [Jur / Black 681] Existe também a força mascarada de lei.

610. Est avis in dextra melior quam quattuor extra. [Eiselein 621; DAPR 653] Um pássaro na mão é melhor do que quatro soltos. Mais vale um pássaro na mão do que dois voando. Est avis in rete melior grege quoque volante. [Samuel Singer, Thesaurus Proverbiorum 270] Uma única ave na rede é melhor que todo o bando voando. VIDE: Capta avis est pluris quam mille in gramine ruris. Melior est avis in manu quam decem in aere. Pauca licet certa sunt incertis meliora. Plus valet in manibus avis unica quam dupla in silvis. Plus valet in manibus avis unica fronde duabus. Plus valet in manibus passer quam sub dubio grus. Una avis in dextra melior quam quattuor extra. Una avis in laqueo plus valet octo vagis.

611. Est avis ingrata, quae defoedat sua strata. Ruim ave é a que suja seu ninho. Aquela ave é má, que em seu ninho suja. Roupa suja se lava em casa. Est avis ingrata, quae stercorat in sua strata. VIDE: Nidos commaculans immundus habebitur ales. Pessima est avis quae proprium nidum defoedat. Turpis avis proprium qui foedat stercore nidum. Vilis et ingrata volucris foedans sua strata.

612. Est bonus, ut melior vir non alius quisquam. [Horácio, Sermones 1.3] Ele é tão bom, que não pode haver outro homem melhor.

613. Est brevitate opus, ut currat sententia. [Horácio, Sermones 1.10.9] É necessária a brevidade para que o pensamento flua.

614. Est captu facilis turbatis piscis in undis. [Medina 585] Nas águas revoltas o peixe é fácil de ser apanhado. Na água revolta, pesca o pescador. Est captu facilis turbata piscis in unda. [Binder, Thesaurus 975] Em água agitada é fácil pegar o peixe. Est captus turbatis piscis in undis. [Rezende 1645] É nas águas revoltas que se apanha o peixe. VIDE: Aqua turbida piscosior est. Aquis turbidis piscari. Flumen confusum reddit piscantibus usum. In aqua turbida piscatur uberius. Piscatur in aqua turbida. Turbat aquas, ut plures capiat pisces. Turbata aqua, captat anguillas.

615. Est certum praesens, sed sunt incerta futura. [Werner] O presente é certo, mas o futuro é incerto. O futuro é segredo de Deus.

616. Est citus ille coquus, dum calet igne focus. É ligeiro o cozinheiro, quando o fogão está quente.

617. Est commune mori, mors nulli parcet honori. [Gaal 1532] Morrer é destino de todos; a morte não poupa nenhuma classe. A morte não poupa nem o fraco nem o forte. Tanto morre o papa como quem não tem capa. VIDE: Debilis ac fortis veniunt ad limina mortis. Mors servat legem: tollit cum paupere regem.

618. Est Deus immortalis lentus quidem, sed certus vindex generis humani. O Deus imortal é desapressado, mas vingador seguro da raça humana.

619. Est deus in nobis; agitante callescimus illo. [Ovídio, Fasti 6.5] Há um deus em nós; quando ele se agita, nós nos aquecemos.

620. Est deus in nobis, et sunt commercia caeli. [Ovídio, Ars Amatoria 3.549] Há um deus em nós, e há relações (nossas) com o céu.

621. Est deus occultos qui vetat esse dolos. [Tibulo, Elegiae 1.9.23] Há um deus que impede que haja armadilhas ocultas.

622. Est dictum verum: privata domus valet aurum. [Walther 7392 / Tosi 1047] Há um ditado verdadeiro: a nossa casa vale ouro. A própria morada a ninguém desagrada. Nossa casa, nossa brasa. VIDE: Domus propria, domus optima. Est foculus proprius multo pretiosior auro. Nihil miserabilius quam incerta sede vagari. Privata domus valet aurum. Propria domus omnium optima. Proprius focus auro comparandus.

623. Est difficillimum se ipsum vincere. [DM 82] É muito difícil vencer a si mesmo. Vencer-se a si é mais do que vencer o mundo. VIDE: Fortior est qui se, quam qui fortissima vincit moenia. Se vincere ipsum longe est difficillimum. Vincit qui se vincit.

624. Est difficilis cura rerum alienarum. [Cícero, De Officiis 1.9] É penoso o trato das coisas alheias.

625. Est dolendi modus, non est timendi. Doleas enim quantum scias accidisse, timeas quantum possit accidere. [Plínio Moço, Epistulae 8.17] O sofrimento tem limite, o medo não tem. Sofre-se com o mal que se sabe que aconteceu, teme-se o mal que pode acontecer.

626. Est dolor iniustus rerum aestimator. [Sêneca, Troades 546] A dor é um juiz parcial dos acontecimentos.

627. Est ea iucundissima amicitia quam similitudo morum coniugavit. [Cícero, De Officiis 1.58] A amizade mais agradável é a que a semelhança de caracteres uniu.

628. Est enim actio quasi sermo corporis. [Cícero, De Oratore 3.222] O gesto é como que a linguagem do corpo. VIDE: Actio est quasi sermo corporis.

629. Est enim amicitia nihil aliud nisi omnium divinarum humanarumque rerum cum benevolentia et caritate consensio. [Cícero, De Amicitia 1.20] Amizade não é senão o entendimento, com gentileza e afeição, sobre todas as coisas humanas e divinas. VIDE: Amicitia est rerum humanarum et divinarum cum benevolentia et caritate consensio.

630. Est enim apud omnes consuetudo ut lenia premittantur, quae si non proficiant aspera subsequantur. [VES 34] É costume de todos tentar em primeiro lugar os meios suaves; se esses não derem resultado, seguem-se os meios severos. VIDE: Lenia praemittantur, quae si non proficiant aspera subsequantur. Lenia si non proficiant, aspera subsequantur.

631. Est enim assiduitatis vis invicta, quae omnem superat, excinditque potentiam. [Plutarco / Rezende 1647] O poder da perserverança é invencível, supera a todos, e pode mais do que a força. Quem porfia mata a caça.

632. Est enim confusio adducens peccatum. [Vulgata, Eclesiástico 4.25] Há vergonha que leva ao pecado.

633. Est enim non modo liberale, paululum nonnunquam de suo iure decedere, sed interdum etiam fructuosum. [Cícero, De Officiis 2.64] É não somente bom, mas às vezes até vantajoso, desistir do direito próprio.

634. Est enim oratio etiam timidissimis audax. [Sêneca, Epistulae Morales 26.6] Até os homens mais medrosos podem ter um discurso ousado.

635. Est enim proprium stultitiae aliorum vitia cernere, oblivisci suorum. [Cícero, Tusculanae Disputationes 3.30] É próprio dos tolos observar os erros dos outros e esquecer os próprios.

636. Est enim pudentis animi et verecundi, ut mea opinio fert, vel falsas vituperationes gravari. [Apuleio, Apologia 3] Na minha opinião, é próprio do espírito honrado e discreto suportar mesmo as acusações falsas.

637. Est enim quaedam et dolendi modestia. [Sêneca, Ad Marciam 3.4] Até no sofrer há uma certa dignidade.

638. Est enim quaedam etiam dolendi voluptas, praesertim si in amici sinu defleas, apud quem lacrimis tuis vel laus sit parata, vel venia. [Plínio Moço, Epistulae 8.16] Até na dor há um certo prazer, especialmente se se chora no peito de um amigo que dê às lágrimas ou aprovação ou desculpa. VIDE: Est quaedam dolendi voluptas.

639. Est enim ratio mensque sapientis ad iubendum et ad deterrendum idonea. [Cícero, De Legibus 2.8] A razão do sábio está preparada para determinar e para impedir.

640. Est enim sine dubio domus iurisconsulti totius oraculus civitatis. [Cícero, De Oratore 1.200] Sem dúvida, a casa do jurisconsulto é o oráculo da cidade inteira.

641. Est enim superbia, non magnitudo, sed tumor: quod autem tumet videtur magnum, sed non est sanum. [S.Agostinho, Sermo 16. De Tempore] A soberba não é uma grandeza, mas um inchaço; e o que está inchado se mostra grande, mas não é são.

642. Est enim temperantia libidinum inimica, libidines autem consectatrices voluptatis. [Cícero, De Officiis 3.117] A moderação, portanto, é inimiga da luxúria, e a luxúria é seguidora do prazer. VIDE: Temperantia est libidinum inimica.

643. Est enim ulciscendi et puniendi modus. [Cícero, De Officiis 1.34] Há um limite no vingar-se e no punir.

644. Est, est, non, non. [Vulgata, Mateus 5.37] Sim, sim; não, não. VIDE: Sit autem sermo vester: est, est; non, non.

645. Est equitare grave; est mors gravis ire pede. [Pereira 123] Cavalgar é um sacrifício; ir a pé é morte dolorosa. Trabalho é caminhar a cavalo, que a pé é morte.

646. Est et fideli tuta silentio merces. [Horácio, Carmina 3.2.25] Há uma recompensa segura para o silêncio leal. O bem saber é calar, até ser tempo de falar. VIDE: Eximia est virtus praestare silentia rebus.

647. Est et formicae et culici sua bilis. [Schottus, Adagia 420] Também a formiga e a pulga têm a sua bílis. Também a formiga tem catarro. Cada formiga tem sua ira. Até o cabelo sutil faz sua sombra. VIDE: Et formicae sua bilis inest. Etiam formicae sua bilis inest. Formicae sua bilis inest, habet et musca splenem. Habet et musca splenem. Habet et musca splenem, et formica bilem. Inest et formicae fel. Inest et formicae sua bilis. Inest et formicae et serpho bilis. Tam parvum nihil est, cui sit defensio nulla

648. Est etiam ubi profecto damnum praestet facere quam lucrum. [Plauto, Captivi 326] Há ocasiões em que é melhor perder do que ganhar.

649. Est facies testis, quales intrinsecus estis. [Trench, Proverbs and Their Lessons 151] O rosto é testemunha de como vós sois por dentro. O rosto é o espelho da alma. VIDE: Heu quam difficile est crimen non prodere vultu!

650. Est facile quodvis, quando fert opem Deus. [DAPR 253] Tudo é fácil quando Deus ajuda. A quem Deus ajuda, o vento lhe ajunta a palha. VIDE: Deo non dante, nil valet labor.

651. Est felicibus difficilis miseriarum vera aestimatio. [Quintiliano, Institutio Oratoria 9.6] Aos homens felizes é difícil avaliar corretamente os sofrimentos dos outros.

652. Est finis irae initium paenitentiae. O fim da ira é o começo do arrependimento. Onde acaba a ira, começa o arrependimento. VIDE: Finis irae initium est paenitentiae. Initium irae furor est, finis vero paenitentia.

653. Est finitimus oratori poëta ac pene par. [Cícero, De Oratore 1.16.2] O poeta é vizinho do orador e é quase igual a ele.

654. Est foculus proprius multo pretiosior auro. [Binder, Thesaurus 978] A casinha da gente vale muito mais que o ouro. Minha casa, meu lar, cem soldos vale; e estimou-se mal, porque mais vale. VIDE: Alterius non sit, qui suus esse potest. Domus propria, domus optima. Est dictum verum: privata domus valet aurum. Privata domus valet aurum. Propria domus omnium optima. Proprius focus auro comparandus.

655. Est fortunatior quam prudentior. [Erasmo, Adagia 1.8.44] Tem mais sorte que juízo. Uma onça de boa sorte vale mais que um arrátel de ciência. Mais vale sorte que sabedoria. VIDE: Gutta fortunae prae dolio sapientiae. Prae dolio doctrinae malo guttam opum.

656. Est genus hominum qui esse primos se omnium rerum volunt. [Terêncio, Eunuchus 247] Há um tipo de homens que querem ser os primeiros de tudo.

657. Est gula totius fons et origo mali. [Medina 594] A gula é a fonte e a origem de todo o mal. A gula mata mais que a espada.

658. Est gutta doctrinae potior quam magnae opes. [Grynaeus 85] Mais vale uma gota de sabedoria do que grandes riquezas. Mais vale saber do que ter.

659. Est haec non scripta, sed nata lex. [Cícero, Pro Milone 4.2] Esta não é uma lei escrita, mas natural.

660. Est hoc auribus animisque omnium absurdum. [Cícero, Pro Roscio Comodeo 19] Isto choca o espírito e os ouvidos de todos.

661. Est hoc commune vitium magnis liberisque civitatibus, ut invidia gloriae comes sit. [Cornélio Nepos, Chabrias 3.3] Esse é um vício comum às cidades grandes e livres de que a inveja seja companheira da glória. Não há glória sem inveja. A inveja segue e persegue a virtude. VIDE: Gloriae et virtutis invidia est comes. Invidia gloriae comes. Invidia virtutum comes. Post gloriam invidia sequitur.

662. Est homini cum Deo similitudo. [Cícero, De Legibus 1.25] O homem tem semelhança com Deus.

663. Est homini semper diligenti aliquid super. [Publílio Siro] Ao homem que ama o trabalho, sempre há alguma coisa a fazer.

664. Est hominum penuria tanta bonorum, ut non miremur te modo iura dare. [Medina 582] Há tanta falta de homens de bem, que não nos admiramos de seres juiz. À falta de homens bons o fizeram alcaide.

665. Est hominum sors ista, magis felicibus ut sit mors cita, cum miseros vita diuturna regat. [Aviano, Fabulae 36.17] Tal é a sorte dos homens: aos mais felizes a morte vem rápida, enquanto a vida longa governa os infelizes.

666. Est humanus animus insatiabilis eo quod fortuna spondet. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 4.13] O espírito humano não se contenta com o que a sorte promete.

667. Est igitur adulescentis maiores natu vereri. [Cícero, De Officiis 1.122] É obrigação do jovem respeitar os mais velhos.

668. Est igitur res publica res populi. [Cícero, De Re Publica 1.39] O país é uma coisa do povo.

669. Est in canitie ridiculosa Venus. [Rezende 1653] Na velhice o amor é ridículo. O amor no velho traz culpa, e no mancebo, fruto. VIDE: Amare iuveni fructus est, crimen seni. Turpe senex miles, turpe senilis amor.

670. Est incredibilis hominum perversitas. [Cícero, Ad Familiares 1.7] A perversidade dos homens é incrível.

671. Est ingens arcto tramite saepe labor. [Pereira 111] Pelo caminho estreito muitas vezes é grande o trabalho. Não há atalho sem trabalho.

672. Est ita, ut tu dicis. [Plauto, Trinummus 1132] É como dizes.

673. Est laudanda voluntas. [Ovídio, Ex Ponto 3.4.79] O querer merece louvor. VIDE: Ut desint vires, tamen est laudanda voluntas.

674. Est laus aliqua humanitatis. [Cícero, Pro Murena 65] Há mérito no sentimento de humanidade.

675. Est lex ipsorum legislatorum tamquam viva vox. [Jur / Coke, adaptado] A lei é como a viva voz dos legisladores.

676. Est lingua iurans, animus iniuratus est. [Schottus, Adagia 617] É minha língua que jura, meu espírito está sem nenhum juramento. Jurei só da boca para fora. O coração sente, a língua mente. VIDE: Iuravi lingua, mentem iniuratam gero. Lingua iuravi. Non ego iuravi, legi iurantia verba.

677. Est lingua quibusdam, molares at aliis. Uns têm língua, mas outros têm dentes. VIDE: Alii linguam, alii molares. Aliis lingua, aliis dentes. Aliis lingua, aliis vero molares. Alteri loquaces, alteri voraces. Illi enim loquaces, hi voraces.

678. Est locus unicuique suus. [Horácio, Sermones 1.9.51] Cada homem tem seu lugar.

679. Est lupus in fabula. Eis o lobo da história. Falar no mau e aparelhar o pau. Falai do ruim, e olhai para a porta. VIDE: Eccum lupus in sermone. En lupus in historia. Video lupum.

680. Est meminisse voluptas. [Ovídio, Heroides 18.57] Recordar é um prazer.

681. Est meus carnifex. [Pereira 107] É o meu algoz. É minha perseguição.

682. Est mihi honori. Considero isso bom.

683. Est miser nemo, nisi comparatus. [Sêneca, Troades 1024] Só se é infeliz por comparação.

684. Est miser omnis amans. Todo homem apaixonado é um sofredor.

685. Est modus in rebus. Há medida em tudo. Em tudo convém medida. Nem oito nem oitenta. Tudo tem limite. Est modus in rebus, sunt certi denique fines, quos ultra citraque nequit consistere rectum. [Horácio, Satirae 1.1.106] Em todas as coisas há um meio termo; existem, afinal, limites definidos, além ou aquém dos quais não se pode manter o bem. VIDE: Modus omnibus in rebus optimum est habitu. Modus in rebus.

686. Est modus in rebus, sicut cecinere poëtae; laudavere modus pariter sanctique prophetae. [Walther 7688ª / Tosi 1760] Há uma medida nas coisas, segundo cantaram os poetas; também louvaram a moderação os santos e os profetas.

687. Est mulier quasi generalis regula. Quare? In multis fallit regula: sic mulier. [Bernardes, Nova Floresta 4.254] A mulher se parece com a regra geral. Por quê? Porque a regra geral falha muito: a mulher também é assim.

688. Est multis certare datum, sed vincere paucis. [Eiselein 557] Competir é concedido a muitos, mas vencer, a poucos. Muitos são os chamados, e poucos os aproveitados.

689. Est natura cibis solers contenta modestis. [Pereira 95] A natureza sábia fica contente com comida moderada. A natureza com pouco se contenta.

690. Est natura hominum novitatis avida. [Plínio Antigo, Historia Naturalis 12.11] A natureza dos homens é ávida por novidade. Do que é novo gosta o povo. VIDE: Ad nova homines concurrunt, ad nota non veniunt. Est nova res grata: vilescit res inveterata. Est quoque cunctarum novitas carissima rerum. Grata rerum novitas. Grata novitas. Nova placent. Omne novum carum, vilescit cotidianum. Quod rarum est, carum est.

691. Est nobis voluisse satis. [Panegyricus Messallae 7, atribuído a Tibulo] Para mim, ter querido é o bastante. Quem quer, já fez metade. A boa vontade supre a obra. VIDE: In magnis et voluisse sat est. In magnis vel voluisse satis est. Si deficiant vires, audacia certe laus erit: in magnis et voluisse sat est.

692. Est, non est. [Inscrição em quadrante solar] A hora está presente, já não está mais.

693. Est, non est quod agas, semper agis. [Marcial, Epigrammata 1.79] Haja ou não haja o que fazer, estás sempre fazendo alguma coisa.

694. Est nova res grata: vilescit res inveterata. [Samuel Singer, Thesaurus Proverbiorum 472 / Busarello 259] O novo agrada, o costumeiro perde o valor. Tudo que é novo cativa. O novo apraz. VIDE: Ad nova homines concurrunt, ad nota non veniunt. Est natura hominum novitatis avida. Est quoque cunctarum novitas carissima rerum. Grata rerum novitas. Grata novitas. Nova placent. Omne novum carum, vilescit cotidianum. Quod rarum est, carum est.

695. Est nulli certum cui pugna velit dare sertum. [Trench, Proverbs and Their Lessons 151] Ninguém tem certeza de a quem o combate dará a coroa de flores. A guerra, sabe-se como começa, não se sabe como termina. VIDE: Belli exitus incertus. Bellorum exitus incerti.

696. Est oculis sanum saepe lavare manum. [Regimen Sanitatis Salernitanum] É saudável para os olhos lavar as mãos com freqüência.

697. Est oculo gratum speculari semper amatum. [Gaal 133] Ao olho é sempre agradável ver a pessoa amada. Onde está vosso tesouro, lá está vosso coração.

698. Est omnino iniquum, sed usu receptum, quod honesta consilia vel turpia, prout male aut prospere cedunt, ita vel probantur vel reprehenduntur. [Plínio Moço, Epistulae 5.9.7] É totalmente injusto, mas aceito pelo uso, ver as ações honestas ou desonestas serem aprovadas ou reprovadas dependendo do seu sucesso ou insucesso.

699. Est orare ducum species violenta iubendi. As solicitações dos chefes são uma forma violenta de ordenar. Rogo dos grandes, mandamento é. Est orare ducum species violenta precandi. Pedido de chefe é forma violenta de pedir. Est orare ducum species violenta precandi, et quasi nudato supplicat ense potens. [Albertano da Brescia, De Amore 5] As solicitações dos chefes são uma forma violenta de pedir, e o poderoso suplica quase com a espada na mão.

700. Est pabulum animorum contemplatio naturae. [Cícero, Academicae Quaestiones 2.127] A contemplação da natureza é o alimento dos espíritos.

 


701. Est pactum duorum pluriumve in idem placitum consensus. [Ulpiano, Digesta 2.14.1] Pacto é a concordância de duas ou mais pessoas sobre a mesma questão.

702. Est pater ille quem iustae nuptiae demonstrant. [Jur] É pai aquele que as núpcias legítimas indicam. VIDE: Is pater vero est, quem iustae nuptiae demonstrant. Pater is est quem nuptiae demonstant. Pater is est, quem iustae nuptiae demonstrent, nisi evidentibus argumentis contrarium probatur.

703. Est patris nato vestem praebere cibumque. [Binder, Thesaurus 987] Cabe ao pai prover o filho de roupa e comida.

704. Est philosophi habere non errantem et vagam, sed stabilem certamque sententiam. [Cícero, De Natura Deorum 2.2] É do filósofo não ter o pensamento errante e vago, mas estável e definido.

705. Est pii Deum et patriam diligere. [Divisa] É do homem virtuoso amar a Deus e a sua pátria.

706. Est pluvia exurens, atque est sol qui irrigat herbas. [Rezende 1667] Há chuva que seca, e há sol que rega as plantas. Há chuva que seca, e sol que rega.

707. Est profecto animi medicina, philosophia. [Cícero, Tusculanae Disputationes 3.3.2] A filosofia é a verdadeira medicina do espírito.

708. Est profecto deus, qui, quae gerimus, auditque et videt. [Plauto, Captivi 245] Certamente há um deus que ouve e vê o que fazemos.

709. Est propter gloriam minoratio, et est qui ab humilitate levabit caput. [Vulgata, Eclesiástico 20.11] Há quem procura glória e encontra humilhação, e há quem foi humilhado, mas levanta a cabeça.

710. Est pueris carus qui non est doctor amarus. [Werner] É querido das crianças o professor que não é impertinente.

711. Est pulchris sua dos forma sine arte potens. [DAPR 104] O dote das mulheres belas é a beleza notável sem artifício. Mulher bonita nunca é pobre. Beleza vale riqueza. VIDE: Formosa virgo est dotis dimidium.

712. Est Pylus ante Pylum. [Erasmo, Adagia 2.8.45] Pilos fica diante de Pilos. (=Havia duas cidades gregas com o nome de Pilos, uma grande e rica, outra pequena e pobre). Muito vai de Pedro a Pedro.

713. Est quadam prodire tenus, si non datur ultra. [Horácio, Epistulae 1.32] É possível avançar até algum ponto, se não se pode ir além.

714. Est quaedam dolendi voluptas. Há um certo prazer na dor. VIDE: Est enim quaedam etiam dolendi voluptas, praesertim si in amici sinu defleas, apud quem lacrimis tuis vel laus sit parata, vel venia.

715. Est quaedam dulcedo sermonis, quae irrepit et blanditur. [Sêneca, Epistulae Morales 105] Há uma doçura na conversação que atrai e agrada.

716. Est quaedam flere voluptas. [Ovídio, Tristia 4.3.37] Há um certo prazer no chorar.

717. Est quaedam in ipsis malis miserorum voluptas. [Sêneca Retórico, Controversiae 4.1.1] Há certo prazer no próprio sofrimento dos infelizes.

718. Est quandoque olitor valde opportuna locutus. [Binder, Thesaurus 990] Algumas vezes o hortelão disse coisas muito oportunas. VIDE: Saepe etiam est stultus valde opportuna locutus. Saepe etiam est olitor valde opportuna locutus.

719. Est quasi grande forum vox alta trium mulierum. [Binder, Thesaurus 991] A voz alta de três mulheres é como um grande mercado. Três mulheres e um pato fazem uma feira. VIDE: Sermones fundent, si grex muliebris abundet. Tres feminae et tres anseres sunt nundinae. Tres mulieres faciunt nundinas.

720. Est qui declinat aliquos labores, sed incidit procul dubio in graviores. [S.Bernardo / Rezende 1671] Há quem foge de certos trabalhos, mas longe de dúvida cai em trabalhos maiores. Quem não quer sofrer o leme tem de sofrer o escolho.

721. Est qui macram regis vaccam, solvit opimam. [Rezende 1672] Quem a vaca d’el-rei come magra gorda a paga. Quem come a galinha magra paga a gorda.

722. “Est” qui non potuit dicere, dixit “erit”. [Binder, Medulla 438; Rezende 1644] Quem não pôde dizer “é” disse “será”.

723. Est quidem haec natura mortalium, ut nihil magis placeat quam quod amissum est. [Sêneca, Ad Marciam 16] É tal a natureza dos mortais, que nada lhes agrada mais do que o que se perdeu. Só se conhece o bem pelas costas.

724. Est quoque cunctarum novitas carissima rerum. [Ovídio, Ex Ponto 3.4.51] A novidade é a mais apreciada de todas as coisas. O novo apraz. Do que é novo gosta o povo. VIDE: Est natura hominum novitatis avida. Est nova res grata: vilescit res inveterata. Grata rerum novitas. Grata novitas. Nova placent. Omne novum carum, vilescit cotidianum.

725. Est regis tueri cives. Cabe ao rei proteger os cidadãos.

726. Est regium male audire et benefacere. [Publílio Siro] Cabe aos reis ouvir críticas e fazer o bem. VIDE: Benefacere et male audire regium est.

727. Est rerum omnium magister usus. [César, De Bello Civile 2.8] O uso é o mestre de todas as coisas. Batendo o ferro é que se fica ferreiro. Usa e serás mestre.

728. Est rerum omnium vicissitudo. Todas as coisas têm sua sorte. Tudo tem seu tempo. VIDE: Omnium rerum, heus, vicissitudo est! Rerum omnium vicissitudo.

729. Est satis atque superest verbum sapientibus unum. [Medina 581] Para quem sabe, uma única palavra dá e sobra. A bom entendedor uma palavra basta. A bons entendedores, poucas palavras. Para quem sabe ler, pingo é letra. VIDE: Cum sapiente loquens perpaucis utere verbis. Dictum sapienti sat est. Et satis et superest verbum sapientibus unum. Intellegenti pauca. Intellegenti satis dictum est. Sapienti dictum sat est. Sapienti pauca. Sapienti sat! Strenuis abunde dictum puta. Verbum sapienti sat est. Verbum sat sapienti!

730. Est socia mortis homini vita ingloria. [Publílio Siro] Para o homem, a vida inglória é companheira da morte.

731. Est solitudo mater sollicitudinis. [Publílio Siro] A solidão é a mãe da inquietação. VIDE: Solitudo est mater sollicitudinis.

732. Est sub lapide scorpius omni. [Manúcio, Adagia 171] Debaixo de toda pedra está um escorpião. Onde está o homem, está o perigo. Onde quer o demo jaz. VIDE: Sub omni lapide scorpius dormit.

733. Est tacens qui invenitur sapiens. [Vulgata, Eclesiástico 20.5] Há quem, estando calado, é tido por sábio. Tolo calado passa por avisado. VIDE: Dum tacet insipiens, sapiens tantisper habetur. Intellegis me esse philosophum? Intellexeram, si tacuisses. Quando tacet stolidus, prudenti corde putatur. Sapiens est, qui tacere novit. Si tacuisses, philosophus mansisses. Sile et philosophus esto. Stultitiam dissimulare non potes, nisi taciturnitate. Stultus quoque si tacuerit, sapiens reputabitur. Stultus tacebit: pro sapiente habebitur. Taciturnitas stulto homini pro sapientia. Tunc sapient stolidi, cum fuerint taciti.

734. Est tamen optimum, si terram nunquam expertus es alienam. [Sófocles / Rezende 1675] É grande felicidade não se ter nunca experimentado a terra alheia.

735. Est tanti, ut gratum invenias, experiri et ingratos. [Sêneca, Epistulae Morales 81.2] Vale a pena experimentar também os ingratos, para encontrar um homem grato.

736. Est tarda illa quidem medicina, sed tamen magna, quam affert longinquitas et dies. [Cícero, Tusculanae Disputationes 3.16] É lento, mas de grande eficácia, o remédio que trazem a distância e o tempo.

737. Est tempus quando nihil, est tempus quando aliquid, nullum tamen est tempus in quo dicenda sunt omnia. [DAPR 786] Há momento em que não se deve dizer nada, há momento em que se deve dizer alguma coisa, mas em momento nenhum se deve dizer tudo.

738. Est tempus tacendi non minus atque est tempus loquendi. Há um tempo de calar, bem como há um tempo de falar. VIDE: Tempus tacendi et tempus loquendi.

739. Est turba semper argumentum pessimi. [Publílio Siro] A multidão é sempre o indicador do pior.

740. Est unusquisque faber ipse suae fortunae. [Appius Claudius Caecus] Cada um é artífice da própria sorte. O homem faz-se por si. Cada um é filho de suas obras. Felicidade, cada qual faz a sua. Vem a ventura a quem a procura. VIDE: Faber est suae quisque fortunae. Faber quisque fortunae sibi. Faber quisque fortunae suae. Faber suae fortunae unusquisque est ipsus. Fabrum esse quemque fortunae. Fortunae suae quisque faber est. Fortunam sibi quisque facit. Fortunam suam sibi quisque ipse parat. Fortunam suam quisque parat. Sapiens fingit fortunam sibi. Suae quisque fortunae faber est.

741. Est utique profunda ignorantia nescire quod pecces. [Publílio Siro] Sem dúvida é uma profunda ignorância não perceber o próprio erro.

742. Est verbum verum: frangit Deus omne superbum. [Samuel Singer, Thesaurus Proverbiorum 127] É uma afirmação verdadeira: Deus abate tudo que é soberbo. VIDE: Desine grande loqui; frangit Deus omne superbum. Hoc retine verbum: frangit Deus omnem superbum.

743. Est virtus placitis abstinuisse bonis. [Ovídio, Heroides 17.40] É virtude abstermo-nos dos bens que nos são agradáveis.

744. Est vulgus ad deteriora promptum. [Tácito, Annales 15.64] O vulgo está sempre pronto para as coisas piores.

745. Este procul, lites, et amarae proelia linguae! [Ovídio, Ars Amatoria 2.1.151] Ficai longe de mim, conflitos e lutas de uma língua mordaz.

746. Estisne vos legati oratoresque? [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 1.38] Sois vós os embaixadores?

747. Esto ad iram tardus, ad misericordiam pronus, in adversis firmus, in prosperis cautus et humilis. [S.Martinho de Dume, Formula Vitae Honestae 4] Sê lento para a ira, disposto para a misericórdia, firme na adversidade, cauteloso e humilde no sucesso.

748. Esto brevis, et placebis. [Rezende 1660] Sê breve, e agradarás.

749. Esto brevis, ut cito dicta percipiant animo dociles teneantque fideles. [Horácio, Ars Poetica 335] Sê breve para que logo tuas palavras atinjam os dóceis de espírito e os mantenham fiéis.

750. Esto consentiens adversario tuo cito dum es in via cum eo. [Vulgata, Mateus 5.25] Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás na estrada com ele.

751. Esto correctus et semper paratus. [S.Agostinho, Sermones 82.14] Mantém-te no bom caminho e sempre alerta. VIDE: Nunquam non paratus. Semper paratus.

752. Esto fidelis usque ad mortem. [Vulgata, Apocalipse 2.10] Sê fiel até a morte.

753. Esto frater meus, et ego sim frater tuus, ut ambo simus eius qui Dominus est et meus et tuus. [S.Agostinho, Sermones 358.4] Sê meu irmão, e que eu seja teu irmão, para que ambos sejamos daquele que é meu e teu Senhor. VIDE: Agnosce me fratrem; agnosco te fratrem.

754. Esto humilis et pacificus. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 2.8.3] Sê humilde e pacífico.

755. Esto laborator, et erit Deus auxiliator. [Trench, Proverbs / DAPR 93] Sê trabalhador, e Deus será auxiliador. Ajuda-te, que Deus te ajudará. Deus ajuda a quem trabalha. Deus ajuda os diligentes. VIDE: Ad opus manum admovendo Fortunam invoca. Adesse gaudet, sed laboranti, Deus. Assiduos Deus ipse iuvat. Deus facientes adiuvat.

756. Esto leo ubi oportet, esto et simia interdum. [Apostólio 9.19] Sê leão quando é preciso, mas sê macaco de vez em quando.

757. Esto longanimis, et vir fortis: veniet tibi consolatio in tempore suo. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 4.30.10] Sê paciente e corajoso, que te virá a recompensa na hora certa.

758. Esto mansuetus ad audiendum verbum, ut intellegas et cum sapientia proferas responsum verum. [Vulgata, Eclesiástico 5.13] Sê manso para ouvir a palavra, a fim de que a entendas e dês com sabedoria uma resposta verdadeira.`

759. Esto peccator et pecca fortiter, sed fortius fide et gaude in Christo. [Lutero, Epistulae 1.345] Sê pecador, e peca corajosamente, mas com mais coragem confia e regozija-te em Cristo.

760. Esto perpetua. [Divisa do Estado de Idaho, EUA] Que dures para sempre.

761. Esto quod es; quod sunt alii, sine quemlibet esse. Sê o que és; o que os outros são, deixa cada um ser.

762. Esto quod esse videris. [Divisa] Sê o que pareces ser. VIDE: Re magis quam specie.


763. Esto tua sorte contentus. Contenta-te com tua sorte. VIDE: Nemo sua sorte contentus. Stude tua sorte contentus esse. Vive tua sorte contentus.

764. Esto, ut nunc multi, dives tibi, pauper amicis. [Juvenal, Satirae 5.113] Sê, como agora muitos, rico para ti, pobre para os amigos.

765. Esto vir. Sê varonil. Porta-te varonilmente. VIDE: Estote viri.

766. Esto vir fortis. [Vulgata, 2Reis 10.12] Mostra-te com valor.

767. Estote ergo prudentes sicut serpentes, et simplices sicut columbae. [Vulgata, Mateus 10.16] Sede, pois, prudentes como as serpentes e simples como as pombas.

768. Estote parati. [Vulgata, Mateus 24.44] Ficai preparados.

769. Estote viri. [Vulgata, 1Reis 4.9] Portai-vos varonilmente. VIDE: Esto vir.

770. Estque pati poenam, quam meruisse, minus. [Ovídio, Ex Ponto 1.1.62] E sofrer uma punição é menos que merecê-la. A vergonha está no crime, não na pena. VIDE: Pati poenam minus est quam meruisse. Puniri non est malum, sed fieri poena dignum.

771. Esu suave, digestione grave. Gostoso de comer, difícil de digerir.

772. Esuriem silva patiens lupus exit opaca. [Binder, Thesaurus 998] O lobo com fome sai do escuro bosque. A fome faz sair o lobo do mato. A fome e a sede põe a lebre a caminho. VIDE: Fames pellit lupum e silvis. Longa fames macros mittit in arva lupos.

773. Esuriens stomachus fertur coquus optimus esse. [Walther 8065 / Tosi 717] Considera-se o estômago faminto o melhor cozinheiro. A fome é boa cozinheira. VIDE: Ambitiosa non est fames. Anima esuriens et amarum pro dulci sumet. Fames est optimus coquus. Fames optimus est coquus.

774. Esuriens venter non vult studere libenter. [Walther 8067 / Tosi 721] Barriga faminta não quer estudar. Sem comer não há prazer. VIDE: Ieiunus venter non vult cantare libenter. Impletus venter non vult studere libenter. Venter plenus somnum parit.

775. Esurientes implevit bonis, et divites dimisit inanes. [Vulgata, Lucas 1.53] Encheu de bens os famintos, e os ricos despediu vazios.

776. Esurientes in popina. [Stevenson 2209] Esfomeados na taberna.

777. Esurienti ne occurras. [Erasmo, Adagia 4.10.53] Não contraries o homem esfomeado. O ventre em jejum não ouve a nenhum. VIDE: Famelico ne occurras. Fames et mora bilem in nasum conciunt. Non interpellandus famelicus.

778. Esurienti vulpi somnus obrepit. [Apostólio 16.8] O sono toma a raposa faminta. VIDE: Somnus domat famem malorum pessimum. Vulpi esurienti somnus obrepit.

779. Esurivi enim, et dedisti mihi manducare; sitivi, et dedisti mihi bibere. [Vulgata, Mateus 25.35] Tive fome, e me deste de comer; tive sede, e me deste de beber.

780. Et a mortuo tributum colligis. [Manúcio, Adagia 820] Até de defunto cobras imposto. VIDE: A mortuo tributum exigere. A mortuo tributum colligere. Exigit et a statuis farinam. Statuis ab ipsis hic farinas exigit. Vel a defuncto vectigal aufert. Vel a mortuo tributum auferat.

781. Et actum est. E assim se fez.

782. Et alia. E outras coisas. VIDE: Et cetera. Et reliqua.

783. Et alibi. E em outro lugar. E em outros lugares.

784. Et alii. E outros.

785. Et alius. E outro.

786. Et altera pars audiatur. Seja ouvida também a parte contrária. Se queres ser bom juiz, ouve o que cada um diz. VIDE: Audi et alteram partem. Audi alteram partem. Audi partem alteram. Audiatur et altera pars. Iudicium differ, partes dum audiveris ambas. Iudicium ne fer si non sunt ambo locuti. Ne iudex fueris, partes ni audiveris ambas. Ne rem defini, nisi partem audieris utramque. Solius affatus est sermo dimidiatus, sed cum auditur reliquus, tunc res aperitur.

787. Et ama tamquam inimicus futurus, et odi tamquam amaturus. [Bacon, Advancement of Learning 2.23.42] Não só deves amar como se fosses tornar-te inimigo, como deves odiar como se fosses vir a amar. VIDE: Ama tamquam osurus, oderis tamquam amaturus. Amare oportet tamquam osuros, et odisse tamquam amaturos. Amicum ita habeas posse ut fieri hunc inimicum scias. Ex inimico cogita posse fieri amicum. Ita amare oportere, ut si aliquando esset osurus. Ita amicum habeas, posse ut facile fieri hunc inimicum putes. Sicut osurus adama, oderis velut amaturus.

788. Et arma et verba vulnerant. Tanto ferem as armas quanto as palavras.

789. Et bonum et malum interius os prodit. [Branco 190] Tanto o bem como o mal mais ocultos aparecem no rosto. O mal e o bem à cara vêm. VIDE: Mores indicat vultus.

790. Et canis in somnis leporis vestigia latrat. [Gal 1559] Até o cão, nos sonhos, late para as pegadas da lebre. De noite sonha no que de dia anda cuidando. VIDE: Iudicibus lites, aurigae somnia currus.

791. Et catelli edunt de micis qui cadunt de mensa dominorum suorum. [Vulgata, Mateus 15.27] Também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa de seus donos.

792. Et caterva. E o seu grupo. E os iguais a ele(s).

793. Et cetera. E as demais coisas. E outras coisas. E o resto. VIDE: Et alia. Et reliqua.

794. Et comes et dominus passu gradiuntur eodem. O acompanhante e o senhor caminham no mesmo passo. Tão bom é Pedro como seu amo. Tal amo, tal criado.

795. Et commodum eius esse debet cuius periculum est. [Institutiones 3.23.4] Quem tem o risco, desse também deve ser o lucro. VIDE: Commodum eius esse debet, cuius periculum est. Cuius est commodum eius debet esse incommodum. Cuius periculum est, et commodum eius esse debet.

796. Et cum spirito tuo. E com teu espírito.

797. Et cupio, et nequeo. Quid agam? [Ovídio, Metamorphoses 8.498] Quero, mas não posso. Que devo fazer?

798. Et deest et superest miseris cogitatio. [Publílio Siro] Os infelizes têm, ao mesmo tempo, pensamentos de mais e de menos.

799. Et dedit mare mortuos, qui in eo erant. [Vulgata, Apocalipse 20.13] E o mar deu os mortos que estavam nele.

800. Et delator es, et calumniator. [Marcial, Epigrammata 11.66] És delator e és caluniador.

801. Et dicetur ei: Quid sunt plagae istae in medio manuum tuarum? Et dicet: His plagatus sum in domo eorum qui diligebant me. [Vulgata, Zacarias 13.6] Então se lhe fará esta pergunta: Que chagas são essas no meio das tuas mãos? E ele responderá: Com estas fui eu ferido em casa daqueles que me amavam.

802. Et dico huic: Vade, et vadit; et alii: Veni, et venit. [Vulgata, Mateus 8.9] E digo a um: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem.

803. Et docere et rerum exquirere causas. [Divisa da Universidade de Geórgia, EUA] Não só ensinar como também pesquisar as causas das coisas.

804. Et dolor ac morbus leti fabricator uterque. [Lucrécio, De Rerum Natura 3.473] Tanto a dor como a doença produzem a morte.

805. Et e contra. E vice-versa.

806. Et ecce ego vobiscum sum omnibus diebus, usque ad consummationem saeculi. [Vulgata, Mateus 28.20] Estou convosco todos os dias, até a consumação do tempo.

807. Et ecce, nocte iam media expavit homo. [Vulgata, Rute 3.8] E eis que pela meia-noite espertou o homem espavorido.

808. Et ego ipse homo sum. [Vulgata, Atos 10.26] Eu também sou homem.

809. Et ego movebo non solum terram sed etiam caelum. [Vulgata, Hebreus 12.26] E eu moverei não só a terra, mas também o céu.

810. Et equidem si scis tute, quot habeas hodie digitos in manu? [Plauto, Persa 190] E hoje sabes quantos dedos tens nas mãos? VIDE: Nescit capitis et inguinis discrimen. Nescit quot digitos habeat in manu.

811. Et erat in deserto quadraginta diebus et quadraginta noctibus. [Vulgata, Marcos 1.12] E ficou no deserto por quarenta dias e quarenta noites.

812. Et erit opus iustitiae pax. [Vulgata, Isaías 32.17] E a paz será a obra da justiça. VIDE: Opus iustitiae pax.

813. Et erit sicut populus sic sacerdos; et sicut servus sic dominus eius; sicut ancilla sic domina eius. [Vulgata, Isaías 24.2] E assim como for o povo, assim será o sacerdote; e como o criado, assim o seu amo; como a serva, assim a sua senhora. Et erit sicut populus, sic sacerdos. [Vulgata, Oséias 4.9]

814. Et facere et pati fortiter Romanum est. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 2.12] Trabalhar e sofrer com coragem é próprio do romano.

815. Et facti sunt amici Herodes et Pilatus in ipsa die, nam antea inimici erant ad invicem. [Vulgata, Lucas 23.12] E naquele dia ficaram amigos Herodes e Pilatos, porque estavam antes inimigos um do outro.

816. Et factus est sudor eius sicut guttae sanguinis decurrentis in terram. [Vulgata, Lucas 22.44] E veio-lhe um suor, como de gotas de sangue, que corria sobre a terra.

817. Et fecunda facit pectora laudis amor. [Ovídio, Tristia 5.12.38] O amor da glória fecunda o talento. A honra sustenta as artes.

818. Et ferrum, et ignis saepe medicinae loco est. [Sêneca, Agamemnon 152] Tanto a espada como o fogo muitas vezes funcionam como remédio.

819. Et ferrum vinces, si favet hora tibi. Vencerás até a espada, se o momento te é favorável. A quem Deus quer ajudar, o vento lhe apanha lenha. VIDE: Vel ferrum vinces, si favet hora tibi.

820. Et firmabitur iustitia thronus eius. [Vulgata, Provérbios 25.5] E o seu trono se firmará na justiça. VIDE: Iustitia thronum firmat.

821. Et formicae sua bilis inest. [Schottus, Adagia 177] Também a formiga tem a sua bílis. Também a formiga tem catarro. Cada formiga tem sua ira. Até o cabelo sutil faz sua sombra. VIDE: Est et formicae et culici sua bilis. Etiam formicae sua bilis inest. Formicae sua bilis inest, habet et musca splenem. Habet et musca splenem. Habet et musca splenem, et formica bilem. Inest et formicae fel. Inest et formicae sua bilis. Inest et formicae et serpho bilis. Tam parvum nihil est, cui sit defensio nulla

822. Et fraudator es, et negociator. [Marcial, Epigrammata 11.66] És trapaceiro, e és traficante.

823. Et fugit velut umbra. [Vulgata, Jó 14.2] E fugiu como uma sombra. VIDE: Homo, natus de muliere, brevi vivens tempore, repletur multis miseriis; quasi flos egreditur et conteritur, et fugit velut umbra, et nunquam in eodem statu permanet.

824. Et fuit ruina illius magna. [Vulgata, Mateus 7.27] E foi grande a sua ruína.

825. Et gaudium mihi et solacium in litteris, nihilque tam laetum quin his laetius, nihil tam triste quod non per has minus triste. [Plínio Moço, Epistulae 8.19.1] No estudo encontro prazer e consolo, e nada é tão agradável, que com ele não seja mais agradável, nada tão triste, que com ele não fique menos triste.

826. Et gaudium vestrum impleatur. [Vulgata, João 15.11] Que o vosso gozo seja completo.

827. Et genus et formam regina pecunia donat. [Horácio, Epistulae 1.6.37] A rainha Pecúnia concede tanto nobreza quanto formosura. Dom dinheiro é um grande cavalheiro. Et genus et famam regina pecunia donat. [Medina 590] A rainha Pecúnia tanto dá nobreza como fama.

828. Et genus et virtus, nisi cum re, vilior alga est. [Horácio, Satirae 2.5.8] Tanto a estirpe quanto a virtude, se não há dinheiro, valem menos do que o sargaço.

829. Et hasta et clipeo. [Schottus, Adagia 537] Tanto com a lança como com o escudo.

830. Et id genus omne. E tudo que é da mesma espécie. Et hoc genus omne.

831. Et in Arcadia ego! [Rezende 1693] Eu também (vivi) na Arcádia! (=Eu também fui feliz!)

832. Et in mellis copia non frustra pennas habet apicula. [S.Agostinho, Epistulae 15] Mesmo quando o mel é abundante, a abelha não tem as asas inúteis.

833. Et in terra pax hominibus bonae voluntatis. [Vulgata, Lucas 2.14] E na terra paz aos homens de boa vontade.

834. Et in toto plurimus orbe legor. [Ovídio, Tristia 4.10.128] Sou o mais lido em todo o mundo.

835. Et infima prosunt. Até as coisas mínimas são úteis.

836. Et ipse aderam. Eu também estava lá.

837. Et ipsi tacuerunt. [Vulgata, Lucas 9.36] Eles também se calaram.

838. Et iumentum et arator quietus erit diebus dominicis. [Schrevelius 1175] Tanto o jumento como o lavrador descansarão nos domingos.


839. Et lacrimae pondera vocis habent. [Ovídio, Heroides 3.4] Também as lágrimas têm o peso da voz. As lágrimas são a muda linguagem da dor. VIDE: Interdum lacrimae pondera vocis habent.

840. Et lacrimas risus non procul esse docet. O riso avisa que as lágrimas também não estão longe. Quem ri hoje chora amanhã.

841. Et latrat canis, sed frustra agitur vox irrita ventis, peragit cursus surda Diana suos. [Alciato, Emblemata 165] E o cão ladra, mas sua voz é levada inútil pelos ventos, e a Diana, surda, continua seu caminho. Os cães latem, e a caravana passa.

842. Et lepores audent caeco insultare leoni. Até as lebres ousam saltar por cima do leão cego. Leão moribundo, cachorro lhe mija. VIDE: Mortuo leoni etiam lepores insultant.

843. Et loqui poena est, et reticere tormentum. [Romulus Nilantius 2.20 / Tosi 1570] É perigoso falar, e um tormento calar.

844. Et maiora cupimus, quo maiora venerunt. [Sêneca, De Beneficiis 2.27.3] Quanto mais nos veio, tanto mais cobiçamos. Quanto mais temos, mais queremos.

845. Et mare iam non est. [Vulgata, Apocalipse 21.1] E o mar já não é.

846. Et mea omnia tua sunt, et tua mea sunt. [Vulgata, João 17.10] E todas as minhas coisas são tuas, e todas as tuas coisas são minhas.

847. Et memorem famam, qui bene fecit, habet. [Ovídio, Fasti 2.380] Que trabalhou bem, tem glória duradoura.

848. Et Metus, et malesuada Fames, et turpis Egestas. [Virgílio, Eneida 6.276] Não só o Medo, mas também a Fome má conselheira, e a feia Necessidade.

849. Et meum telum cuspidem habet acuminatam. [Erasmo, Adagia 1.2.88] Também minha lança tem ponta aguda. Também nossa espada corta. Também tenho duas mãos.

850. Et mihi sunt vires, et mea tela nocent. [Binder, Medulla 449] Eu também tenho força, e minhas armas ferem.

851. Et militavi non sine gloria. [Horácio, Carmina 3.26.2] Eu lutei não sem glória.

852. Et minimae vires frangere quassa valent. [Ovídio, Tristia 3.11.22] Até um pequeno esforço pode quebrar o que está rachado.

853. Et miseriarum portus est patientia. [Publílio Siro] A paciência é o refúgio dos sofrimentos.

854. Et motae ad lunam trepidabis harundinis umbram. [Juvenal, Satirae 10.21] Terás medo até da sombra de uma andorinha que se move à luz da lua.

855. Et mundus transit, et concupiscentia eius. [Vulgata, 1João 2.17] O mundo passa, e também a sua concupiscência.

856. Et nihil est quod non effreno captus amore ausit. [Ovídio, Metamophoses 6.450] E não há nada que, tomado de um amor desenfreado, não ousasse.

857. Et non erit Aegypto opus quod faciat caput et caudam, incurvantem et refrenantem. [Vulgata, Isaías 19.15] E não terá o Egito coisa que distinga a cabeça e a cauda, ao que encurva e ao que refreia. [Tradução do Padre Figueiredo] E o Egito estará na incerteza do que fazer: a cabeça e a cauda, o que manda e o que obedece. [Tradução do Padre Matos Soares]

858. Et nos aliquod nomenque decusque gessimus. [Macróbio, Saturnália 4.3; Pereira 94] E nós já tivemos alguma fama e glória. Algum dia fomos gente.

859. Et nos quoque tela sparsimus. Nós também atiramos muitas lanças. (=Nós também somos veteranos).

860. Et nunc erudimini. [Bossuet] Agora aprendei também vós.

861. Et nunc, reges, intellegite, erudimini, qui iudicatis terram. [Vulgata, Salmos 2.10] E agora, reis, compreendei; aprendei, vós que decidis os destinos da terra.

862. Et ossa et artus gelidus invasit tremor. [Sêneca, Oedipus 659] E um gelado arrepio invadiu meus ossos e membros.

863. Et pace et bello cunctis stat terminus aevi. [Sílio Itálico, Punica 5.134] Seja na paz, seja na guerra, para todos já está determinado o limite de nossa vida.

864. Et pilo sua umbra. Até o cabelo tem sua sombra. Até o cabelo sutil faz sua sombra.

865. Et portu ingresso deicit unda ratem. [Rezende 1705] E a onda vira o barco já dentro do porto. Nadar, nadar, e ir morrer à beira. Andar, andar, ir morrer à beira. VIDE: Navigat omnis homo, et portum contendit adire, et portu ingresso deicit unda ratem. Navigat omnis homo, et portum conscendit adire, et portum ingressus disicit unda ratem.

866. Et post malam segetem serendum est. [Sêneca, Epistulae Morales 81.1; Erasmo, Adagia 4.4.62] Mesmo depois de uma colheita má é preciso semear. Por medo dos pardais não se deixa de semear cereais. VIDE: Etiam post malam segetem serendum est.

867. Et pretium et vitium tacti sonus indicat aeris. O som indica tanto a qualidade como o defeito do bronze que se toca. Pelo canto se conhece a ave.

868. Et prima vitae tempora et media patriae, extrema nobis impertire debemus. [Plínio Moço, Epistulae 4.23.3] O começo e o meio da nossa vida devemos consagrar à pátria; o fim, a nós mesmos.

869. Et pueri nasum rhinocerotis habent. Os filhotes também têm nariz de rinoceronte. Tal pai, tal filho. De tal gente, tal semente.

870. Et puero perspicuum est. [Erasmo, Adagia 2.1.42] Isto é claro até para uma criança. Até um cego vê isso. VIDE: Hoc et puero notum. Puero etiam perspicuum.

871. Et quae tanta fuit Romam tibi causa videndi? Libertas, quae sera tamen respexit inertem. [Virgílio, Eclogae 1.27] Melibeu: E que motivo tão importante tiveste para ver Roma? Títiro: A liberdade, que embora tarde, voltou os olhos para este tímido. (=Libertas, quae sera tamen, adotada como divisa pelos Inconfidentes Mineiros, passou a divisa do Estado de Minas Gerais). VIDE: Libertas, quae sera tamen respexit inertem.

872. Et quasi cursores, vitae lampada tradunt. [Lucrécio, De Rerum Natura 2.79] E, como corredores, passam um para o outro a lâmpada da vida. VIDE: Augescunt aliae gentes, aliae minuuntur, inque brevi spatio mutantur saecla animantum et quasi cursores vitae lampada tradunt.

873. Et qui fecerunt, oderunt iniuriam. Mesmo os que a cometeram, odeiam a injustiça. VIDE: Etiam qui faciunt, oderunt iniuriam.

874. Et qui manet in caritate, in Deo manet, et Deus in eo. [Vulgata, 1João 4.16] E quem permanece no amor permanece em Deus, e Deus nele.

875. Et qui nolunt occidere, quemquam, posse volunt. [Juvenal, Satirae 10.96] Mesmo os que não querem matar ninguém, querem ter esse poder.

876. Et qui uxorem non habent filios adoptare possunt. [Paulo, Digesta 1.7.30] Também os que não têm mulher podem adotar filhos.

877. Et quidquid Deus non est, nihil est, et pro nihilo computari debet. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 3.31.11] Tudo que não é Deus não é nada, e deve ser contado como nada.

878. Et quis est Deus qui eripiet vos de manu mea? [Vulgata, Daniel 3.15] E quem é o Deus que vos poderá livrar de minha mão?

879. Et quo non ascendam? [Divisa de Fouquet] E aonde eu não chegarei? VIDE: Quo non ascendet?

880. Et quod nondum est factum, ea ne si utilia quidem sunt fieri oportet? [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 4.4] E o que ainda não foi feito, se essas coisas são úteis, não é necessário que sejam feitas?

881. Et, quod tentabam dicere, versus erat. [Ovídio, Tristia 4.10.26] E o que eu tentava dizer era verso. VIDE: Quidquid tentabam dicere versus erat.

882. Et redit ad nihilum quod fuit ante nihil. [Maximiano, Elegiae 1.222] Volta ao nada o que antes foi nada.

883. Et refellere sine pertinacia et refelli sine iracundia parati sumus. [Cícero, Tusculanae Disputationes 2.2.2] Estamos preparados tanto para contestar sem obstinação como para sermos contestados sem ódio.

884. Et reliqua. E as outras coisas. E o mais. VIDE: Et alia. Et cetera.

885. Et requiem tibi dabit Dominus semper. [Vulgata, Isaías 58.11] E o Senhor te dará sempre descanso. VIDE: Requiem faciet tibi Altissimus.

886. Et requievit Deus die septima ab omnibus operibus suis. [Vulgata, Hebreus 4.4] E no sétimo dia descansou Deus de todas as suas obras. Et requievit ab universo opere quod patrarat. [Vulgata, Gênesis 2.2] E descansou (Deus) no dia sétimo de toda a obra que fizera.

887. Et ridiculis data gloria, ni prohibet fors. [Ausônio, Opuscula 5] Até as coisas ridículas alcançam a glória, se não o impede a sorte.

888. Et rivulus tenuis ex suo fonte et surculus modicus ex sua fronde qualitatem originis continet. [Tertuliano, De Spectaculis 7.4] Tanto o acanhado riacho como o pequeno ramo têm em si a natureza de sua origem, aquele, da sua fonte, este, da sua fronde.

889. Et satis et superest verbum sapientibus unum. [Pereira 93] A quem sabe, uma única palavra não só basta, como até sobra. A bons entendedores, poucas palavras. VIDE: Cum sapiente loquens perpaucis utere verbis. Dictum sapienti sat est. Est satis atque superest verbum sapientibus unum. Intellegenti pauca. Intellegenti satis dictum est. Sapienti dictum sat est. Sapienti pauca. Sapienti sat! Strenuis abunde dictum puta. Verbum sapienti sat est. Verbum sat sapienti!

890. Et sceleratis sol oritur. [Sêneca, De Benefíciis 4.24.1] O sol nasce até para os malvados. O sol nasce para todos. VIDE: Cum sol oritur, cunctis oritur. Cum sol oritur, omnibus oritur. Sol omnibus lucet.

891. Et scienti et consentienti non fit iniuria. [Jur] A quem sabe e concorda não se faz injustiça. VIDE: Nemo videtur fraudare eos qui sciunt et consentiunt. Nulla est iniuria quae in volentem fiat. Scienti et consentienti non fit iniuria neque dolus. Scienti et consentienti nulla fit iniuria. Scienti et volenti non fit iniuria. Volenti et consentienti non fit iniuria. Volenti non fit iniuria.

892. Et sedebit populus meus in pulchritudine pacis. [Vulgata, Isaías 32.18] E assentar-se-á o meu povo na formosura da paz.

893. Et sequentes. E os seguintes.

894. Et sequentia. E as coisas que se seguem.

895. Et sermone et opere. Não só com palavras, mas também com atos.

896. Et servi homines sunt. [Petrônio, Satiricon 71] Os escravos também são seres humanos.

897. Et si alterum pedem in tumulo haberem, non pigeret aliquid addiscere. [Pompônio / Rezende 1715] Mesmo que eu tivesse um pé no túmulo, não me envergonharia aprender alguma coisa.

898. Et sic de ceteris. E assim quanto ao resto. Et sic de similibus.

899. Et sic fecit. E assim fez.

900. Et sic labitur aetas. [Inscrição em quadrante solar] E assim passa o tempo. VIDE: Cito pede labitur aetas.

901. Et sic ulterius. E assim por diante.

902. Et spem et metum fors caeca versat. [Sêneca, Phoenissae 631] A sorte cega muda tanto a esperança como o medo.

903. Et suges lac gentium, et mamilla regum lactaberis. [Vulgata, Isaias 60.16] E mamarás o leite das gentes, e serás criada ao peito dos reis.

904. Et tamen, si in arenam procederent pugnaturi inter se gladiatores, quorum alter filius, alter esset pater, tale spectaculum quis ferret? quis non auferret? [S.Agostinho, De Civitate Dei 3.14.2] E se dois gladiadores avançassem na arena para o combate, e se um deles fosse o filho, o outro o pai, quem suportaria tal espetáculo? Quem não o interromperia?

905. Et tenebit iustus viam suam. [Vulgata, Jó 17.9] Mas o justo prosseguirá o seu caminho.

906. Et teritur pressa vomer aduncus humo. [Rezende 1723] Até o arado afiado se gasta na terra dura. Tanto dá a água na pedra, até que fura. VIDE: Atteritur pressa vomer aduncus humo.

907. Et terram rumor transilit et maria. [Propércio, Elegiae 2.18.38] A fama atravessa tanto a terra como os mares.

908. Et trepidae matres pressere ad pectora natos. [Virgílio, Eneida 7.518] E as mães tremendo apertaram aos peitos os filhos. E as mães que o som terrível escutaram, aos peitos os filhinhos apertaram. [Camões, Lusíadas 4.28]

909. Et tu, Brute, fili mi! Tu também, Bruto, meu filho! (=Exclamação de César ao ver no grupo dos seus assassinos Bruto, que passava por ser seu filho. Segundo Suetônio, a frase teria sido dita em grego). VIDE: Tu quoque, Brute, fili mi!

910. Et tu ex illis es, nam et loquella tua manifestum te facit. [Vulgata, Mateus 26.73] Tu certamente também és dos tais, porque até a tua linguagem te dá bem a conhecer. VIDE: Loquela tua manifestum te facit.

911. Et tu, unde agis? [Plauto, Bacchides 1106] E tu, de onde vens?

912. Et uxor. E esposa. (=Fórmula usada depois do nome do marido, para indicar que a mensagem é do casal).

913. Et venite, et arguite me. [Vulgata, Isaías 1.18] E vinde, e argüi-me.

914. Et ventis adversis. [Divisa de Grabrielle d’Annunzio] Mesmo com os ventos contrários.

915. Et vera incessu patuit dea. [Virgílio, Eneida 1.402] Até pelo modo de andar revelou-se uma verdadeira deusa.

916. Et verbum caro factum est. [Vulgata, João 1.14] E a palavra se fez carne.

917. Et veritatem diligimus et Platonem, sed rectius est diligere veritatem. [Tosi 299] Amamos tanto a verdade quanto a Platão, mas é mais justo amar a verdade. Amigo do compadre, mas mais da verdade. Amigo de todos iguais, e da verdade mais. VIDE: Amicus Plato, sed magis amica veritas. Amicus Plato, amicus Socrates, sed praehonoranda veritas. Amicus Plato, amicus Socrates, sed magis amica veritas. Amicus Socrates, sed magis amica veritas. Minime vero veritati praeferendus est vir. Plato amicus, sed magis amica veritas.

918. Et videt, et librat iusta Deus omnia lance. [Binder, Thesaurus 1004] Deus tudo vê e pesa numa balança justa.

919. Et virtus testudinibus et sapientia cedit. [Erasmo] Tanto a virtude como a sabedoria se submetem ao dinheiro. (=Testudo, moeda dos peloponesos, que trazia uma tartaruga gravada). O dinheiro governa o mundo. Não há cerradura, se é de ouro a gazua. VIDE: Testudines vincunt sapientiam et virtutem. Virtutem et sapientiam vincunt testudines.

920. Et vitrum et mulier sunt in discrimine semper. [Pereira 94] Mulher e vidro estão sempre em perigo. O homem é fogo, a mulher estopa, vem o diabo e sopra.

921. Et vulpes in laqueos incidunt. Até mesmo as raposas caem em armadilhas.

922. Etenim passer invenit sibi domum, et turtur nidum sibi, ubi ponat pullos suos. [Vulgata, Salmos 83.4] Ainda o passarinho acha casa para si, e a rola ninho para si, onde ponha seus filhinhos.

923. Etenim si incertam vocem dat tuba, quis parabit se ad bellum? [Vulgata, 1Coríntios 14.8] Se a trombeta der um som confuso, quem se preparará para a batalha?

924. Etiam atque etiam. E mais e mais. Repetidamente. Minuciosamente.

925. Etiam atque etiam, cui des, considera. [Sêneca, De Beneficiis 3.14.2] Examina minuciosamente a quem fazes favor.

926. Etiam atra gallina candida ova excludit. Mesmo a galinha preta põe ovos brancos. Galinha preta põe ovo branco. VIDE: Praebet candoris lac nigri vacca coloris.

927. Etiam bestiae fame monitae plerumque ad eum locum ubi aliquando pastae sunt revertuntur. [Cícero, Pro Cluentio 25.1] Mesmo os animais orientados pela fome geralmente retornam ao lugar onde algum dia se alimentaram.

928. Etiam bonis malum saepe est assuescere. [Publílio Siro] Muitas vezes é até um mal acostumar-se às coisas boas. Etiam bonum saepe obest assuescere.

929. Etiam capillus unus habet umbram suam. [Publílio Siro] Até mesmo um único cabelo tem sua sombra. Até um cabelo faz sombra. Cada cabelo faz sua sombra na terra. Etiam capillus suam facit umbram. [Pereira 122] VIDE: Vel capillus habet umbram suam.

930. Etiam capra improbum hominem mordeat. [Apostólio 10.87] Até a cabra morderá o homem mau. Ao mau todos perseguem. Etiam capra virum mordeat malum. [Schottus, Adagia 227] VIDE: Mus mordeat improbum. Scelerosum mordeat et mus. Vel capra mordeat nocentem. Vel mus mordeat improbum. Virum improbum vel mus mordeat. Virum mus mordeat ipsa malignum.

931. Etiam celeritas in desiderio mora est. [Publílio Siro] Quando se deseja, até a rapidez é considerada demora. VIDE: Animo cupienti nihil satis festinatur.

932. Etiam cum vulnus sanatum est, cicatrix manet. [Sêneca, De Ira 1.16.7] Mesmo quando a ferida está curada, fica a cicatriz. VIDE: Cicatrix manet. Etiam sanato vulnere cicatrix manet.

933. Etiam fera animalia, si clausa teneas, virtutis obliviscuntur. [Tácito, Historiae 4.64] Mesmo os animais ferozes, se são mantidos em cativeiro, se esquecem de sua coragem.

934. Etiam ferocissimos domari. [Alciato, Emblemata 29] Até os homens mais ferozes podem ser vencidos.

935. Etiam formicae sua bilis inest. [Pereira 122] Também a formiga tem a sua bílis. Também a formiga tem catarro. Cada formiga tem sua ira. Até o cabelo sutil faz sua sombra. VIDE: Est et formicae et culici sua bilis. Et formicae sua bilis inest. Formicae sua bilis inest, habet et musca splenem. Habet et musca splenem. Habet et musca splenem, et formica bilem. Inest et formicae fel. Inest et formicae sua bilis. Inest et formicae et serpho bilis. Tam parvum nihil est, cui sit defensio nulla

936. Etiam fructibus a semine degenerare contigit. [Tertuliano, Apologeticus 19.1] Já aconteceu até frutos degenerarem da semente. VIDE: Ex optimo parente nonnunquam pessimum filium.

937. Etiam glaebam erro admittit. O vagabundo também aceita um pedacinho de terra. Homem pobre com pouco se alegra. VIDE: Accipit et glaebam erro. Etiam pauper glaebam capit erro. Glaebam quoque accipit erro.

938. Etiam hosti est aequus, qui habet in consilio fidem. [Publílio Siro] Quem tem confiança na própria decisão é imparcial até com o inimigo.

939. Etiam illud quod scies, nesciveris, nec videris quod videris. [Plauto, Miles Gloriosus 572] Tudo que souberes, não saberás, e o que vires, não verás.

940. Etiam in bonis moribus aliquid exsistet asperius. [Sêneca, De Ira 2.31.4] Mesmo nos bons caracteres se encontra alguma aspereza.

941. Etiam in obsessa via pauperi pax est. [Sêneca, Epistulae Morales 14.9] Mesmo numa estrada cercada por ladrões o pobre tem tranqüilidade. Ninguém pode despir um homem nu. VIDE: Nudum latro transmittit; etiam in obsessa via pauperi pax est.

942. Etiam in pace, belli tamen iura servantur. [Quinto Cúrcio, Historiae 7.8] Mesmo na paz se observam as leis da guerra.

943. Etiam in secundissimis rebus est utendum consilio amicorum. [Cícero, De Officiis 1.91] Mesmo nos momentos mais favoráveis deve-se usar o conselho dos amigos.

944. Etiam innocentem poena quandoque obruit. Às vezes, a punição recai sobre o inocente. Paga o justo pelo pecador.

945. Etiam innocentes cogit mentiri dolor. [Publílio Siro] A dor até os inocentes faz mentir.

946. Etiam instanti laesa repugnat ovis. [Propércio, Elegiae 2.5.20] Até a ovelha ferida enfrenta quem a ameaça. Cada formiga tem sua ira. Rã também sente como gente. VIDE: Laesa saepius repugnat ovis. Nemo ita despectus, quin possit laedere laesus. Non solum taurus ferit uncis cornibus hostem, verum etiam instanti laesa repugnat ovis.

947. Etiam inter rosas aculei. Até entre rosas se encontram espinhos. Não há rosa sem espinho. Não há rosa sem espinho, nem formosa sem senão.

948. Etiam inter vepres rosae nascuntur. [Grynaeus 593] Até entre espinheiros nascem rosas. A rosa nasce no meio de espinhos. Etiam inter rosas aculei. Até entre rosas, espetos. VIDE: Fert mixtas spinis terra inarata rosas. Inter vepres rosae nascuntur. Inter vepres rosae nascuntur, et inter feras non nullae mitescunt. Semper odoriferis proxima spina rosis. Urticae proxima saepe rosa est.

949. Etiam iuri civili domestici testimonii fides improbatur. [Jur] Também em direito civil se nega a validade do testemunho familiar.

950. Etiam mala fortuna habet suas levitates. [Erasmo / Stevenson 2530] Até a má sorte tem suas mudanças. Não há mal que sempre dure, nem bem que sempre ature. VIDE: Habet etiam mala fortuna levitatem.

951. Etiam me meae latrant canes. [Plauto, Poenulus 1233] Até meus próprios cães latem para mim.

952. Etiam mendicus mendico invidet. [Brewer, Dictionary 1255] Até mendigo inveja mendigo. Não se tem inveja a defuntos e apartados, senão a vizinhos e a chegados. VIDE: Mendicus mendico invidet. Par paribus invidet.

953. Etiam nimia peritur laetitia. [DAPR 450] De muita alegria também se morre.

954. Etiam nunc ploras? Iam curabo, fatum tuum plores. [Petrônio, Satiricon 75] Ainda choras? Vou providenciar para que tenhas motivo para chorar a tua sorte.

955. Etiam oblivisci quid sis, interdum expedit. [Publílio Siro] Às vezes, vale a pena até esquecer quem se é. Etiam oblivisci quid scis, interdum expedit. Às vezes, vale a pena até esquecer o que se sabe. Fazer-se de tolo para viver.

956. Etiam parietes, arcanorum soli conscii, timebantur. [Amiano Marcelino, Historiae 14.1.7] Até as paredes, que eram as únicas conhecedoras dos segredos, eram temidas. Matos têm olhos, e paredes têm ouvidos. Etiam parietes timendi. Até as paredes devem ser temidas.

957. Etiam pauper glaebam capit erro. [Schottus, Adagia 593] O pobre vagabundo também aceita um pedacinho de terra. Homem pobre com pouco se alegra. VIDE: Accipit et glaebam erro. Etiam glaebam erro admittit. Glaebam quoque accipit erro.

958. Etiam peccanti recte praestatur fides. [Publílio Siro] Mesmo a quem erra, mantenha-se a palavra dada.

959. Etiam periere ruinae. [Lucano, Pharsalia 9.969] Até as ruínas desapareceram. VIDE: Tota teguntur Pergama dumetis: etiam periere ruinae.

960. Etiam post malam segetem serendum est. [Pereira 108] Mesmo depois de uma colheita má deve-se semear. Um dia melhor do que outro. Por medo dos pardais não se deixa de semear cereais. VIDE: Et post malam segetem serendum est.

961. Etiam proximo suo pauper odiosus erit, amici vero divitum multi. [Vulgata, Provérbios 14.20] O pobre é aborrecido até para o parente, mas os amigos dos ricos são muitos. Pobre não tem parente.

962. Etiam prudentissimi peccant. [Sêneca, De Ira 25.2] Até os mais prudentes cometem erros.

963. Etiam puer et stultus opportuna loquuntur. Até uma criança e um tolo podem dizer coisas adequadas.

964. Etiam qui faciunt, oderunt iniuriam. [Publílio Siro] Mesmo os que a cometem odeiam a injustiça. VIDE: Et qui fecerunt, oderunt iniuriam.

965. Etiam sanato vulnere cicatrix manet. [Publílio Siro] Mesmo quando a ferida está curada, fica a cicatriz. VIDE: Cicatrix manet. Etiam cum vulnus sanatum est, cicatrix manet.

966. Etiam sapientibus cupido gloriae novissima exuitur. [Tácito, Historia Romana 4.6] A paixão da glória é a última de que se despojam mesmo os sábios.

967. Etiam saxa loquentur. [Grynaeus 452] Até as pedras falarão.

968. Etiam seni est discendum. [Sêneca, Epistulae Morales 76.3] Até o velho deve aprender. VIDE: Ad discendum nulla aetas sera. Discendum quamdiu vivas. Tamdiu discendum est, quamdiu vivas. Tamdiu discendum, quamdiu vivitur.

969. Etiam si Cato dicat. [Erasmo, Adagia 4.5.61] Mesmo que o diga Catão. Nem vendo acredito. VIDE: Istud incredibile est, etiam si dicat Cato.

970. Etiam si omnes, ego non. [Divisa do Conde de Clermont-Tonnere, deputado da nobreza nos Estados Gerais] Mesmo que todos, eu não.

971. Etiam sine lege poena est conscientia. [Publílio Siro] Mesmo não havendo lei, a consciência é uma punição.

972. Etiam sine magistro vitia discuntur. [Sêneca, Quaestiones Naturales 3.30.8] Os vícios se aprendem até sem professor. VIDE: Sine magistro vitia discuntur. Vitia sine praeceptore discuntur.

973. Etiam stultis acuit ingenium fames. [Fedro, Fabulae, Appendix 22.8] Mesmo nos tolos a fome aguça o engenho. A necessidade espicaça o engenho. VIDE: Artificia docet fames. Fames acuit animantibus ingenium. Ingeniosa gula est. Magister artis ingeniique largitor venter.

974. Etiam summi gubernatores in magnis tempestatibus a vectoribus admoneri solent. [Cícero, Philippica 7.9.27] Mesmo os melhores pilotos, nas grandes tempestades, costumam se aconselhar com os passageiros.

975. Etiam tacere est respondere. Calar também é responder. Silêncio também é resposta.

976. Etiam tu, homo nihili? [Plauto, Bacchides 1152] Tu também, palerma? VIDE: Homo nihili. Quid, homo nihili, non pudet te?

977. Etiam ubi remedium est mori, scelus est occidere. [Sêneca Retórico, Controversiae 3.9] Mesmo quando morrer é um remédio, matar é crime.

978. Etiam vetus arbustum transferri potest. [Grynaeus 530] Até um arbusto velho pode ser transplantado. Nunca é tarde para o bem. Nunca é tarde para aprender. VIDE: Quamvis vetus arbustum posse transferri. Non unquam sera est ad bonos mores via.

979. Etiam vigilans somniat, qui stolida vota facit. Quem tem desejos tolos, sonha até quando está acordado.

980. Etiamsi non loquaris, ex ipsa pelle conspicuus es. [Apostólio 7.82] Mesmo que não fales, és conhecido pelo teu próprio rosto.

981. Etiamsi oportuit me mori tecum, non te negabo. [Vulgata, Mateus 26.35] Ainda que eu tenha de morrer contigo, não te negarei.

982. Etiamsi spes non subesset, necessitas tamen stimulare deberet. [Quinto Cúrcio, Historiae 4.14] Mesmo que a esperança não nos sustentasse, a necessidade nos deveria estimular.

983. Etsi cuiquam facile est laude carere, dum denegatur, difficile est ea non delectari cum offertur. [S.Agostinho] Embora seja fácil passar sem elogios, enquanto eles são negados, é difícil não apreciá-los, quando são oferecidos.

984. Etsi imperitus sermone, sed non scientia. [Vulgata, 2Coríntios 11.6] Mesmo que eu seja imperito na palavra, não o sou no conhecimento.

985. Etsi nullos inimicos tibi faciat iniuria, multos tamen facit invidia. [Publílio Siro] Mesmo que a injustiça não te faça nenhum inimigo, a inveja far-te-á muitos.

986. Euge, poëta! [Pérsio, Satirae 1.75] Bravo, poeta!

987. Euge serve bone, et fidelis, quia super pauca fuisti fidelis, super multa te constituam. [Vulgata, Mateus 25.21; 25.23] Muito bem, servo bom e fiel, já que foste fiel nas coisas pequenas, dar-te-ei a intendência das grandes.

988. Eum ausculta cui quattuor sunt aures. [Erasmo, Adagia 1.3.8] Ouve quem tem quatro ouvidos. Se queres bom conselho, pede-o ao homem velho. Cão velho, quando ladra, dá aviso. VIDE: Audi cui quattuor aures. Audi quattuor habentem aures. Ausculta eum cui quattuor sunt aures.

989. Eum demum infortunatum esse, qui infortunium suum aequo animo ferre non possit. [Bion / Rezende 1730] É realmente infeliz aquele que não sabe sofrer a infelicidade com resignação.

990. Eum qui cum armis venit, possumus armis repellere. [Ulpiano, Digesta 43.16.3.9] Quem vem com armas, podemos repelir com armas.

991. Eum qui hominem occidit, si non occidendi animo hoc admisit, absolvi posse. [Digesta 48.8.1.3] Aquele que matou um homem, se não o fez com a intenção de matar, pode ser absolvido.

992. Eum qui nasci speratur, pro superstite esse, cum de ipsius iure quaeritur. [Digesta 50.16.231] Aquele que se espera nascer, é tido como existente, quando se trata de seu direito.

993. Eum time qui Deum non timet. Teme a quem não teme a Deus.

994. Eumdem calceum omni pedi inducere. [Galeno / Erasmo, Adagia 4.4.56] Calçar todo pé com o mesmo sapato. O mesmo sapato não serve em todos os pés. Eumdem calceum omni pedi induere. Eumdem calceum non omni inducendum pedi. Não se deve calçar o mesmo sapato em todo pé. VIDE: Eodem collyrio mederi omnibus. Non omni eumdem calceum induas pedi. Non omni eumdem calceum induces pedi. Non omnis calceus convenit cuilibet pedi. Omni pedi eumdem calceum induis.

995. Eunt anni more fluentis aquae. [Ovídio, Ars Amatoria 3.62] Os anos passam como a água corrente. O tempo passa e não volta.

996. Euntes ergo, docete omnes gentes. [Vulgata, Mateus 28.19] Ide, pois, ensinai a todas as gentes.

997. Eunuchus paelicem poscit. O eunuco quer uma amante. Para quê cego com espelho? Eunuchus paelicem. [Schottus, Adagia 322]

998. Evasi, effugi. Spes et Fortuna, valete. Nil mihi vobiscum est; ludificate alios. [Inscrição em túmulo] Escapei, fugi. Esperança e Fortuna, adeus. Nada tenho convosco; ide enganar a outros.

999. Evasi mala, sum nactus meliora. [Grynaeus 100] Evitei as coisas ruins, encontrei as melhores. A quem se muda Deus ajuda. VIDE: Effugi malum, inveni bonum. Effugi mala, inveni meliora. Fugi mala, habens meliora.

1000. Eveniat hospes quisquis profuturus est. [Albertatius 1439] Que venha o hóspede que me beneficie. Hóspede que jejua e não ceia, bem-vindo seja!

1001. Eum qui cum armis venit, possumus armis repellere. [Ulpiano, Digesta 43.16.3.9] Quem vem com armas, podemos repelir com armas.

1002. Eum qui hominem occidit, si non occidendi animo hoc admisit, absolvi posse. [Digesta 48.8.1.3] Aquele que matou um homem, se não o fez com a intenção de matar, pode ser absolvido.

1003. Eum qui nasci speratur, pro superstite esse, cum de ipsius iure quaeritur. [Digesta 50.16.231] Aquele que se espera nascer, é tido como existente, quando se trata de seu direito.

1004. Eum sequantur incommoda qui habet commoda. [Jur] Os encargos devem ir para quem tem as vantagens. VIDE: Qui habet commoda, ferre debet et onera.

1005. Eum time qui Deum non timet. Teme a quem não teme a Deus.

1006. Eumdem calceum omni pedi inducere. [Galeno / Erasmo, Adagia 4.4.56] Calçar todo pé com o mesmo sapato. O mesmo sapato não serve em todos os pés. Eumdem calceum omni pedi induere. Eumdem calceum non omni inducendum pedi. Não se deve calçar o mesmo sapato em todo pé. VIDE: Eodem collyrio mederi omnibus. Non omni eumdem calceum induas pedi. Non omni eumdem calceum induces pedi. Non omnis calceus convenit cuilibet pedi. Omni pedi eumdem calceum induis.

1007. Eunt anni more fluentis aquae. [Ovídio, Ars Amatoria 3.62] Os anos passam como a água corrente. O tempo passa e não volta.

1008. Euntes ergo, docete omnes gentes. [Vulgata, Mateus 28.19] Ide, pois, ensinai a todas as gentes.

1009. Eunuchus paelicem poscit. O eunuco quer uma amante. Para quê cego com espelho? Eunuchus paelicem. [Schottus, Adagia 322] VIDE: Calvus pectinem poscit. Quid pectunt, qui non habent capillos?

1010. Evasi, effugi. Spes et Fortuna, valete. Nil mihi vobiscum est; ludificate alios. [Inscrição em túmulo] Escapei, fugi. Esperança e Fortuna, adeus. Nada tenho convosco; ide enganar a outros.

1011. Evasi mala, sum nactus meliora. [Grynaeus 100] Evitei as coisas ruins, encontrei as melhores. A quem se muda Deus ajuda. VIDE: Effugi malum, inveni bonum. Effugi mala, inveni meliora. Fugi mala, habens meliora.

1012. Eveniat hospes quisquis profuturus est. [Albertatius 1439] Que venha o hóspede que me beneficie. Hóspede que jejua e não ceia, bem-vindo seja!

1013. Eveniunt digna dignis. [Plauto, Poenulus 1267] Coisas dignas acontecem aos homens dignos. VIDE: Digna dignis eveniunt. 

1014. Eveniunt homini post luctus gaudia saepe. [Walther / Tosi 1706] Muitas vezes, depois da dor vêm alegrias para o homem. Depois da tempestade vem a bonança. VIDE: Blandi post nubila soles. Post nubila, Phoebus.

1015. Eventum formae disce timere tuae. [Propércio, Elegiae 3.25.18] Aprende a temer o fim de tua beleza.

1016. Eventus belli varii. Os resultados da guerra são incertos. A guerra, sabe-se como começa, não se sabe como termina. VIDE: Anceps belli casus. Armorum exitus semper incerti, et timidi. Belli exitus incertus. Bellorum exitus incerti. Fortuna belli fluxa. Mars dubius. Nusquam minus quam in bello eventus respondet. Varius et dubius est belli eventus.

1017. Eventus damni. [Jur] O resultado do dano.

1018. Eventus docuit fortes Fortunam iuvare. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 8.29] A experiência ensinou que a deusa Fortuna ajuda os corajosos. VIDE: Fortes fortuna adiuvat. Fortes fortuna iuvat. Fortibus est fortuna viris data. Fortuna fortes iuvat.

1019. Eventus fortuitus. Acontecimento fortuito. Caso fortuito. VIDE: Casus fortuitus est qui humano consilio nullo praevideri potest.

1020. Eventus rebus omnibus. [Plauto, Mostellaria 158] Tudo tem suas conseqüências.

1021. Eventus stultorum magister est. A experiência é o mestre dos tolos. O tolo aprende à sua própria custa. Eventus docet, stultorum iste magister est. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 22.39] A experiência ensina; ela é o mestre dos tolos. VIDE: Empta dolore docet experientia. Experientia stultorum magistra. Factum autem stultus cognovit. Factum novit et excors. Factum stultus cognovit. Factum stultus cognoscit. Malo accepto stultus sapit. Numquam sapiunt stulti, nisi in angustiis. Post iacturam quis non sapit? Re gesta sapit amens. Rem factam etiam stultus intellegit. Rem peractam stultus intellexit. Stultorum eventus magister est. Stultus accepto malo sapit. Stultus cum est perpessus, tum demum sapit. Stultus factum cognoscit. Stultus post facto peritus.

1022. Eventus varios res nova semper habet.[Jur / Black 694] A novidade tem sempre resultados inesperados.

1023. Eversio rei familiaris dignitatem ac famam praeceps dat. A ruína do patrimônio destrói a dignidade e a reputação. Eversio rei familiaris dignitatem ac famam praeceps dabat. [Tácito, Annales 6.17] A ruína do patrimônio destruiu a dignidade e a reputação.

1024. Evitata Charybdi in Scyllam incidi. [Erasmo, Adagia 1.5.4] Escapei de Caribde e caí no Cila. Saltei da frigideira, caí nas brasas. Evitata Charybdi in Scyllam concidi. VIDE: Cineres evitans, in carbones incidi. De fumo ad flammam. De fumo in flammam. Effugiens Charybdim, incidi in Scyllam. Fumum fugi, in ignem incidi. Incidis in Scyllam cupiens vitare Charybdin. Incidit in Scyllam qui vult vitare Charybdim. Incidit in Scyllam, cupiens vitare Charybdim.

1025. Evolare rus ex urbe tamquam ex vinculis. [Cícero, De Oratore 2.6.1] Fugir da cidade para o campo como se estivesse fugindo dos grilhões.

1026. Evolat consumptis epulis generalis amicus. [Medina 591] O amigo de todos vai-se embora, quando termina o banquete. O pão comido, e a companhia desfeita. Amigo de bom tempo muda-se com o vento. Passada a festa, esquecido o santo. Evolat assumptis epulis genialis amicus. [J.M.Caro y Cejudo, Refranes 108] O amigo festeiro desaparece, quando termina o banquete. VIDE: Amicus socius mensae non permanebit in die necessitatis. Diffugiunt, cadis cum faece, siccatis, amici. Est autem amicus socius mensae, et non permanebit in die necessitatis.

1027. Evolat, emissum semel, irrevocabile verbum. [Albertano da Brescia, Ars Loquendi et Tacendi] Uma vez pronunciada, a palavra sai voando, sem poder ser chamada de volta. Palavra e pedra solta não têm volta. Palavra fora da boca e pedra fora da mão não voltam atrás. VIDE: Dicta semel nullum patiuntur verba recursum. Semel emissum volat irrevocabile verbum. Verbum emissum non redit. Verbum emissum non est revocabile. Verbum irrevocabile est. Volat irrevocabile verbum.

1028. Evomita iterum vorat canis. [Schrevelius 1172] O cão come novamente o que vomitou. VIDE: Canis reversus ad suum vomitum, et sus lota in volutabro luti. Sicut canis qui revertitur ad vomitum suum, sic imprudens qui iterat stultitiam suam.

1029. Ex abrupto. Subitamente. Sem preparação. Inesperadamente. Bruscamente. De improviso. Sem guardar a ordem estabelecida. VIDE: Ab abrupto.

1030. Ex absurdo. Partindo do absurdo. VIDE: Ab absurdo.

1031. Ex abundanti cautela. [Jur / Black 703] Por cautela excessiva.

1032. Ex abundantia. Sobejamente.

1033. Ex abundantia cordis. Com a abundância do coração. (=Com franqueza).

1034. Ex abundantia enim cordis os loquitur. [Vulgata, Mateus 12.34] A boca fala o de que está cheio o coração. A boca fala da abundância do coração. VIDE: Enumerat miles vulnera, pastor oves. Ex habitu cordis sonitus depromitur oris. Locutio oris ostendit quid sit in corde. Navita de ventis, de bobus narrat arator. Omne supervacuum pleno de pectore manat. Os cordis secreta revelat. Os, oculus, vultus produnt quod cor gerit intus. Quidquid corde cogitabit, statim ore revelabit. Quod clausum in pectore, hoc in lingua promptum habeo. Quod in corde, hoc in ore.

1035. Ex abusu non arguitur in usum. [Jur] Do abuso não se tira argumento contra o uso. O abuso não tira o uso. VIDE: Ab abusu ad usum non valet consequentia. Abusus non tollit usum.

1036. Ex actis. De acordo com os autos.

1037. Ex adversis secunda, ex secundis adversa nascuntur. A adversidade nasce da prosperidade, prosperidade nasce da adversidade.. VIDE: Adversa ex secundis, ex adversis secunda nascuntur.

1038. Ex adverso. [Jur] Do lado contrário. Da parte contrária.

1039. Ex aequo. Com igualdade. De mérito igual. Com forças iguais. Do mesmo nível. Sem distinção. Ex aequitate.

1040. Ex aequo et bono. [Terêncio, Adelphi 958] Conforme o que é justo e bom. VIDE: Ex bono et aequo.

1041. Ex aequo lex alligat omnes. [Inscrição em medalha] A lei liga a todos sem distinção.

1042. Ex Africa semper aliquid novi. [Plínio Antigo, Naturalis Historia 8.6] Da África sempre vem alguma novidade. VIDE: Fert Africa noxia semper. Semper affert Lybia mali quippiam. Semper Africa aliquid novi affert. Semper Africa gignit aliquid mali. Semper Africa novi aliquid apportat. Semper aliquid novi affert Africa. Semper aliquid novi Africam afferre. Vulgare Graeciae dictum, semper Africam aliquid novi afferre.

1043. Ex agricolis et viri fortissimi et milites strenuissimi gignuntur. [Marcos Catão, De Agri Cultura, Praefatio] Nascem dos agricultores os homens mais valentes e os soldados mais esforçados. VIDE: Fortissimi viri ex agricolis gignuntur.

1044. Ex alienis cibariis hospites liberaliter tractare facile est. [F.J.Hartleben, Dictionarium Paroemiarum 132] É fácil cuidar liberalmente dos hóspedes com os alimentos alheios. VIDE: De alieno facile largimur, de nostris non item. De alieno loculo facile sumptus fiunt.

1045. Ex alieno corio longa corrigia. [Gaal 871; Pereira 103] Do couro alheio, longas correias. Da pele alheia, grande correia. Ex alieno tergore lata secantur lora. [Manúcio, Adagia 519] Do couro alheio cortam-se correias largas. Ex alieno corio lata secantur lora. [Otto Düringsfeld, Sprichwörter 42] Ex alieno corio abunde liberalis. Bastante liberal com o couro alheio. VIDE: De alieno corio larga corrigia. De alieno corio liberalis. De alieno liberalis. Scindit corrigias ex pelle tua sibi latas.

 

1046. Ex alieno periculo sapiens se corrigit et emendat. [Beda, Proverbiorum Liber] Com a experiência alheia, o sábio se corrige e melhora. É bem-aventurado quem com o perigo alheio se faz precatado. VIDE: Feliciter is sapit qui alieno periculo sapit. Feliciter sapit qui periculo alieno sapit. Feliciter sapit qui alieno malo sapit. Felix, alterius cui sunt documenta flagella. Felix est quem faciunt aliorum cornua cautum. Felix quem faciunt aliena pericula cautum.

1047. Ex alieno prodigus. [Pereira 93] É generoso com o alheio. Faz cortesia com o chapéu alheio. Do pão do meu compadre, grande fatia para o meu afilhado. Pólvora alheia, tiro grande. À custa da barba longa. Ex alieno prodigus quilibet esse potest. [Gaal 871] Qualquer um pode ser generoso com o alheio. VIDE: De alieno corio larga corrigia.

1048. Ex aliis negotiis, quae ingenio exercentur, in primis magno usui est memoria rerum gestarum. [Salústio, Bellum Iugurthinum 4] Dentre todas as ocupações exercidas pelo espírito, em primeiro lugar, de grande utilidade, está o registro dos acontecimentos passados. A história é a escola dos povos e dos reis.

1049. Ex altera parte. [Jur] Da outra parte.

1050. Ex alto casus gravior. Do alto a queda é mais danosa. Quanto mais alto é o coqueiro, maior é o tombo. Ex alto enim ruina gravior est, et magnum sonum facit. [S.João Crisóstomo / Schottus, Adagialia Sacra 5] Do alto a queda é mais forte, e faz grande ruído. VIDE: Celsae graviore casu decidunt turres. Quanto altior est ascensus, tanto durior descensus. Quanto altior gradus, tanto profundior casus.

1051. Ex ambiguo controversia nascitur. [RH 1.20] Da ambigüidade nasce a controvérsia.

1052. Ex amico inimicus, hostis ex socio. [Sêneca, Epistulae Morales 91] De um amigo (se faz) um inimigo, e de um companheiro, um adversário.

1053. Ex animo. Do fundo do coração. (=Cordialmente. Sinceramente. De boa vontade). Ex animo dicere. Falar do coração. Falar com sinceridade.

1054. Ex animo constamus et corpore. [Cícero, De Finibus 4.25] Somos constituídos de alma e corpo. 

1055. Ex antecedentibus et consequentibus fit optima interpretatio. [Jur / Broom 440] A melhor interpretação se faz a partir dos antecedentes e dos conseqüentes.

1056. Ex aperto. Abertamente. Claramente.

1057. Ex arbitrio. Por decisão própria. Ex arbitrio iudicis. Ao arbítrio do juiz.

1058. Ex arduis perpetuum nomen. [Alciato, Emblemata 132] Das dificuldades é que vem a fama perpétua. Não se ganha boa fama em cama de penas. VIDE: Ad magna praemia magno labore venitur. Ardua ad gloriam via. Ardua per praeceps gloria vadit iter. Magna venit nulli sine magno fama labore. Nemo unquam ignavia immortalis factus est. Non est ad magna facilis ascensus. Non est e terris mollis ad astra via. Non nisi per magnos ad praemia magna labores itur, et ignavis nulla corona datur. Non venit in molli vivida fama toro.

1059. Ex arena funiculum nectis. [Apostólio 8.58] Fazes uma corda de areia. Queres fazer o impossível. Queres fazer milagre. Ex arena funem efficere. [Medina 603] Fazer uma corda de areia. Ex arena funem facere. [Rezende 1801] VIDE: Funem ex arena efficere.

1060. Ex argilla omnes homines facti sunt. [Schrevelius 1188] Todos os homens são feitos de barro. Todo homem tem sua fraqueza. VIDE: Auriculas asini quis non habet? Vitiis nemo sine nascitur.

1061. Ex arrogantia odium, ex insolentia arrogantia. [Cícero, De Inventione 1.42] Da arrogância nasce o ódio; da insolência, a arrogância. VIDE: Arrogantia odium parit.

1062. Ex arte. Pela arte. Pela obra. Segundo as regras da arte.

1063. Ex arte cognoscitur artifex. Pela obra se conhece o artista. Pela obra se conhece o obreiro. VIDE: Opus artificem probat. Opus comendat artificem. Opus laudat artificem. Opus opificem commendat. Opus opificem probat. Res auctorem qualis sit coarguit.

1064. Ex aspectu nascitur amor. [Erasmo, Adagia 1.2.79] O amor nasce do olhar. O amor entra pelos olhos. Olhos que vêem, coração que deseja. Ex aspectu hominibus nascitur amor. [Apostólio 7.98] Aos homens o amor nasce do olhar. VIDE: Amor ex videndo nascitur mortalibus. Ex visu amor. Oculi sunt in amore duces.

1065. Ex aspectu nascitur amor; absentia amicos perdit. [Pereira 118] O amor nasce do olhar; a ausência perde os amigos. Quão longe dos olhos, tão longe do coração. Quem não aparece, esquece. VIDE: Absens carens. 

1066. Ex assensu patris. [Jur] Pelo consentimento do pai. Com o consentimento do pai.

1067. Ex atavis ductum debes tibi quaerere amicum; ast ratio in promptu sit tibi cum socio. [Rezende 1748] Deves escolher para ti amigo selecionado pelos seus antepassados; por outro lado faze imediatamente as contas com o companheiro. Contas de perto, amigo de longe. VIDE: Ratio in promptu sit tibi cum socio.

1068. Ex auctoritate legis. Por força da lei.

1069. Ex auctoritate propria. Por sua própria autoridade.

1070. Ex auditis referre, fere mentiri est. [Odilo Schreger, Studiosus Jovialis 13] Narrar fatos a partir do que ouviu dizer é como mentir.

1071. Ex auditu. De ouvir dizer. Por ouvir dizer.

1072. Ex aurea etiam sede in paludem rana resilit. [Binder, Thesaurus 1014] Mesmo da casa de ouro, a rã sempre salta para o pântano. Passarinho que na água se cria, sempre por ela pia. VIDE: Lepus solo natali gaudet. Lepus solo natali gaudet, et libentius nullibi vivit quam ubi natus est. Rana ad paludes resilit, etiam si in solium locaveris. Rana petit saltum, quamvis ponatur in altum. Vult lepus esse loco semper generatus erat quo.

1073. Ex auribus cognoscitur asinus. [Schrevelius 1183] Pelas orelhas se conhece o burro. Pela amostra se conhece o pano. Pelas unhas se conhece o leão. Ex auricula asinum. [Rezende 1749]

1074. Ex avaritia erumpit audacia, inde omnia scelera ac maleficia gignuntur. [Cícero, Pro Roscio 76] Da ambição vem a audácia, donde nascem todos os crimes e malefícios.

1075. Ex bellis bella seruntur. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 21.10, adaptado] As guerras nascem das guerras.

1076. Ex bello pax. Da guerra vem a paz. VIDE: E bello enim pax firmatur.

1077. Ex beneficio maleficium reportare. [Pereira 117] Por um benefício receber um malefício. Por bem fazer, mal haver. Ex beneficio maleficium. VIDE: Numquid redditur pro bono malum? Pro beneficio maleficium accipio. Pro bono malum. Pro gratia odium redditur.

1078. Ex bono aliquando sequitur malum. [Signoriello 205] Do bem às vezes nasce um mal.

1079. Ex bono et aequo. Conforme o que é bom e justo. VIDE: Ex aequo et bono.

1079b. Ex bono nomine bona oritur praesumptio. De uma boa fama nasce uma boa presunção. Boa fama vale dinheiro.

1080. Ex bove ipso coria sumuntur. [Pereira 97] Do próprio boi sai o chicote. Do couro saem as correias. A sua casa traz o homem com que chore. VIDE: Ex ipso bove lora sumuntur. Hirsuta tergo lora scindantur bovis.

1081. Ex bubone pigro numquam cito accipiter fit. [Pereira 114] De coruja preguiçosa nunca nasce gavião. De mau grão, nunca bom pão. VIDE: Difficile esse e malis fieri bonos. Numquam autem liquidum sincerumque ex turbido venit.

1082. Ex cantu dignoscitur avis. [Pereira 97] Pelo canto se conhece a ave. As palavras revelam quem cada um é. Ex cantu cognoscitur avis. Ex cantu et plumis volucris dignoscitur omnis. Todo pássaro se reconhece pelo canto e pelas penas. VIDE: A cantu dignoscitur avis. Avis a cantu dignoscitur. E cantu cognoscitur avis. E cantu dignoscitur avis. Nulla unquam avis mala bene cecinit. Nulla unquam avis mala bonum cantum edidit. Quaelibet avis a proprio cantu dignoscitur. Qualis avis, talis cantus.

1083. Ex capite. De cabeça. De memória.

1084. Ex carne caro. [Schottus, Adagialia Sacra 87] A carne vem da carne. Carne carne cria. De boa semente, bom fruto. Cobra não gera passarinho. VIDE: Aquila non generat columbam. Simile generat sibi simile. Simile producit sibi simile.

1085. Ex cathedra. De cadeira. Do alto da cátedra. (=Falar ex cathedra. Falar com autoridade).

1086. Ex cauda vulpem. Pelo rabo se conhece a raposa.

1087. Ex causa. Pela causa.

1088. Ex certa scientia. [Jur / Black 703] Por conhecimento seguro.

1089. Ex commodato utilitas domini. [Rezende 1764] Do empréstimo (vem) vantagem para o dono. Lá te vás emprestado, donde venhas melhorado.

1090. Ex commodo. [Rezende 1765] À vontade. Com comodidade. Por conveniência.

1091. Ex comoedia saepe fit tragoedia. [Spalding, Guia Prático 116] De uma comédia muitas vezes nasce uma tragédia. O riso está perto do pranto. VIDE: Dolor voluptatis comes. Et lacrimas risus non procul esse docet. Gaudia post luctus veniunt, post gaudia luctus. Hoc est consuetum: comitantur tristia laetum. Laetitiae proximus fletus. Mala sunt vicina bonis. Post florem fructus, post gaudia sequitur luctus. Post gaudia luctus. Risum in lacrimis vertit. Risus habet fletum, nectarque molestat acetum.

1092. Ex comparatione scriptorum. [Jur / Black 703] Pela comparação dos textos. Pela comparação das caligrafias.

1093. Ex concesso. Do que foi concedido. Por concessão. Ex concessis.

1094. Ex concordia felicitas. [Rezende 1766] Da união vem a prosperidade. A união faz a força.

1095. Ex confracto calice bibis. [Apostólio 7.96] Bebes de uma taça quebrada. Sabem-no cães e gatos. VIDE: E poculo perforato bibes.

1096. Ex conscientia malorum timor exoritur. O medo nasce da consciência das más ações. Teme quem deve; quem não deve não teme. Pela semana faz a raposa com que no domingo não vai à igreja. Ex conscientia peccatorum timor exortus est. [Cícero, Paradoxa 5.40, adaptado] Da consciência dos erros, nasceu o medo. VIDE: Conscientia sceleris timorem incutit.

1097. Ex consensu omnium. Com a concordância de todos. Ex consensu.

1098. Ex consuetudine. Conforme o costume.

1099. Ex consulto. [Jur / Black 703] Por deliberação.

1100. Ex continenti. Imediatamente. Sem espera. VIDE: In continenti tempore. In continenti.

1101. Ex contractu. [Jur / Black 703] Por contrato.

1102. Ex contrario. Pelo contrário.

1103. Ex convento. Conforme o ajuste. Conforme o contrato.

1104. Ex convictu nascitur amor mutuus. [Manúcio, Adagia 111] Da convivência nasce o amor mútuo.

1105. Ex corde. Do coração. Cordialmente. VIDE: Ab imo pectore. Ab imo corde. Ex imo corde. Ex imo pectore. Imo pectore.

1106. Ex cote aurum, ex auro probatur homo. [Dumaine 242] Com a pedra de toque prova-se o ouro, com o ouro prova-se o homem. O fogo prova o ouro, o ouro prova o homem. Ex cote aurum, ex auro hominem proba. Com a pedra de toque testa o ouro, com o ouro, testa o homem. VIDE: Aurum lapide, auro mens hominum exploratur.

 

1107. Ex cultro cognoscitur coquus. [Schrevelius 1187] Pela faca se conhece o cozinheiro.

1108. Ex curia. Fora da corte.

1109. Ex damno alterius, alterius utilitas. [Alciato, Emblemata 126; Medina 600] Do prejuízo de um, vantagem do outro. Morrem uns, para que outros vivam.

1110. Ex debito. [Jur / Black 704] Por dívida. Por direito. VIDE: Ex gratia.

1111. Ex delicto. [Jur / Black 704] Por crime. Pelo crime.

1112. Ex delicto, non ex supplicio, emergit infamia. [Jur / Black 705] A infâmia provém do crime, não da punição.

1113. Ex desuetudine amittuntur privilegia. [Rabelais, Gargantua 3.27] Pela falta de uso, perdem-se os privilégios.

1114. Ex die hoc. A partir de hoje.

1115. Ex digito gigas. [Rezende 1772] Pelo dedo se conhece o gigante.

1116. Ex dictamine rationis. Segundo o ditame da razão.

1117. Ex dolo malo non oritur actio. [Jur / Broom 245] De uma fraude não pode nascer uma ação. VIDE: Ex turpi causa non oritur actio. Nemo ex proprio dolo consequitur actionem.

1118. Ex domo felis discedit mus impransus. [Pereira 101] Da casa do gato o rato sai com fome. Da casa do gato não sai o rato farto.

1119. Ex dono. Por doação. Em doação.

1120. Ex dono Dei. Por dádiva de Deus.

1121. Ex duobus contrariis, fit medium optimum. Entre dois extremos, o meio é o melhor. VIDE: Extrema omnia sunt vitiosa.

1122. Ex duobus malis minus eligendum. De dois males, deve-se escolher o menor. Dos males, o menor. Antes cair das núvens do que de um terceiro andar. VIDE: E duobus malis minus eligendum.

1123. Ex ea causa. Por isso.

1124. Ex eburna vagina plumbeum gladium educis! [Diógenes / Manúcio, Adagia 295] De uma bainha de marfim tiras uma espada de chumbo! Bainha de ouro e faca de chumbo. Por cima, muita farofa; por baixo, molambo só. VIDE: Colorem habent, substantiam vero nullam. In eburna vagina plumbeus gladius.

1125. Ex eadem officina eae sunt opes. [Pereira 102] São obras da mesma oficina. De tal tenda, tal ferramenta. De tal pai, tal filho.

1126. Ex eius lingua melle dulcior fluebat oratio. [Homero, Ilíada 1.249 / Cícero, De Senectute 31] De sua língua, a palavra fluía mais doce que o mel. VIDE: Lingua melle dulcior.

1127. Ex empto. [Jur / Black 704] Por compra.

1128. Ex eodem facto non debet quis poenam et praemium reportare. [Jur] Ninguém deve receber uma punição e uma recompensa pelo mesmo fato.

1129. Ex eodem grege. São do mesmo rebanho. São farinha do mesmo saco.

1130. Ex eodem ore frigidum pariter et calidum efflare. [Erasmo, Adagia 1.8.30] Da mesma boca tanto soprar frio como quente. Falar por duas bocas. Ex eodem ore calidum et frigidum efflat. [Dumaine 244] Com a mesma boca ele sopra o quente e o frio. VIDE: Calidum et frigidum ex eodem ore efflare. Ex ipso ore procedit benedictio et maledictio.

1131. Ex eodem prato bos quaerit herbam, figulus lutum, canis leporem, virgo flores, ciconia lacertam. [Salvador Fernandes / Ramalho 100] No mesmo prado o boi procura o capim, o oleiro o barro, o cão a lebre, a menina as flores, a cegonha o lagarto.

1132. Ex eventu sciemus. Pelo resultado é que saberemos. O fim coroa a obra. VIDE: Exitus acta probat. Totum laudatur, si finis laude beatur.

1133. Ex expositis. Do que ficou exposto.

1134. Ex facie. [Jur / Black 704] Pela aparência. Evidentemente.

1135. Ex facili. Facilmente.

1136. Ex factis, non ex dictis, amici pensandi. [Rezende 1788] Os amigos devem ser avaliados pelas ações, não pelas palavras. Ex factis, non ex dictis amicos pensent intellegantque quibus credendum et a quibus cavendum sit. [Tito Lívio, Ab Urbe Condita 39.44] Pelas ações, e não pelas palavras avaliem os amigos e conheçam em quem devem confiar e de quem devem precatar-se.

1137. Ex facto. [Jur / Black 704] Por um fato. Por conseqüência de uma ação.

1138. Ex facto ius oritur. [Jur / Broom 82] O direito nasce do fato. Ex facto oritur ius.

1139. Ex falsis non sequitur verum, ex veris nil nisi verum. Do que é falso não sai a verdade; do verdadeiro só sai a verdade.

1140. Ex falsis verum effici non potest. [Cícero, De Divinatione 2.51] A verdade não pode vir do falso.

1141. Ex fictione iuris. [Jur / Black 704] Por uma ficção de direito.

1142. Ex fide bona. Como a boa fé exige.

1143. Ex fide fortis. Forte pela fé.

1144. Ex fimbria tela ipsa ostenditur. [Apostólio 7.100] Pela franja se conhece o tecido. Pela amostra se conhece a chita. Ex fimbria textura manifesta. [Tosi 115] VIDE: De fimbria telam omnem. E fimbria de texto iudicatur. E fimbria de texto iudico.

1145. Ex forma non servata resultat nullitas actus. [Jur] Da não observância da forma resulta a nulidade do ato.

1146. Ex frequenti delicto augetur poena. [Jur / Black 704] Com a freqüência do delito, a pena aumenta.

1147. Ex fructibus egregiis solet de bonitate arborum iudicium ferre. [Grynaeus 389] Costuma-se julgar a bondade das árvores pelos frutos excelentes. De boa árvore, bons frutos. VIDE: Arbor bona bonos fructus facit.

1148. Ex fructibus eorum cognoscetis eos. [Vulgata, Mateus 7.20] Pelos seus frutos vós os conhecereis. VIDE: A fructibus eorum cognoscetis eos.

1149. Ex fructu arbor agnoscitur. [Vulgata, Mateus 12.33] Pelo fruto se conhece a árvore. Pelo fruto conheço a árvore. Árvore ruim não dá bom fruto. Pela obra se conhece o artista. Ex fructu arbor cognoscitur. Ex fructu cognoscitur arbor. [DAPR 76] Ex fructu proprio cognoscitur arbor. Ex fructu arbor. VIDE: Arbor ex fructu cognoscitur. De fructu arborem cognosco. E fructu arborem cognosco. E fructu arborem. Fructibus ipsa suis, quae sit, cognoscitur arbor. Unaquaeque enim arbor de fructu suo cognoscitur.

1150. Ex fumo dare lucem. [Horácio, Ars Poetica 143] Tirar luz da fumaça. VIDE: Non fumum ex fulgore, sed ex fumo dare lucem cogitat.

1151. Ex granis fit acervus. [Dengg 12] De grãos se forma um monte. Um grão não enche celeiro, mas ajuda o seu companheiro. VIDE: De minimis granis fit magnus acervus. De multis, grandis acervus erit. De multis parvis grandis acervus erit. De stipula grandis acervus erit. E granis acervus. Ex multis granis fit acervus.

1152. Ex gratia. [Jur / Black 704] Como favor. Por favor. VIDE: Ex debito. 

1153. Ex gutta mellis generantur flumina fellis. [Pereira 101] De uma gota de mel nascem rios de fel. De um gosto, mil desgostos. Pouco fel faz azedo muito mel.

1154. Ex habitu colligitur persona hominis. [Binder, Thesaurus 1016] Pela aparência se sabe a personalidade do indivíduo. Boa aparência é carta de apresentação. A roupa faz o homem. VIDE: Causidicum vendit purpura. Vestis virum facit.

1155. Ex habitu cordis sonitus depromitur oris. [Jakob Werner, Lateinische Sprichwörter 57] O som da boca vem do estado do coração. A boca diz quanto lhe manda o coração. VIDE: Enumerat miles vulnera, pastor oves. Ex abundantia enim cordis os loquitur. Navita de ventis, de bobus narrat arator. Omne supervacuum pleno de pectore manat. Quod in corde, hoc est in ore.

1156. Ex hac vita discedo, tamquam ex hospitio, non tamquam e domo. [Cícero, De Senectute 23] Parto desta vida como de uma hospedaria, não como de minha casa.

1157. Ex his aegrotamus, quibus vivimus. [Grynaeus 740] Do que vivemos, disso adoecemos.

1158. Ex hominum questu facta Fortuna est dea. [Publílio Siro] A Fortuna foi feita deusa por causa das queixas dos homens.

1159. Ex humilitate vera secura nascitur auctoritas. A autoridade sem temor nasce da verdadeira humildade.

1160. Ex humo homo. O homem procede da terra.

1161. Ex hypothesi. [Jur / Black 704] Por hipótese.

1162. Ex igne ut fumus, sic fama ex crimine surgit. [Dionísio Catão, Monosticha, Appendix 14] Como a fumaça vem do fogo, assim também a má fama surge da má ação. Onde há fumo, há fogo.

1163. Ex illo die. Desde aquele dia.

1164. Ex illo felix nox mihi nulla fuit. [Propércio, Elegiae 2.29b,20] Desde então não tive nenhuma noite feliz.

1165. Ex illo tempore. Desde aquele tempo. Desde então. Ex illo. Ex illo tempore usque in praesentem diem. [Vulgata, Judite 16.31] Desde aquele tempo até hoje.

1166. Ex imaginatione fit opinio. [S.Tomás de Aquino, Summa Theologiae 77.9] Da imaginação nasce a opinião. 

1167. Ex imo corde. Do fundo do coração. Ex imo pectore. VIDE: Ab imo pectore. Ab imo corde. Ex corde. Imo pectore.

1168. Ex imperio. Por ordem de outrem.

1169. Ex improviso. De improviso. Inesperadamente.

1170. Ex improviso subvenit ipse Deus. [Binder, Thesaurus 1017] Quando não se espera, Deus aparece. Deus tarda, mas não falha.

1171. Ex incomprehensibili parvitate arenae funis effici non possit. [Columela, De Re Rustica 10.4] Com pequeníssimos grãos de areia não se pode fazer uma corda.

1172. Ex industria. [Jur / Black 704] Intencionalmente.

1173. Ex informata conscientia. Com conhecimento de causa.

1174. Ex inimico cogita posse fieri amicum. [Sêneca, Epistulae Morales 95.63, adaptado] Pensa do inimigo que ele poderá tornar-se teu amigo. VIDE: Ama tamquam osurus, oderis tamquam amaturus. Amare oportet tamquam osuros, et odisse tamquam amaturos. Amicum ita habeas posse ut fieri hunc inimicum scias. Et ama tamquam inimicus futurus, et odi tamquam amaturus. Ita amare oportere, ut si aliquando esset osurus. Ita amicum habeas, posse ut facile fieri hunc inimicum putes. Sicut osurus adama, oderis velut amaturus.

1175. Ex initiis summa colligitur. [Quintiliano, Institutio Oratoria 5.10.72] Pelo começo pode-se prever o todo.

1176. Ex inopinato. Inesperadamente.

1177. Ex insidiis. À traição.

1178. Ex insolito formido maior est. [Sêneca, Quaestiones Naturales 6.3.2] É maior o espanto diante do insólito.

1179. Ex intervallo. Com intervalo. Com prazo. Em época posterior.

1180. Ex invidia. Por inveja.

1181. Ex ipso bove lora sumuntur. [Erasmo, Adagia 1.2.77] Do próprio boi sai o chicote. Do couro saem as correias. A sua casa traz o homem com que chore. VIDE: Ex bove ipso coria sumuntur. Hirsuta tergo lora scindantur bovis.

1182. Ex ipso, et per ipsum, et in ipso sunt omnia. [Vulgata, Romanos 11.36] Dele, e por Ele, e Nele existem todas as coisas.

1183. Ex ipso ore procedit benedictio et maledictio. [Vulgata, Tiago 3.10] De uma mesma boca procede bênção e maldição. VIDE: Calidum et frigidum ex eodem ore efflare. Ex eodem ore frigidum pariter et calidum efflare.

1184. Ex ipso remedio vitia nascuntur. [Plínio Moço, Epistulae 3.20.8] Doenças há que nascem do próprio remédio. Pior o remédio que o mal.

1185. Ex iure. Segundo o direito. Por direito.

1186. Ex iusta causa. [Jur / Black 704] Por uma causa justa. Por justa causa.

1187. Ex labore dulcedo. [Divisa de Vila Americana, SP] O prazer provém do esforço.

1188. Ex lege. [Jur / Black 704] Pela lei. Segundo a lei. Por força da lei.

1189. Ex legibus. [Jur / Black 704] Segundo as leis.

1190. Ex lenitate iudicis crudelitas plebis. [Pereira 108] Da clemência do juiz (se faz) a crueldade do povo. Juiz piedoso faz povo cruel.

1191. Ex libris. (Pertencente à coleção) de livros. (=Ex-libris. Pequena estampa que se cola ao livro, em que aparece a expressão latina ex libris seguida do nome do seu possuidor).

1192. Ex libris cito discitur quod longo vitae usu vix assequi queas. [Rezende 1808] Depressa se aprende dos livros o que dificilmente se pode aprender com a longa prática da vida.

1193. Ex lingua stulta veniunt incommoda multa. [Trench, Proverbs and Their Lessons 151] Da língua sem juízo vêm muitos transtornos. Língua é que fala, corpo é que paga. VIDE: De lingua stulta veniunt incommoda multa. E lingua stulta veniunt incommoda multa.

1194. Ex lite multa, gratia fit formosior. [Publílio Siro] Depois de muita disputa, a reconciliação fica mais bela.

1195. Ex Luna scientia. [Divisa do Apollo 13] Da Lua, vem o conhecimento.

1196. Ex luxuria exsistat avaritia necesse est, ex avaritia erumpat audacia. [Cícero, Pro Roscio Amerino 75] Do luxo nasce necessariamente a ambição, da ambição nasce a audácia.

1197. Ex magna cena stomacho fit maxima poena. [Regimen Sanitatis Salernitanum, De Cena 2] De uma grande ceia vem um grande sofrimento para o estômago. De grandes ceias estão as campas cheias. VIDE: Ut sis nocte levis, sit tibi cena brevis.

1198. Ex maleficio non oritur contractus. [Jur / Broom 574] De ato ilegal não pode nascer um contrato.

1199. Ex malis eligere minima oportere. [Cícero, De Officiis 3.1.13] Dos males é preciso escolher os menores. Dos males, o menor. VIDE: De duobus malis minus malum est eligendum. De duobus malis, minus est deligendum. De duobus malis, minus est semper eligendum. E duobus malis minus eligendum. E duobus malis, cum maius fugiendum sit, levius est eligendum. E malis multis malum quod minimum est. Elige ex malis minima. Minima de malis eligenda. Minima de malis. Minus damnum maiori anteponendum.

1200. Ex malis moribus fiunt bonae leges. [Jur / Gaal 693] De maus costumes nascem as boas leis. Ex malis moribus bonae leges natae sunt. [Jur / Black 705] VIDE: Bonae leges malis ex moribus procreantur. Leges bonae malis ex moribus procreantur.

1201. Ex malis multis malum quod minimum est, id minime est malum. [Plauto, Stichus 120] De muitos males o mal que é o menor não é mal de modo algum. VIDE:  E malis multis malum quod minimum est.

1202. Ex malitia nemo commodum habere debet. [Jur] Dá má-fé ninguém deve tirar vantagem.  Ex malitia sua nemo debet commodum reportare.

1203. Ex mandato. [Jur] Por ordem.

1204. Ex mare Dei gratia. [Divisa] Vindo do mar pela graça de Deus.

1204a. Ex matre filiam. [Henderson 109] Pela mãe (se conhece) a filha.  A filha da onça traz pintas que nem a mãe.

1205. Ex mea sententia. Na minha opinião. VIDE:  Mea sententia.

1206. Ex mediocritate fortunae, pauciora pericula sunt. [Tácito, Annales 14.60] De uma sorte modesta menos perigos vêm.  Raio não cai em pau deitado. VIDE:  Alta ventos semper excipiunt iuga.

1207. Ex memoria. De memória.

1208. Ex mera gratia. Por um mero favor.

1209. Ex merito. Por mérito.

1210. Ex mero motu. [Jur / Black 705] Por um simples impulso. Por livre vontade. VIDE:  Ex proprio motu.  Sua sponte.

1211. Ex minima magnus scintilla nascitur ignis. [Albertano da Brescia, Liber Consolationis 32] De uma faísca minúscula nasce um fogo enorme.  De uma faísca se queima a vila.  De pequena fagulha, grande labareda. VIDE:  A scintilla una augetur ignis.  De parva scintilla magnum saepe excitatur incendium.  Ex modica favilla ingens statim incendium emicat.  Ex scintilla incendium.  Ex sola scintilla conflagrat saepe tota domus.  Ex sola scintilla conflagrat saepe tota domus.  Parva saepe scintilla magnum excitat incendium.  Parva saepe scintilla contempta magnum excitavit incendium.  Saepe dat atrocem scintilla minuscula torrem.  Videmus accidere ex una scintilla incendia passim.

1212. Ex minimis initiis magna. De pequenos começos, grandes resultados.  Pequeno dano, se toma forças, carece de remédio.  Antes que o mal cresça, corta-lhe a cabeça.  Ex minimis initiis maxima. [Erasmo, Adagia 3.8.23] VIDE:  Neglecta solent incendia sumere vires.  Patiendo, multa venient quae nequeas pati.

1213. Ex minimo crescit, sed non cito fama quiescit. [Henderson 110] A voz do povo nasce do nada, mas custa a se aquietar.

1214. Ex modica favilla ingens statim incendium emicat. De pequena fagulha rapidamente surge um grande incêndio.  De uma faísca se queima a vila.  De pequena fagulha, grande labareda. VIDE:  A scintilla una augetur ignis.  De parva scintilla magnum saepe excitatur incendium.  Ex minima magnus scintilla nascitur ignis.

1215. Ex modo praescripto. Da maneira como foi determinado.

1216. Ex mora. [Jur / Black 705] Pela demora. Pelo atraso.

1217. Ex more. [Jur / Black 705] Segundo o costume.

1218. Ex multis granis fit acervus. [F.J.Hartleben, Dictionarium Paroemiarum 4] De muitos grãos, se faz um montão.  Um grão não enche celeiro, mas ajuda o seu companheiro.  Ex multis granis fit unus panis. Um único pão se faz com muitos grãos. VIDE:  De minimis granis fit magnus acervus.  De multis, grandis acervus erit.  De multis parvis grandis acervus erit.  De stipula grandis acervus erit.  E granis acervus.  Ex granis fit acervus.

1219. Ex multis paleis parum fructus. [Rezende 1811] De muita palha, poucos frutos.  Muita palha e pouco grão.  Ex multis paleis parum fructus reportavi. [Apostólio 16.24] De muita palha, trouxe poucos frutos. VIDE:  De multis paleis grana pauca coëgi.  E multis paleis, paulum fructus collegi.  E multis paleis, parum fructus.

1220. Ex multis paupertatibus divitiae fiunt. [Sêneca, Epistulae Morales 87.38] De muitas pobrezas faz-se uma riqueza.  De muitos poucos se faz um muito.

1221. Ex musca elephantum facere. [Luciano / Schottus, Adagia 69] De uma mosca fazer um elefante.  De um argueiro fazer um cavaleiro.  Fazer de uma pulga um cavaleiro armado.  Ex musca elephantem. VIDE:  Elephantem ex musca facis.  Elephantum ex musca facis.  Elephantum e mure facis.

1222. Ex natura ortum est ius. [Cícero, De Legibus 1.34] O direito nasceu da natureza.

1223. Ex natura sua ceteros fingebant. [Cícero, Pro Roscio Amerino 26, adaptado] Imaginavam os outros por sua própria natureza. VIDE:  Ex sua natura fingit ceteros.

1224. Ex necessitate rei. [Jur / Black 705] Pela urgência do caso.

1225. Ex nido avem iudicamus. Pelo ninho julgamos o passarinho.  Pela casa se conhece o dono. VIDE:  Nidus testatur ibi qualis avis dominatur.

1226. Ex nihilo. (Que vem) do nada. (=Agressão ex nihilo. Agressão sem motivo).

1227. Ex nihilo crevit. [Tosi 3] Surgiu do nada.

1228. Ex nihilo nihil fit. [Jur / Black 705] Nada vem do nada.  Ex nihilo nihil. VIDE:  De nihilo nihil.  De nihilo nihilum.  Gigni de nihilo nihil, in nihilum nil posse reverti.  Nihil ex nihilo.  Nil igitur fieri de nilo posse fatendum est.  Nullam rem e nihilo gigni divinitus unquam.  Pro nihilo, nihil fit.

1229. Ex nostro disposito. Segundo minha determinação.

1230. Ex notis ad ignota. Do conhecido ao desconhecido.  Ex noto ad ignotum. VIDE:  Progredi ex noto ad ignotum.

1231. Ex notis ignotisque. Das coisas conhecidas e das desconhecidas. Das pessoas conhecidas e das desconhecidas.

1232. Ex novo. [Jur] Novamente. Daqui para frente. Desde o começo.

1233. Ex nudo pacto non oritur actio. [Jur / Broom 583] De simples promessa não nasce ação. VIDE:  Pacta nuda non sunt servanda.

1234. Ex numeratione dierum. [Jur] Pela contagem dos dias.

1235. Ex nunc. A partir de agora.

1236. Ex oculis, poculis, non multum operatur. [Binder, Thesaurus 1020] Conhece-se o homem pelos olhos, pelos copos, e pela sua carteira.  Ex oculis, poculis, loculis cognoscitur omnis. [Gaal 1691] VIDE:  Vinum animi speculum.

1237. Ex oculis umida gutta cadit. Dos olhos cai uma lágrima. VIDE:  Decidit ex oculis umida gutta meis.  Labitur ex oculis umida gutta meis.

1238. Ex officio. [Jur] Em virtude do cargo. Por obrigação. Por imposição da lei.

1239. Ex omni parte fugandus amor. [Ovídio, Remedia Amoris 358] O amor deve ser repelido por todos os modos.

1240. Ex omnibus aliquid, ex toto nihil. De tudo um pouco, do todo nada.  Quem presume saber tudo nada sabe.  Ex omnibus aliquid, in toto nihil.

1241. Ex omnibus viribus. Com todas as forças.

1242. Ex omnium scelerum colluvione natus. [Cícero, Pro Sestio 7.15] Ele foi gerado pela união de todos os crimes.  É um satanás! VIDE:  Ille nefarius ex omnium scelerum conluvione natus.

1243. Ex optimo parente nonnumquam pessimum filium. [Grynaeus 593] De pai muito bom, algumas vezes sai péssimo filho. VIDE:  Etiam fructibus a semine degenerare contigit.

1244. Ex ordine. Conforme a regra. Como convém.

1245. Ex ordine rerum Deus cognoscitur. Pela ordem das coisas se conhece Deus.

1246. Ex ore infantium et lactentium perfecisti laudem. [Vulgata, Salmos 8.3; Mateus 21.16] Tu fizeste sair da boca dos infantes e dos que mamam um louvor perfeito.

1247. Ex ore lupi praedam extorquere. [Pereira 122] Arrancar a presa da boca do lobo.  Tirar da boca do lobo.

1248. Ex ore parvulorum veritas. [Rezende 1814]  Da boca das crianças sai a verdade. VIDE:  Ebrios, stultos, ac pueros verum plerumque effari.  Pueri ac vinum vera profantur.  Puerorum ore nonnumquam Deus loquitur.  Pueros, ebrios ac stultos verum profari.  Stultus puerque semper vera dicunt.  Stultus puerque vera dicunt.  Vera dicunt ebrii.  Vinum et pueri veraces.  Vinum et pueri sunt veraces.

1249. Ex ore suo. Por sua própria boca. Com suas próprias palavras.

1250. Ex ore tuo te iudico. [Rezende 1815] Julgo-te por tuas palavras. VIDE:  De ore tuo te iudico.

1251. Ex oriente lux. Do oriente vem a luz.  Ex oriente lux, ex occidente lex. Do oriente vem a luz; do ocidente vem a lei.  Ex oriente lux, ex occidente frux. Do oriente, a luz; do ocidente, o fruto.

1252. Ex otio plus negotii quam ex negotio habemus. [Hugh Moore, Dictionary of Quotations 104] Temos mais ocupação de nosso descanso do que de nossa ocupação.

1253. Ex ovibus, canibus, bellis et rebus amoris, si quid dulce subest, massa doloris inest. [Pereira 106] Carneiros, cães, guerras e amores, se escondem alguma coisa doce, têm em si um monte de dores.  Guerra, caça e amores, por um prazer, cem dores. VIDE:  Amor, arma, canes et aves, simplex voluptas, centuplex dolor.

1254. Ex ovis pravis non bona venit avis. [Binder, Thesaurus 1021] De ovos ruins nunca vem boa ave.  De ruim árvore, nunca bom fruto.  De ruim pano, nunca bom vestido.  As obras mostram quem cada um é.  Ex ovis pravis prava creatur avis. [Jakob Werner, Lateinische Sprichwörter 124] De ovos ruins nasce ave ruim. VIDE:  Arbor ex fructu cognoscitur.  Arbor sit qualis, fas est cognoscere malis.  De fructu arborem cognosco.  E fetu cognosco arborem; e factis hominem iudico.  E fructu arborem cognosco.  E fructu arborem.  Ex fructu arbor agnoscitur.  Ex fructu arbor.  Ex fructu cognoscitur arbor.  Ex fructu proprio cognoscitur arbor.  Ex pravo pullus bonus ovo non venit ullus.  Fructibus ex propriis arbor cognoscitur omnis.  Fructibus ipsa suis, quae sit, cognoscitur arbor.  Non procul a proprio stipite poma cadunt.  Unaquaeque enim arbor de fructu suo cognoscitur.

1255. Ex ovo omnia. [William Harvey, De Generatione Animalium] Tudo provém de um ovo. VIDE:  Omne animale ex ovo.  Omne vivum ex ovo.  Omnia animalia ex ovo.

1256. Ex ovo prodiit. [Erasmo, Adagia 1.3.100] Nasceu de um ovo.  Não o pariu sua mãe.

1257. Ex ovo prognatus eodem. [Eiselein 135] Nascido do mesmo ovo.  É farinha do mesmo saco. VIDE:  Non ovum tam simile ovo.

1258. Ex pace ubertas. [Alciato, Emblemata 179] Da paz vem a abundância.

1259. Ex pacto. Conforme o ajuste.

1260. Ex pacto ius est. [RH 2.20] O direito está fundado sobre convenções.

1260a. Ex parte. [Jur] De um dos lados. De uma das partes.

1261. Ex parte materna. [Jur / Black 706] Do lado materno.

1262. Ex parte paterna. [Jur / Black 706] Do lado paterno.

1263. Ex parva flamma minime ingens lux prodit. [Grynaeus 776] De pequena chama de modo algum sai luz gigantesca.  Do pouco, pouco.  Pequeno passarinho, pequeno ninho.

1263. Ex parvo semine ingentes arbores procreantur. De pequena semente nascem grandes árvores. VIDE:  E parvo semine multa messis.

1263a. Ex patre malo nunquam bonus filius. [Seybold 114] De mau pai, nunca bom filho.  De mau corvo, mau ovo.  Tal pai, tal filho.

1264. Ex peccato peccatum nascitur. [DAPR 18] Um pecado nasce de outro.  Um abismo atrai outro. VIDE:  Abyssus abyssum invocat.

1265. Ex pede Herculem. [Rezende 1818] Pelo pé (reconhecemos) Hércules.  Pelo dedo se conhece o gigante.

1266. Ex pessimo genere nec catulus habendus. [Incerti Auctoris Epitome de Caesaribus 25.2] De má raça não se deve ter nem cachorrinho.  De mau ninho nunca cries o passarinho.

1266b. Ex plumis cognoscitur avis. [Seybold 115] Pelas penas se conhece o pássaro.  Ex plumis avis, ex verbis noscitur homo. Pelas penas se conhece o pássaro, pelas palavras, o homem.

1267. Ex pluribus unum. Um composto de muitos.  A união faz a força.  Ex pluribus unum facere. [S.Agostinho, Confessiones 4.8] De muitos fazer um só. VIDE:  E pluribus unum.  Unus fiat ex pluribus.

1268. Ex positis. [Jur] Do que ficou estabelecido.

1269. Ex post facto. [Jur / Black 706] A partir de fato ocorrido. Retrospectivamente. Retrospectivo.  Ex post.

1270. Ex potestate legis. [Jur] Por força da lei.

1271. Ex praeteritis praesentia aestimantur. [Grynaeus 610] Pelo passado se estima o presente.  Pelo fio tirarás o novelo, e pelo passado o que está por vir.  Ex praeteritis enim aestimari solent praesentia. [Quintiliano, Institutio Oratoria 5.28] Pelo passado costuma-se avaliar o presente.

1272. Ex pravo pullus bonus ovo non venit ullus. [Gaal 330] De mau ovo não vem nenhum pinto bom.  De mau grão, nunca bom pão. VIDE:  Difficile esse e malis fieri bonos.  Ex ovis pravis non bona venit avis.  Nunquam autem liquidum sincerumque ex turbido venit.

1273. Ex professo. Magistralmente. Com conhecimento de causa. Claramente. Abertamente. Intencionalmente. De caso pensado.

1274. Ex propinquitate benevolentia tolli potest, ex amicitia non potest: sublata enim benevolentia amicitiae nomen tollitur, propinquitatis manet. [Cícero, De Amicitia 19] Do parentesco pode-se suprimir o amor, da amizade, não se pode, pois, suprimindo-se o amor, a palavra amizade desaparece, a palavra parentesco permanece.

1275. Ex propria auctoritate. [Jur] Por autoridade própria.

1276. Ex propriis manibus vivere. Viver do trabalho de suas mãos.

1277. Ex proprio iure. [Jur] Por direito próprio.

1278. Ex proprio marsupio. Da própria bolsa.

1279. Ex proprio motu. [Jur / Black 706] Por iniciativa própria. Voluntariamente. VIDE:  De motu proprio.  De proprio motu.  Ex mero motu.  Motu proprio.  Proprio motu.  Sponte propria.  Sponte sua.  Sua sponte.

1280. Ex proprio vigore. [Black 707] Com suas próprias forças.

1281. Ex puro corde procedit fructus bonae vitae. [Tomás de Kempis, De Imitatione Christi 4.31.21] É do coração puro que procede o fruto da vida honesta.

1282. Ex qua nihil dolui praeter mortem. [Epitáfio / Rezende 1836] Dela o único desgosto que tive foi sua morte.

1283. Ex quocumque capite. De qualquer fonte.

1284. Ex quolibet ligno non fit Mercurius. [John Hales, Golden Remains 275]  Mercúrio não se faz de todo pau.  Azado é o pau para a colher.  Nem todo pau dá esteio.  Os paus, uns nasceram para santos, outros para tamancos.  Ex quovis ligno Mercurius non fit. [Bailey, Divers Proverbs 26] VIDE:  Haud ex quolibet ligno Hercules fit.  Mercurius non fit de quolibet arbore.  Ne e quovis ligno Mercurius fiat.  Non e omni ligno Mercurius.  Non e quovis ligno Mercurius fiat.  Non e quovis ligno fit Mercurius.  Non e quovis ligno Mercurius fingi potest.  Non enim ex omni ligno debet Mercurius exsculpi.  Non est Mercurius de qualibet arbore factus.  Non ex omni ligno Mercurius fingitur.  Non ex quolibet ligno fit Mercurius.  Non ex quovis fiat ligno Mercurius.  Non ex quovis ligno fit Mercurius.  Scalpendus haud Hermes omni ex arbore.  Trunco non ex quovis fit Mercurius.

1285. Ex quovis non fit quodvis. [Signoriello 119] De qualquer coisa não se faz qualquer coisa.

1286. Ex radice. Desde a raiz. Desde o início. VIDE:  Ab initio.  Ab ovo.  In limine.

1287. Ex radice mala nascuntur pessima mala. [Jogo de palavras] De ruim raiz nascem péssimos frutos.  De mau grão, nunca bom pão.  Árvore ruim não dá bom fruto.  As obras mostram quem cada um é. VIDE:  A radice mala non procedunt bona mala.  Arbor ex fructu cognoscitur.  De radice bona nascitur omne bonum.  Difficile esse e malis fieri bonos.  Ex ovis pravis non bona venit avis.

1288. Ex ratione loci. [Jur] Em razão do lugar.

1289. Ex ratione materiae. [Jur] Em razão da matéria.

1290. Ex ratione personae. [Jur] Em razão da pessoa.

1291. Ex re. A propósito.

1292. Ex re et tempore. Segundo as circunstâncias.

1293. Ex rege ludimagister. (Passar) de rei a professor. VIDE:  Ex summo imus.

1294. Ex relatu fidelium didicimus. Soubemos por informação de pessoas de confiança.

1295. Ex relatu referre fere mentiri est. [DAPR 569] Contar por ter ouvido dizer é quase mentir.  Quem diz o que não viu arrisca-se a mentir.

1296. Ex rigore iuris. [Jur] Do rigor da lei. Pelo rigor da lei.

1297. Ex scintilla incendium. De uma faísca, um incêndio.  De uma faísca se queima a vila.  De pequena fagulha, grande labareda. VIDE:  A scintilla una augetur ignis.  De parva scintilla magnum saepe excitatur incendium.  Ex minima magnus scintilla nascitur ignis.  Ex sola scintilla conflagrat saepe tota domus.  Parva saepe scintilla magnum excitat incendium.  Parva saepe scintilla contempta magnum excitavit incendium.  Videmus accidere ex una scintilla incendia passim.

1298. Ex scripto tuo te iudico. Julgo-te pelo que escreveste.

1299. Ex se de aliis facit coniecturam. [Pereira 117] Julga os outros por si.  Por suas versas julga as alheias.  Cuida o ladrão que todos o são. VIDE: Alios ex ingenio suo metitur.  Cum sis fur, alios esse fures suspicaris.  Cum sit fur, alios esse fures suspicatur.  Esse sibi similes alios fur iudicat omnes.  Ex sua natura fingit ceteros.  Ex tuo ingenio alios iudicas.  Tuo ex ingenio mores alienos probas.

1300. Ex senatus consultis plebisque scitis saeva exercentur, et publice iubentur vetata privatim. [Sêneca, Epistulae Morales 95.30] Pelas leis do senado e pelos decretos do povo são autorizadas violências, e obrigam-se por ato público coisas proibidas por ato individual.

 

 

  • VOCABULARIO
  • Aforismos latinos
    Aforismos oriundos del latín
    Aforismos del latín
    Aforismos en latín
    Frases latinas
    Frases oriundas del latín
    Frases del latín
    Frases en latín
    Perífrasis latinas
    Perífrasis oriundas del latín
    Perífrasis del latín
    Perífrasis en latín
    Locuciones latinas
    Locuciones oriundas del latín
    Locuciones del latín
    Locuciones en latín
    Expresiones latinas
    Expresiones oriundas del latín
    Expresiones del latín
    Expresiones en latín
    Oraciones latinas
    Oraciones oriundas del latín
    Oraciones del latín
    Oraciones en latín
    Enunciados en latín
    Enunciados latinos
    Enunciados oriundos del latín
    Enunciados del latín
    Enunciados en latín
    Dichos en latín
    Dichos latinos
    Dichos oriundos del latín
    Dichos del latín
    Giros en latín
    Giros latinos
    Giros oriundos del latín
    Giros del latín
    Jergas en latín
    Jergas oriundas del latín
    Jergas latinas
    Jergas del latín
    Sentencias en latín
    Sentencias latinas
    Sentencias oriundas del latín
    Sentencias del latín
    Palabras en latín
    Palabras latinas
    Palabras oriundas del latín
    Palabras del latín
    Dicciones en latín
    Dicciones latinas
    Dicciones oriundas del latín
    Dicciones del latín
    Voces en latín
    Voces latinas
    Voces oriundas del latín
    Voces del latín
    Plegarias en latín
    Plegarias latinas
    Plegarias oriundas del latín
    Plegarias del latín
    Enunciaciones en latín
    Enunciaciones latinas
    Enunciaciones oriundas del latín
    Enunciaciones del latín

___________________________

Recopilado
de:
Contenido  publicado  con  el  permiso del SR. KOCHER latín/portugués  hkocher.info/minha_pagina/dicionario

 

Principal Arriba Beati mundo corde Calamo Currente Da et accipe Eadem vis est taciti Fabarum arrosor Gallice loquar Habe bonum animum I piger ad formicam Labor omnia vincit